Hymenolepis nana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaHymenolepis nana
Hymenolepis nana adulta.

Hymenolepis nana adulta.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Platyhelminthes
Classe: Cestoda
Ordem: Cyclophyllidea
Família: Hymenolepididae
Género: Hymenolepis
Espécie: H. nana
Nome binomial
Hymenolepis nana
Siebold, 1852

Hymenolepis nana é uma espécie de tênia que mede de 15 a 40 mm.[1] Infecta seres humanos e roedores - possivelmente ratos causando a himenolepíase. Se a infecção do indivíduo for severa, poderá causar forte diarréia, perda de peso, desnutrição, desidratação e forte dor abdominal. É a única tênia que infecta o homem sem um hospedeiro intermediário obrigatório.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O verme adulto mede entre 3 e 5 centímetros. Possui 100 a 200 proglotes muito estreitas, e cada uma delas tem genitálias masculina e feminina. O escólex apresenta quatro ventosas e um rostro retrátil armado de ganchos.[3]

Os ovos são transparente e incolores, quase esféricos, e medem cerca de 40 micrômetros (µm) de diâmetro. Possuem uma fina membrana externa envolvendo um espaço claro. Há ainda outra membrana mais interna, ao redor da oncosfera, que apresenta dois mamelões claros em posições opostas, dos quais partem alguns filamentos longos. Quando observado ao microscópio, o ovo é às vezes descrito como parecendo um "chapéu de mexicano, visto por cima".[3]

A pequena larva cisticercoide da espécie é formada por um escólex invaginado e envolto por uma membrana. Contém pequena quantidade de líquido. Mede cerca de 500 µm de diâmetro e como nos demais integrantes da classe Cestoda, pode-se denominar de protoescólex ao escólex da larva.[3]

Ciclo de vida[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser conhecido muitas vezes como uma tênia, o gênero Hymenolepis não pertence à família Hymenolepididae, e não à Taeniidae. Seus ovos podem sobreviver mais de 10 dias em um ambiente externo. Quando seus ovos são ingeridos por meio de água contaminada, alimentos, e mão contaminada por fezes, são levados até a mucosa intestinal se transformando em larva. A larva adulta pode viver de 4 a 8 semanas.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Sua infecção ocorre em todo o mundo - cosmopolita. Ocorrendo com maior frequência no sul dos Estados Unidos, América Latina, é comum na Índia, Oriente Médio, Austrália e países do Mediterrâneo.

Em regiões de clima temperado a infecção em crianças, e grupos fechados é mais alta. As crianças são mais susceptíveis a esse tipo de verme; em crianças desnutridas sua infestação é mais intensa.

Patogenia[editar | editar código-fonte]

Ingestão de ovos, ingestão de larvas (hiperinfecção - auto-infecção interna retroperistaltismo). Agitação, insônia, irritabilidade, sintomas nervosos e etc. Ação reflexa e liberação de toxina: excitação do córtex cerebral: ataques epiléticos. Grande produção de muco com ação imunológica específica (humoral e celular).

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

É feito através da identificação microscópica dos ovos nas fezes. Sendo às vezes necessário repetir o exame para fechar o diagnóstico.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

O tratamento é eficaz com os medicamentos praziquantel, Teniacid ou niclosamida.

Referências

  1. DPDx - Hymenolepiasis Visitado em 17 de março de 2008..
  2. Danilo de Souza Maltez (2002) Himenolepíase/Hymenolepis nana Visitado em 17 de março de 2008.
  3. a b c Neves 2005, p. 247

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Neves, David Pereira; Alan Lane de Melo, Pedro Marcos Linardi, Ricardo W. Almeida Vitor. Parasitologia Humana (em português). 11º ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2005. Capítulo: Hymenolepis nana. , 494 p. ISBN 8573797371

Ligações externas[editar | editar código-fonte]