Ibirapuera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ibirapuera
Parque ibirapuera.jpg
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Distrito: Moema
Subprefeitura: Vila Mariana
Região Administrativa: Centro-Sul

O Ibirapuera é um bairro nobre localizado na região centro-sul da capital paulista, no distrito de Moema, e cortado pela Avenida Indianópolis

Limita-se com os bairros de: Paraíso, Vila Nova Conceição e Jardim Lusitânia e a região dos Jardins.

História[editar | editar código-fonte]

Ibirapuera, que na língua tupi (ypi-ra-ouêra) significa: "pau podre ou árvore apodrecida" era uma região alagadiça, que fora parte de uma aldeia indígena na época da colonização. No século XIX predominavam chácaras e pastagens na área, assim como nos futuros bairros vizinhos.

Tropas gaúchas acampadas na área do futuro Parque do Ibirapuera durante a Revolução Constitucionalista de 1932.

A primeira edificação da região foi construída em 1822, sendo uma sede de fazenda. Essas propriedades rurais perduraram até o ano de 1922, quando houve um loteamento da região, tornando-a urbana. O desenvolvimento do bairro ocorreu na década de 1960, quando houve a construção da Avenida Santo Amaro, em substituição à antiga estrada de rodagem que ligava o então município Santo Amaro à cidade de São Paulo.[1]

O nome Ibirapuera é usado pelo subdistrito formado em 1935, quando o município de Santo Amaro foi incorporado. Compreendia o distrito policial do Brooklin. Originalmente se estendia do Morumbi ao Jabaquara. Em 1964 foi criado o subdistrito do Jabaquara, que se formou com parte do subdistrito da Saúde e parte do subdistrito do Ibirapuera. Em 1991, houve a nova divisão da cidade em distritos. Permaneceu a divisão anterior nos cartórios de registro civil. O subdistrito do Ibirapuera se estende desde o Real Parque e a Fazenda Morumbi no Morumbi, incluindo o Brooklin e o Campo Belo, até parte da Vila Guarani e do Parque Jabaquara, no Jabaquara.[2]

A partir da inauguração do Parque Ibirapuera no ano de 1954, durante o IV Centenário da cidade, houve a edificação de importantes pontos do município no bairro, tais como: o Comando Militar do Sudeste, o Ginásio do Ibirapuera e a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, além de marcos históricos, a exemplo do Obelisco dos Revolucionários de 1932 e do Monumento às Bandeiras.

Fontes do parque homônimo, ao fundo o Palácio 9 de Julho e o panorama dos edifícios do bairro.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Sua área é ocupada majoritariamente por grandes equipamentos públicos, como: o Parque do Ibirapuera, o Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese, a Assembleia Legislativa de São Paulo e o Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães, além de grandes áreas institucionais, como: o Círculo Militar, o Instituto de Engenharia, o Comando Militar do Sudeste, o Forte do Ibirapuera, dentre outros.

O uso residencial está restrito a algumas quadras do bairro, onde destacam-se edifícios de alto-padrão, sendo uma "Zona de Valor A", classificação do CRECI, tal como: Real Parque, Jardim América e Perdizes.[3] Estes edifícios concentram-se nas proximidades das ruas: Curitiba, Joinville, Tumiaru e Pirapora.

Devido às suas instituições culturais Ibirapuera é um bairro turístico, e sediará mais um museu, será o novo Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, a ser instalado no antigo Detran.[4]

Referências



Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.