Ibipetum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde abril de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Ibipetum
—  Distrito  —
 A terra dos cristais e da lavoura   Av. Santo Antônio, Ibipetum/BA - Aqui teve inicio o povoamento de Ibipetum
A terra dos cristais e da lavoura
Av. Santo Antônio, Ibipetum/BA - Aqui teve inicio o povoamento de Ibipetum
Estado Bahia
Município Ipupiara
Criado em 30 de dezembro de 1953 (60 anos), a povoação teve início em 1751 (263 anos)
Área
 - Total 471,600 km²
População
 - Total 3 030 Urbana: 1 143 Rural: 1 887
Limites Distritos de Pituba e Sede/Gentio do Ouro, Distrito Sede/Morpará, Distrito Sede/Brotas de Macaúbas, e Distrito Sede/Ipupiara

Ibipetum é um distrito do município brasileiro de Ipupiara, no estado da Bahia, dista 5 km da sede e 620 km de Salvador, capital do estado. Sua população em 2010 era de 3.030 habitantes, dados do IBGE.

O distrito foi criado pela lei 628 de 30 de dezembro de 1953 e instalado em 1º de janeiro de 1954, conforme a lei, cria-se o distrito de Ibipetum e anexa ao município de Brotas de Macaúbas, com sede em Ibipetum, antigo povoado de Gameleira, com foro de vila.

Desde sua origem, no antigo povoado de Gameleira, a extração de cristais e pedras preciosas foi e é a cobiça dos garimpeiros, que em suas serras exploram até hoje.

Na segunda década do século XX, nos tempos de guerra no sertão, decretada pelos Coronéis Horácio Queiroz de Matos e Militão Rodrigues Coelho, Ibipetum e Ipupiara estavam no meio do fogo cruzado, de um lado Brotas de Macaúbas controlada pelo Coronel Horácio de Matos e do outro Barra do Mendes controlada pelo Coronel Militão Coelho, era assim que se falava: a Chapada Velha (Brotas de Macaúbas até Lençóis) é de Horácio e a Chapada Nova (Jordão atual Ipupiara até Barra do Mendes) é de Militão. Naquele tempo devido a Gameleira (atual Ibipetum), pertencer geograficamente à Brotas de Macaúbas e estar do lado de Horácio, e, o Jordão (atual Ipupiara), estarem do lado de Militão que era de Barra do Mendes, existia uma rivalidade entre os dois lugares que se perdurou por muitos anos, deixando resquícios políticos até hoje.

Nas décadas de 1960 e 1970, Ibipetum ficou conhecida como a Terra do Fumo, devido à produção do fumo de corda, a destacar a safra dos anos 1960, existia naquela época 40 depósitos de tratamento e embalagem do fumo, onde o produto era exportado para outras cidades do estado da Bahia e de outros estados como Minas Gerais, São Paulo, Maranhão e Piauí. Na década de 1970, contava com duas indústrias de tratamento do fumo, a Capelão e a Guarani, o processo era torrar, desfiar e empacotar para ser comercializado o fumo desfiado.

No passado teve os chefes políticos respeitados como Antonio Francisco, Aristides Pereira de Novais, Aristides Silva, José Antonio dos Santos (Dedé), Miguel Martins dos Santos, Noel Ribeiro e outros, dentre os citados alguns participaram na luta pela emancipação do município.

Até a década de 1970 quando a extração de cristais estava a todo vapor, teve um campo de pouso para pequenas aeronaves que trazia os compradores de cristais, localizava-se às margens da BA-156. Já teve Delegacia de Polícia, Agência dos Correios e Agente de viagem da empresa Beira Rio (atual EMTRAM).

Já teve sua importância política e econômica para região de Brotas e após a Emancipação Política do município de Ipupiara, o distrito tem sua importância política e econômica, onde suas lideranças contribuem para compor a corrida eleitoral. Na Vila Ibipetum votam mais de 1000 eleitores distribuídos em 4 urnas e ainda existe urnas nos povoados pertencentes ao distrito como Pé de Serra, Riacho das Telhas, Pintada, Sodrelândia dentre outros.

Atualmente, nota-se alguns traços de desenvolvimento como a chegada da energia elétrica, abastecimento de água e telefone. O comércio está em expansão com pequenas lojas de roupas, presentes, móveis e eletrodomésticos, materiais de construção, farmácias, padarias bares e pizzaria.

As empresas EMTRAM e Novo Horizonte prestam serviços em Ibipetum para embarque e desembarque de passageiros. A parada fica na Panificadora e Mercadinho Santo Antonio, situada à Rua Dr. Manoel Novais, de frente a Rua 13 de Junho, o ponto já se tornou uma referência. O dono do estabelecimento deveria contatar as empresas e colocar a venda de passagens no local, assim daria melhor comodidade aos passageiros, além de gerar renda aos negócios.

Está em funcionamento o posto de atendimento bancário nas Lojas Karina, o Bradesco Express, que deve impulsionar na economia local e também na comodidade dos moradores no pagamentos de suas contas e movimentação bancária, principalmente para os beneficiários da previdência social.

O 1º Posto de Gasolina "Formula 1 Ibipetum" está em funcionamento às margens esquerda da BA-156, na Avenida Jonival Lucas entre a Rua Caminho Do Cruzeiro e Rua José João Sobrinho, no Bairro Cruzeiro, trevo para Vila Ibipetum. A sua instalação trouxe desenvolvimento para a vila e região, além de ponto de apoio para quem trafega pela Rodovia com Restaurante e Dormitório, seu movimento será maior, após o asfaltamento da BA-046 trechos entre (Barra do Mendes à Ipupiara) e (Ibipetum à Ibitunane/Gentio do Ouro no entrocamento da BA-225).

História[editar | editar código-fonte]

A origem de Ibipetum foi no povoado de Gameleira, quando o território pertencia a Vila de Macaúbas, a qual pertencia também o povoado Caiam Bola, o primeiro nome de Brotas, mais tarde ficou conhecida como Macaúbas, esse nome foi originário do fruto da macaba, e, em 1847, foi elevado à freguesia com a denominação de Vila Agrícola de Nossa Senhora de Brotas de Macaúbas. Antes, em 1751, Manoel de Saldanha da Gama e sua mulher Joana da Silva Guedes de Brito, herdeira desses sertões – doaram ao capitão-mor Romão Gramacho Falcão os terrenos intermediários aos rios Paramirim e Jacaré (APEB, SJ/15/91, f. 27 v),[1] que envolvem, atualmente, vários municípios, desde Brotas de Macaúbas a Irecê.

Depois da doação das terras da Chapada Diamantina, Romão Gramacho começa o povoamento da região sempre em busca de ouro e diamantes. Em 1755 ergue a igreja de São Miguel das Figuras padroeiro dos garimpeiros em Ibipetum. Funda os povoados de Oliveira dos Brejinhos e Caiam Bola que posteriormente ficou conhecido como Brotas de Macaúbas. Foi ali que em 1792 Romão Gramacho descobre os primeiros diamantes da província da Bahia. Essa região ficaria conhecida como Chapada Velha.

De acordo com nossos antepassados, a civilização iniciou com a chegada de garimpeiros em busca de pedras preciosas, eles se estabeleceram em pequenas propriedades de terras, cultivando a agricultura e explorando os garimpos. O lugar escolhido foi em torno de uma nascente d’água conhecida como Fonte, de onde nascia um córrego que desagua na lagoa conhecida como Aguada, havia também em abundância, árvores da Gameleira, a localidade recebeu a denominação de Gameleira, originária da árvore da Gameleira. Era nas sombras frondosas das Gameleiras que os tropeiros amarravam os seus animais, descansavam, para prosseguir suas andanças e por vezes pernoitavam, para seguir viagem no dia seguinte.

O lugar cresceu e formou-se as ruas, a primeira, a Rua Grande, onde foi construído um barracão e funcionava a feira livre, mais tarde foram construidas as residências de Antonio Francisco, Aristides Pereira de Novais, Aristides Silva, André Andrade, Francisco Silva, Miguel Martins dos Santos, Luciano Pereira de Novais, Manuel Novais, Honorato Silva, Noel Ribeiro, grandes casarões em estilo colonial e barroco, com portas e janelas altas, as fachadas trabalhadas e com grandes salas e varandas.

Com o passar do tempo, surgiram outras ruas, como a Rua do Alto ou Rua de Cima, onde foi construída a casa do Sr. Memézio em 1888, a capela do Menino Deus e outras residências; a Rua Treze de Maio (esse nome em homenagem a lei áurea, devido a existência de uma Delegacia, onde os presos eram amarrados com bolas pesadas de ferro nos pés, do tempo da escravidão, onde foram Delegados voluntários, o Sr. Aristides Silva e o Sr. Waldomiro Pereira do Vale); a Rua do Bate-Bico ou Rua da Manguba, atual Avenida Sete de Setembro; rua do Limão, atual Rua Dr. Manoel Novais; a Rua Nova, atual Rua José Oliveira; Rua do Carro Velho; Travessa da Fábrica, atual Rua Nunes Capelão; Travessa do Mercado, atual Rua Treze de Junho; Rua Caminho do Cruzeiro e outras.

O comércio se aglomerou em torno do Mercado Municipal, construído na gestão de Gaudêncio Oliveira, em 1952, ainda quando Ibipetum pertencia ao município de Brotas de Macaúbas, na antiga Praça do Mercado, onde hoje, são a Rua Treze de Junho, Rua Do Comércio, Largo do Mercado e Rua Treze de Maio, local onde funciona uma feira livre aos domingos.

Em 1930 foi erigida a Igreja Matriz de Santo Antônio, padroeiro do lugar e do distrito, localizada na área Central da Avenida Santo Antonio. Consta na história que existia a capela São Miguel das Figuras (São Miguel Arcanjo), padroeiro dos garimpeiros, e mais tarde foi erigida a capela do Menino Deus, ao lado da casa do Sr. Memézio, mais tarde demolida e construída a Igreja do Menino Deus, no centro da Rua do Alto Alegre, onde passou por uma reforma em 2003. A administração municipal construiu a Praça da Paz e foi erigida a imagem réplica do Cristo Redentor.

A presença indígena cujo a tribo se desconhece, é marcada por pinturas rupestre em pedras, encontrada em toda região, como as encontradas na localidade de Pintada, local onde o Capitão Carlos Lamarca e José Campos Barretos foram mortos pela Ditadura Militar.

Conforme o Decreto-lei Municipal Nº 63, de 5 de Julho de 1938, dentre os distritos mencionados, consta Gameleira como distrito do município de Brotas de Macaúbas, veja o texto da lei: “Orçamento da Prefeitura de Brotas de Macaúbas, para o exercício de 1939” (Decreto-lei 63, de 5 de julho de 1938), impresso na "Livraria Catilina", de Romualdo Santos - Livreiro Editor - Rua Portugal, 20, Salvador, Bahia [2] , onde se lê: Prefeito Municipal - Nestor Rodrigues Coelho. Secretário Municipal - Adão Francisco Martins, o Município de Brotas de Macaúbas, era formado dos seguintes Distritos: Jordão de Brotas (Ipupiara), Gameleira (Ibipetum), Ouricuri, Araci, Pé do Morro, Mata de Dentro, Brejo do Buriti, Barra do Mendes, São Francisco(Saudável), Paranamirim, Mucambo, Sitio do Coqueiro e Morpará.

O Distrito foi criado oficialmente pela Lei Ordinária Nº 628 de 30 de dezembro de 1953, publicada no D.O.E. em 1º de janeiro de 1954, assinado pelo governador Luís Régis Pacheco Pereira, com o nome de Ibipetum, com sede distrital no antigo Povoado de Gameleira, seu topônimo é originado da língua tupi-guarani, o que significa "Terra do Fumo", (Ibi = terra e petum = tabaco / fumo), devido a produção de fumo.

O Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais de Ibipetum e o Juizado de Paz, foram instalados em 20 de junho de 1954, tendo como Juiz de Paz o Sr. João Machado Neto e escrevente o Sr. Honorato Silva Filho, onde foi celebrado o 1º Casamento e lavrado no livro número 1, os nubentes foram: Sr. Ananias Martins dos Santos e Sra. Laudízia Muniz dos Santos.

Ibipetum recebeu o serviço postal em 1959, quando foi instalada a Agência de Correios e Telégrafos, a primeira funcionária foi Onília Pereira Silva. A agência era equipada com o telegrafo, conectada com a linha telegráfica ligando a região de Barra do Rio Grande, Morpará, Brotas de Macaúbas, Ipupiara e Barra do Mendes.

O Distrito é composto pela sede distrital, Ibipetum, com foro de vila e mais de 30 Povoados, dentre eles, alguns com maior importância, como Pé de Serra, Pintada, Poço Cavalo, Poço da Areia, Riacho das Telhas e Sodrelândia.

Em 9 de agosto de 1958, através da Lei Ordinária Nº 1.015, publicada no D.O.E em 10 de agosto de 1958, no governo de Antônio Balbino de Carvalho Filho, os distritos de Ipupiara e Ibipetum foram desmembrados de Brotas de Macaúbas e formou um novo município com sede no distrito de Ipupiara.

Os nativos de Ibipetum são chamados de ibipetuense.

Fontes: Depoimentos do Sr. Almerindo Nunes de Freitas, Sr. João Machado Neto, Sr. Antonio Delfino do Nascimento, Sr. Antonio Martins do Santos e Sra. Vitalina Martins dos Santos[3]

Economia[editar | editar código-fonte]

A agricultura e pecuária são de subsistência. O distrito produz feijão-de-corda, arroz, milho, manga, mamão, banana, laranja, mandioca, cana de açúcar, mamona, fumo de corda, etc. A pecuária é na sua maioria bovina, caprina, equino, ovino e suíno, destacando-se o gado de raça não definida (pé-duro).

No Distrito são encontradas as seguinte ocorrências minerais: amianto, barita, cobre, cristal de rocha, diamante, ferro, manganês, ouro, quartzito, mármore.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Características[editar | editar código-fonte]

A característica do solo é semiárido, e possui vários lagos que compõe a rede hidrográfica do distrito e tem o Rio Guariba e o Rio Verde formador da Barragem de Mirarós como seu principal rio. O clima pode ser caracterizado como tropical. Sua vegetação predominante e a caatinga, e os minérios encontrados são principalmente: cristal, baritas, manganês e ouro.

A fauna é pequena, havendo pouca caça, são encontrados a cotia, a gambá, o preá, o veado-catingueiro, o tatu-peba, o tatu-verdadeiro, o tatu-bola, o tatu-galinha, o teiú, dentre outros e na pesca, são encontrados a traíra, a piranha, a carpa e outros.

O distrito faz parte da Bacia hidrográfica do São Francisco, constitui-se como local de grande atração turística uma lagoa construída de águas diamantinas, conhecida como Lagoa da Carranca, para onde afluem muitas pessoas para apreciar a beleza da região, apenas a 19 km de Ibipetum.

As represas e mananciais são a Lagoa da Carranca, Lagoa Aguada (próximo a Igreja Matriz de Santo Antonio), a Fonte e o Açude.

Os rios principais são Rio Guariba e Rio Verde, Riacho das Telhas, Riacho Carranca, Riacho Buriti do Ouro, Riacho Itaquarí, Riacho da Umbaúba, Riacho da Gameleira, Riacho do Araçá (que correm em épocas de chuvas) e Córrego da Fonte, que desagua na Lagoa Aguada, encontrando com Riacho do Araçá e Açude, onde as águas correm até o Rio Paramirim, desaguando no São Francisco.

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Tipo climático: semiárido e seco a sub-úmido
  • Temperatura média anual
    • min.: 17,8 °C
    • média: 18,9 °C
    • máx.: 32,8 °C
  • Período chuvoso: Novembro a Março
  • Pluviosidade anual:
    • min.: 3 mm
    • média: 65,9 mm
    • máx.: 144,4

Acessos rodoviários[editar | editar código-fonte]

Saindo de Salvador pela BR-324 até Feira de Santana, seguir pela BR-116 (sul) até Paraguaçu, seguir pela BR-242, após a cidade de Seabra e a Serra da Mangabeira, no entroncamento de Brotas de Macaúbas/Ipupiara, entrar a direita e seguir pela BA-156 até alcançar o km 67.

Localização[editar | editar código-fonte]

Ibipetum localiza-se às margens esquerdas da BA-156, para quem vai de sentido a sede do município, a 4 km antes da chegada a cidade de Ipupiara, na região da Chapada Diamantina, na mesorregião do Centro-Sul Baiano, microrregião de Boquira.

Limites distritais[editar | editar código-fonte]

Ibipetum confronta-se ao norte com o distrito de Pituba e distrito Sede, município de Gentio do Ouro; ao sul e leste com o distrito de Ipupiara; ao oeste com o distrito sede de Brotas de Macaúbas e com o distrito sede de Morpará e tem os seguintes limites:

Entre o distrito de Ibipetum e o distrito Sede do município Brotas de Macaúbas:

Começa na ponta sul da serrinha de São João, segue em reta até o marco no lugar Ladeira da Águas Verde, e daí, por outra reta, até o marco no lugar Caldeirão à margem do riacho das Telhas;

Entre o distrito de Ibipetum e o distrito sede do município Morpará:

Começa na ponta sul da serrinha de São João, daí em reta, alcança a serra do Boqueirão, por cujo divisor de águas continua até o seu ponto mais alto, de onde, em reta, atinge o marco no lugar Canabrava do Gomes;

Entre o distrito de Ibipetum e os distritos de Pituba e Sede do município de Gentio do Ouro:

Começa na foz do riacho das Telhas ou de Brotas, no riacho Carranca, sobe por este até sua nascente no morro do Buriti do Ouro; daí atravessando este morro em reta até a nascente do riacho Buriti do Ouro, pelo qual desce até sua foz no riacho Itaquarí, por este abaixo até a sua foz no rio Guariba, pelo qual desce até sua foz no rio Verde;

Entre o distrito de Ibipetum e o distrito sede do município Ipupiara:

Começa no marco no lugar Caldeirão, à margem do riacho das Telhas daí, em reta, até a confluência do riacho da Embaúba com o da Gameleira, e daí, em reta, passando pelo ponto mais alto da serra da Carranca, até alcançar o riacho do mesmo nome.

Povoados do distrito[editar | editar código-fonte]

Araçá, Baixa dos Marques, Baixa de Irineu, Barreiro de Pintada, Barro Branco, Capim de Raiz, Carrapicho, Chiquita, Coxinho, Fazenda Nova, Jurema, Lagoa da Boa Vista, Lagoa Dantas, Lagoa do Alberto, Lagoa do Beto, Matinha, Pedra de Izidro, Pé de Serra, Pintada, Poço Cavalo, Poço de Areia, Pratina, Quebra Machado, Riacho das Telhas, Salto de Pedra, Sodrelândia, Tionílio Machado e outros.

Dados geográficos[editar | editar código-fonte]

  • Latitude: 11º 47’ 46” Sul
  • Longitude: 42º 38’ 29” Oeste
  • Altitude: 682 metros do nível do mar
  • Bacia hidrográfica: São Francisco
  • Região: Chapada Diamantina
  • Ocorrências minerais: amianto, barita, cobre, cristal de rocha, diamante, ferro, manganês, ouro, quartzito, mármore.

População do distrito - total: 3.030[editar | editar código-fonte]

  • Homens:
  • Mulheres:
  • Urbana: 1.143
  • Rural: 1.887

Dados do Censo 2010

Datas comemorativas: históricas e religiosas[editar | editar código-fonte]

  • 30 de dezembro: Aniversário de Ibipetum - Nesta data foi criado o distrito, com sede no antigo povoado de Gameleira, cujo nome foi alterado para Ibipetum, obtendo foro de vila e anexado ao município de Brotas de Macaúbas pela lei estadual nº 628, de 30 de dezembro de 1953 (60 anos), com vigência em 1 de janeiro de 1954;
  • 9 de agosto: Os distritos Ibipetum e Ipupiara foram desmembrados de Brotas de Macaúbas e passam então a pertencerem ao novo município de Ipupiara, criado pela lei estadual nº 1.015, de 09 de agosto de 1958 (56 anos);
  • 13 de Junho: Santo Antonio - Padroeiro de Ibipetum - Os Festejos de Santo Antonio é regado com famoso Forró na Praça, apresentações de Bandas populares e regionais;
  • Maio/Junho: Divino Espírito Santo - 7ª semana após a Páscoa - com o Imperador da Bandeira do Divino;
  • Março/Abril: Semana Santa - As tradições da semana santa ainda é preservada em Ibipetum, com Via-sacra, procissões, subida ao cruzeiro para visita ao pé da santa cruz;
  • 6 de Janeiro: Santo Reis - onde é preservada a tradicional folia de reis, o Reisado de Ibipetum;
  • 25 de Dezembro: Menino Deus - Padroeiro do Bairro Cristo Redentor em Ibipetum - O Natal e comemorado na Igreja Menino Deus, situada na Praça da Paz no Bairro do Cristo Redentor.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

IgSantoAntonio.jpg
  • Igreja Matriz de Santo Antonio

A pedra fundamental de sua construção data de 1930. Construída com fundos arrecadados da comunidade local e trabalhos dos moradores, sua construção é em estilo colonial, com couro e escada de madeir sacristias foram construidas 2 salas, a área externa foi preservada. Em 2010 comemorou 80 anos de evangelização, mas antes já existia a Capela de São Miguel das Figuras (São Miguel Arcanjo).


IgMeninoJesus.jpg
  • Igreja Menino Deus

Foi construída a capela ao lado da casa de Quinca Rico, mais tarde foi construída pela comunidade outra capela no paço central da rua, onde hoje é a Praça da Paz. Em 2003, foi construída a Igreja Menino Deus com contribuições da comunidade.


CentroComunitario.jpg
  • Centro Comunitário "Água Viva"

Fundado em 23 de abril de 1995,a chegada da missionária Dona Eloá Sayão na vila de Ibieptum trouxe grande transformações na sociedade e mobilizou na construção do Centro Paroquial, trazendo cursos para jovens, artesanato e costura para senhoras, festas comemorativas temáticas. Junto com a comunidade local e fundos arrecadados em obras assistenciais, doações de empresários, prefeitura etc. Neste local funciona a Associação do Moradores de Ibipetum, existe também salas e dormitórios do Centro Paroquial e salão comunitário.


Casarões.jpg
  • Casa de Aristides Silva

Uma construção antiga, estilo colonial, com fachada, janelas e vitrais da época. Naquela época era status ter casarão, quanto mais alta a construção media o poder que o homem tinha. As obras do centro histórico de Ibipetum deveria ser tombada pelo patrimônio público municipal, a exemplo da Igreja do Vanique. Hoje o casarão foi reformado, mas manteve a arquitetura da época. A família Silva vendeu para Naldo. Localiza-se na Avenida Santo Antonio esquina da Passagem Particular conhecido como o Beco da Fonte.


Casa FcoSilva.jpg
  • Casa de Francisco Silva

Uma construção antiga em estilo barroco, com fachada, janelas e vitrais da época, uma obra que deveria ser tombada pelo Patrimônio Público. Hoje a casa pertence ao Sr. Milton José da Silva (ex-vereador), mas já pertenceu ao Sr. Francisco Silva, após o falecimento de sua esposa o imóvel foi vendido ao Sr. José Luciano Novais (Ex-Prefeito de Ipupiara), o qual reformou preservando o estilo colonial e ampliou sua área comprando a casa ao lado, e ao Sr. Gesi que vendeu para Milton. Passou por outra reforma recentemente, mas não mudou as características. Localiza-se na Avenida Santo Antonio.


Casa QuincaRico.jpg
  • Casa de Quinca Rico

Construída em 1888, naquela época ele gastou 1 conto de Reis, despertou a curiosidade dos moradores da região que ao passar por Ibipetum, se deslocavam até a Rua de Cima para conhecer a casa que foi gasta 1 conto de reis. Atualmente preservada, a casa pertence ao Vereador Irineu. Localiza-se na Praça da Paz, atrás da Igreja Menino Deus.


Órgãos públicos[editar | editar código-fonte]

  • Mercado Municipal de Ibipetum - Construído em 1952 pela administração de Gaudêncio Oliveira, Prefeito de Brotas de Macaúbas. Sua construção em estilo barroco com grandes portas e janelas, no início era um saguão com dois corredores de acesso, um sentido ao Largo da Memória e outro sentido ao espaço onde foi construído outro saguão em anexo, na administração do Prefeito Artur Gomes da Silva. Em 1997 passou por uma reforma, foi trocado telhado, piso e as paredes foram revestidos de azulejos, foram construídos quatro boxes e banheiro público, a fachada externa foi preservada e recebeu pintura nova.
  • Cartório do Registro Civil e Tabelionato de Notas e Imóveis do Distrito de Ibipetum - O Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais de Ibipetum e o Juizado de Paz, foram instalados em 20 de junho de 1954, tendo como Juiz de Paz o Sr. João Machado Neto e escrevente o Sr. Honorato Silva Filho, onde foi celebrado o casamento número 1, no livro número 1, dos nubentes: Ananias Martins dos Santos e Laudízia Muniz dos Santos.
  • Centro Esportivo de Ibipetum - Em 24 de dezembro de 2006, a Prefeitura entregou à população o Centro Esportivo de Ibipetum, construção: uma quadra esportiva com arquibancadas, banheiros masculino e feminino e um palco.
  • Central Telefônica de Ibipetum - A central telefônica do município foi construída em Ibipetum, ao lado do Colégio Gaudêncio Oliveira, até o ano 2000, as ligações feitas para o município de Ipupiara configurava na conta como Ibipetum, somente após a construção de outra Central Telefônica na cidade que alterou para Ipupiara, as centrais são interligadas com cabos de fibra óptica, prefixo do município 3646. Se Ibipetum vir a se emancipar poderá ter um novo prefixo 3645, já que o município de Brotas de Macaúbas tem o prefixo 3644.
  • Escola Estadual Aristides Silva - Construído pelo Governo do Estado, em 1978, funciona as séries do Nível Fundamental - 2º Ciclo (5ª a 9ª Série), em 2010 foi implantado o nível médio, formando a primeira turma em dezembro de 2012. Sua construção: 4 salas de aulas, salas da administração e professores, pátio e quadra esportiva. em 2012 foi ampliado com mais 2 salas de aula e cobertura da quadra esportiva. Os pontos negativos na sua localização são: a praça não foi urbanizada, as ruas no entorno sem calçamentos, deixando um aspecto ruim.
  • Escola Municipal Dr. Manoel Novais - Construído pelo Governo Municipal, funciona as séries do Nível Fundamental - 1º Ciclo (1ª a 4ª Série). Sua construção: 2 salas de aulas, salas da administração e pátio.
  • Escola Gaudêncio Oliveira - Construído pelo Governo Federal - CODEVASF no projeto vale do São Francisco. Sua construção era 2 salas de aulas, banheiros e um saguão, hoje 2013 continua abandonado, em ruínas, um verdadeiro descaso com a população, onde poderia funcionar uma Escola Técnica Federal com cursos técnicos, inserindo os jovens em uma profissão. O poder público municipal não reforma alegando que a responsabilidade é do Governo Federal e o Governo Federal talvez nem saiba da sua existência. Na época foram construídos os prédios em Pintada, Ipupiara e Ibipetum.
  • Escola Municipal José João Sobrinho - Construído pelo Governo Municipal, administração (1993-1996), funciona as séries do Nível Fundamental - 1º Ciclo (1ª a 4ª Série). Sua construção: 4 salas de aulas, sala da administração e professores, pátio e uma quadra esportiva em anexo, até hoje 2013 continua desativada por falta de manutenção, o poder público municipal ainda não reconstruiu. Pontos negativos: A Praça não foi urbanizada e nem iluminada, a energia elétrica do colégio é um gato do Cartório de Ibipetum que localiza na Rua Dr. Manoel Novais, um verdadeiro descaso com a população.
  • Unidade de Saúde da Família de Ibipetum - O prédio foi construído na administração de Artur Gomes da Silva e passou por uma reforma na administração (2001 - 2004). Passou por outra reforma e ampliação em 2013.
  • Abastecimento de Água - Ibipetum conta com infra estrutura de abastecimento de água da EMBASA, com poços artesianos, dois reservatórios de água, além de abastecer Ibipetum, abastecem parte de Ipupiara e os Povoados de Riacho das Telhas, Riacho da Jurema e Lagoa do Beto.

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Açude - Construído pelo Governo Federal no projeto Vale do São Francisco - CODEVASF, em épocas de chuvas transborda com as águas oriundas do Riacho da Gameleira, Riacho de Umbaúba, Lagoa Aguada e Córrego da Fonte. Após passar por 12 anos desativado pois em dezembro de 2000 sua barragem estourou, o que prejudicou os moradores do distrito. Finalmente em abril de 2013, a CODEVASF começou sua reconstrução, trazendo uma esperança e qualidade de vida ao povo de Ibipetum. Localiza-se na Estrada do Carrapicho, dista a aproximadamente 2 km de Ibipetum.
  • Cristo Redentor - Foi erigida a estátua réplica do Cristo Redentor na Praça da Paz, visitado por moradores de Ibipetum e região.
  • Cruzeiro - Localiza-se na Serra do Cruzeiro ou Serra da Gameleira, o Cruzeiro é visitado ao longo do ano e na Semana Santa por devotos de Ibipetum e região.
  • Lagoa da Carranca - Lagoa constituída por águas cristalinas, conhecida como Lagoa da Carranca para onde afluem muitas pessoas para apreciar as belezas da região. Localiza-se ao leste de Ibipetum, apenas a 19 km, na Estrada de Barra do Mendes.
  • Pintada - Local onde o capitão desertor Carlos Lamarca e José Campos Barreto (Zequinha), foram assassinados pela repressão militar no dia 17 de setembro de 1971, todo ano, em 17 de setembro, é comemorado a morte dos mártires, com cultos ecumênicos, há no local, uma aglomeração de visitantes. Foi construído a Praça Capitão Carlos Lamarca e eregido um monumento em sua homenagem. Está em construção o Santuário dos Mártires no local onde Lamarca e Zequinha tombaram mortos.
  • Serra do Carranca - Faz parte da Chapada Diamantina, nela existem nascentes de águas, riachos, o Rio Guaríba e o Rio Verde, formador da Barragem Mirarós. Localiza-se ao leste de Ibipetum.
  • Serra do Cruzeiro - Localizada ao Sul de Ibipetum, conhecida como serra dos cristais, nesta serra existe garimpos de cristais de rocha, procurada por garimpeiros da região, predominante de mata verdes, propício para trilha e caminhada.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (APEB. Judiciário. SJ/15/91. f. 27 v. Livros de Notas da Capital. Escritura pública, 1751)
  2. “Orçamento da Prefeitura de Brotas de Macaúbas, para o exercício de 1939” (Decreto-lei 63, de 5 de julho de 1938), impresso na "Livraria Catilina", de Romualdo Santos - Livreiro Editor - Rua Portugal, 20, Salvador, Bahia
  3. Depoimentos do Sr. Almerindo Nunes de Freitas, Sr. João Machado Neto, Sr. Antonio Delfino do Nascimento, Sr. Antonio Martins do Santos e Sra. Vitalina Martins dos Santos