Huineng

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Budismo
O corpo incorrupto de Huineng

Huineng (慧能 ou 惠能; em Japonês: Daikan Enō, 638713) foi um monge budista zen da China, uma das figuras mais importantes em toda a tradição Zen. Ele é conhecido como o Sexto Patriarca desta escola. Seguiu uma linha de abordagem direta do Budismo e da iluminação, sendo considerado o fundador da técnica de iluminação súbita ou satori.

Huineng nasceu da família Lu, na cidade de Xing, província do Cantão. Sua família era pobre e seu pai morreu quando ele ainda era jovem, e ele não aprendeu a ler ou escrever. Certo dia, quando carregava lenha para o fogo doméstico, ouviu um dos convidados da casa recitar o Sutra do Diamante, e sentiu um despertar. Imediatamente decidiu seguir o caminho de Buda. O convidado lhe deu algum dinheiro e Huineng partiu.

Depois de viajar por trinta dias a pé, chegou à Montanha Huang Mei, onde morava o Quinto Patriarca, Hongren. Segundo conta o Sutra da Plataforma,

"Então fui prestar homenagem ao Patriarca, que me perguntou de onde eu vinha e o que esperava dele. Respondi: 'Sou um camponês de Hsin Chou de Kwangtung. Viajei muito para vos prestar homenagem e não peço nada senão o Budado'. 'És um natural de Kwangtung, um bárbaro? Como esperas te tornar um Buda?', disse o Patriarca. Respondi: 'Embora haja homens do norte e do sul, o norte e o sul não faz diferença para a sua natureza de Buda'. Um bárbaro fisicamente difere de Vossa Santidade, mas não há diferença em nossa natureza de Buda' ".

Hongren imediatamente o colocou a trabalhar na cozinha, onde permaneceu por oito meses. Um dia Hongren anunciou: "O problema dos nascimentos incessantes é momentoso. Dia após dia, em vez de tentarem vos libertar deste triste mar do Samsara, parece que só vos preocupais com méritos impuros (os que causam o renascer). Mas méritos não serão de ajuda se vossa Essência Mental for obscura. Procurem Prajna (sabedoria) em vossas próprias mentes e então escrevam um gatha (verso) a respeito. Aquele cujo verso provar que entendeu a Essência da Mente receberá o manto e a tigela (os símbolos do Patriarcado), e o farei o Sexto Patriarca. Vão depressa e não tardem em escrever o verso, uma vez que a deliberação é desnecessária e inútil. Quem percebeu a Essência da Mente pode falar a respeito sem preparo, e não a perde de vista nem mesmo no meio de uma batalha."

Contudo, os discípulos acharam que não cabia escreverem nada, pois com certeza seu instrutor, o venerável Shenxiu, se tornaria o novo Patriarca. Assim apenas Shenxiu escreveu um gatha, pressionado pela expectativa de seus irmãos menos instruídos. Mas ele não estava seguro sobre sua compreensão da Essência da Mente, e decidiu por fim escrever durante a noite um verso anônimo na parede do mosteiro, declarando sua autoria apenas de Hongren aprovasse o gatha:

"O Corpo é a árvore de Bodhi,
a mente é um espelho brilhante.
Com cuidado a limpamos continuamente,
sem deixar que o pó acumule".

Quando os outros discípulos viram este gatha na parede ficaram excitados. Quando Hongren o viu, disse; "Pratiquem de acordo com este gatha e não cairão nos reinos do mal, recebendo grandes benefícios. Acendam incenso e prestem homenagem a este gatha, recitem-no e verão vossa natureza essencial". Todos os monges louvaram e memorizaram o gatha. Contudo, em privado, Hongren disse a Shenxiu: "Chegaste ao portão, mas ainda não entraste. Neste estágio de conhecimento não tens a menor idéia do que seja a suprema mente de Bodhi, mas ao ouvir minhas palavras reconhecerás de imediato tua mente original, a natureza essencial, que é não-nascida e imperecível. Vê-a claramente em todos os pensamentos, com a mente livre de obstáculos. Na Realidade Única tudo é real, e os fenômenos são simplesmente o que são".

Então Hongren pediu que Shenxiu compusesse outro gatha que demosntrasse seu entendimento, mas ele não conseguiu formular nenhum verso. Mais tarde, ao ouvir um dos monges recitar o gatha de Shenxiu, Huineng percebeu que ele carecia de verdadeiro entendimento. Indo até um oficial do mosteiro, como não sabia escrever, pediu-lhe que escrevesse para ele um verso seu. O oficial surpreendeu-se, pois Huineng era um analfabeto, mas dizia querer compor um poema. Mas Huineng replicou: "Se buscas a suprema iluminação, não desprezes ninguém. As classes mais baixas podem ter grandes luzes, e as mais altas podem cometer atos tolos." Imediatamente o oficial prestou homenagem a Huineng e escreveu o gatha solicitado na parede, que dizia:

"Bodhi não é uma árvore
nem a mente um espelho brilhante
Já que tudo é vazio em essência
onde pode o pó acumular?"

Então Huineng voltou para suas atividades na cozinha. Mas este gatha criou uma excitação ainda maior, todos diziam: "É inacreditável! Não se pode julgar uma pessoa por sua aparência! Talvez ele logo se torne um Bodhisattva!". O tumulto atraiu Hongren que, chegando e lendo o verso, disse: "Tampouco este percebeu a natureza essencial", e apagou-o com sua sandália.

Certa noite Hongren recebeu Huineng em sua cela, e lhe expôs o Sutra do Diamante. Quando chegou à passagem que dizia para "usar a mente e ao mesmo tempo estar livre de qualquer apego" Huineng experimentou a iluminação, percebendo que todos os Dharmas são inseparáveis da essência dos seres, e exclamou: "É maravilhoso que a natureza essencial seja originalmente pura! É maravilhoso que a natureza essencial seja não-nascida e imortal! É maravilhoso que a natureza essencial seja inerentemente completa! É maravilhoso que a natureza essencial nem se mova nem seja imóvel! É maravilhoso que todos os Dharmas procedam desta natureza essencial!"

Hongren continuou: "Se alguém reconhece a mente original e a natureza original é chamado de um grande homem, um mestre dos deuses e dos homens, e um Buda", e lhe transmitiu o manto e a tigela como sinal do Selo do Dharma da Iluminação Súbita, dizendo-lhe para deixar o mosteiro e seguir para o sul.

Durante os 15 anos seguintes Huineng permaneceu no anonimato, não revelando a ninguém que era o Sexto Patriarca. Depois decidiu começar a receber discípulos, e transmitiu o Dharma a 43 sucessores, extinguindo-se com ele o título oficial de Patriarca Zen.

Dele é o verso:

"Com aqueles que são simpatizantes
discutamos o Budismo.
Com aqueles que têm outras opiniões
conversemos educadamente, fazendo-os felizes,
pois as disputas não pertencem à nossa escola,
sendo incompatíveis com nossa doutrina."

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Huineng