IAI Nesher

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O IAI Nesher (águia em hebraico) é a versão israelita do caça supersónico Mirage 5. Entrou em serviço na Força Aérea Israelita em 1972.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Devido ao sucesso alcançado por Israel com o Mirage III na Guerra dos Seis Dias, a Força Aérea Israelita solicitou a Dassault o desenvolvimento de uma nova versão. Como no oriente médio as condições meteorológicas são normalmente boas, esta versão não teria aviônicos avançados e seria dedicada ao ataque ao solo. Além de diminuir os custos, seria possível utilizar o espaço extra para carregar mais combustível, estendendo o alcance da aeronave. Esta nova aeronave foi denominada Mirage 5.

Com as crescentes tensões no oriente médio e a pressão internacional, estas aeronaves acabaram sofrendo embargo, por isso não foram entregues a Israel, sendo incorporadas a Força Aérea Francesa. Este embargo levou Israel a projetar e produzir o IAI Nesher e o IAI Kfir.

O Nesher é uma cópia do Mirage 5 com alguns aviônicos israelitas. Existem muitas especulações de como Israel desenvolveu esta aeronave. 51 aeronaves monopostas e 5 bipostas foram produzidas. Israel iniciou um projecto para adaptar a turbina americana J79 (usada pelo Lockheed F-104 Starfighter e pelo McDonnell Douglas F-4 Phantom II) na fuselagem do Nesher. Esta aeronave foi denominada Kfir.

Dos caças Nesher produzidos e utilizados por Israel, 35 monopostos e 4 bipostos foram exportadas para a Argentina com o nome de Dagger. As aeronaves foram recebidas em dois lotes, um em 1978 e outro em 1980. Em 1979, a Argentina celebrou um contrato de modernização dos Dagger com sistemas desenvolvidos para o Kfir C2. Esta nova variante foi denominada Finger.

IAI Dagger.jpg

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.