Iconha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2008). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Iconha
"Terra da banana"
Escadaria João Paulo II e Igreja Matriz da cidade

Escadaria João Paulo II e Igreja Matriz da cidade
Bandeira de Iconha
Brasão de Iconha
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 11 de novembro de 1890
Gentílico iconhense
Padroeiro(a) Santo Antônio de Pádua
CEP 29280-000
Prefeito(a) João Paganini (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Iconha
Localização de Iconha no Espírito Santo
Iconha está localizado em: Brasil
Iconha
Localização de Iconha no Brasil
20° 47' 34" S 40° 48' 39" O20° 47' 34" S 40° 48' 39" O
Unidade federativa  Espírito Santo
Mesorregião Central Espírito-santense IBGE/2008 [1]
Microrregião Guarapari IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Piúma, Alfredo Chaves, Rio Novo do Sul e Anchieta
Distância até a capital 88 km
Características geográficas
Área 202 920 km² [2]
População 12 523 hab. Censo IBGE/2010[3] [4]
Densidade 61 71 hab/km² hab./km²
Altitude 15 m
Clima tropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,729 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 152 060,801 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 12 808,36 IBGE/2008[6]
Página oficial
Prefeitura http://www.iconha.es.gov.br/
Câmara http://www.iconha.es.leg.br/

Iconha é um município brasileiro do estado do Espírito Santo.[7] Está localizado na BR-101, região de montanha, onde os imigrantes italianos encontraram terras e clima perfeitos para o plantio do café e da banana.[8] Segundo o IBGE, em 2013, a população de Iconha é estimada em 13.548 habitantes.[9]

É a cidade com maior número de caminhões e carretas por habitantes do Brasil, por isso é conhecida por sua tradicional Festa dos Caminhoneiros. Com as fibras de bananeiras os artesãos produzem vários artefatos que já estão sendo exportados para vários países.[8]

História[editar | editar código-fonte]

Segundo historiadores, em meados do século um inglês cavaleiro da fortuna, empresário que á atuara em Campos dos Goytacazes, juntamente com o Barão da Lagoa Dourada, Thomaz Dutton Júnior, conseguiu uma sesmaria na região, fez um trapiche em Piúma e ganhou bom dinheiro exportando toras para a Europa. As madeiras desciam em balsas, manejadas por índios puris, mas, no afã de colonizar a área, o inglês trouxe, de sua terra, famílias de colonos.[8]

Em 1886, o bispo do Rio de Janeiro, Dom Pedro Maria de Lacerda, em visita pastoral à então Província, encontrou-se com Dutton, que descreve como “velho inglês, de aspecto sisudo e simpático, muito cortês”. Esclarece, todavia, o prelado que tanto Dutton como seus colonos eram protestantes. O velho Dutton morreu no começo do século passado e há registro de seu óbito no Cartório de Piúma.[8]

Posteriormente, os portugueses José Gonçalves da Costa Beiriz e Antonio José Duarte formaram uma firma que entrou em conflito judicial contra o inglês, tendo os lusitanos vencido a pendência e introduzido famílias italianas na área, que passou a chamar-se Iconha, talvez em virtude das serras gêmeas que contornam o rio e a vila. Vieram também libaneses, como comerciantes, cujo estudo foi feito em belo discurso por Douglas Puppim, quando tomou posse na Academia Espírito-santense de Letras.[8]

A colonização do atual território de Iconha iniciou-se do litoral para o interior, estabelecendo-se ao longo dos rios e, à proporção que as terras eram cultivadas, a região atingida níveis excelentes de desenvolvimento, beneficiando Piúma, o principal núcleo de todas as áreas existentes.[7]

Nasce o povoado que toma emprestado o nome do rio. Vocábulo atribuído por uns à derivação de inconho, dada a aproximação entre os morros na localidade, enquanto outros atribuem-lhe origem indígena, significando água a arder, pelo fato de haver, na região do Orobó, grande quantidade de turfa.[8]

Foi esta penetração interiorana que deu origem ao povoado de Iconha, provavelmente em meados do século XIX, sendo considerados seus fundadores o coronel Antônio José Duarte e José Gonçalves da Costa Beiriz.[7]

A criação do município, com a denominação de Piúma, data de 2 de janeiro de 1891. A instalação ocorreu a 19 de janeiro de 1891, com território desmembrado do município de Benevente, hoje, Anchieta.[7] Pela Lei estadual nº 81, de 18 de novembro de 1904, Iconha torna-se sede da administração do município de Piúma, que havia sido criado pelo Decreto nº 53, de 11 de novembro de 1890. Em 3 de julho de 1924 passa o município de Piúma a denominar-se Iconha, pela Lei nº 1.428.[8] 

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

São diversas as teorias da origem do nome Iconha: Primeiro, devido a turfa existente no vale do Orobó, que se inflama facilmente que em indígena quer dizer "ICOON", que significa "água a arder". O nome também teria sido originada da palavra "INCONHO", ou seja, "morro ligado a outro existente na margem do rio". Ainda há uma teoria de que Padre José de Anchieta ao visitar a pedra do Frade e a Freira, denominou toda a região de "ICONO", que em espanhol significa "montanhas com aspectos humanos". Por fim, a teoria de que "I-CONY`YA" significa "morada entre duas montanhas".[8]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Demografia é a ciência que estuda a dinâmica populacional humana por meio de estatísticas que utilizam como critérios e religião, educação, etnia entre outros.[10]

O Censo 2010 compreendeu um levantamento minucioso de todos os municípios do país, entre eles, claro, Iconha para colher informações sobre quem somos, quanto somos, onde estamos e como vivemos.

Cor ou Raça[editar | editar código-fonte]

Religião

População[11]

Porcentagem

Amarela 19 0,15%
Branca 8.619 68,83%
Indígena 6 0,05%
Parda 3.612 28,84%
Preta 267 2,13%

Gênero[editar | editar código-fonte]

Gênero

População[12]

Porcentagem

Homens 6.409 51,2%
Mulheres 6.114 48,8%

População[editar | editar código-fonte]

[9] [13]

Religião[editar | editar código-fonte]

Religião População[14] Porcentagem
Católica 10.331 82,50%
Evangélica 1.916 15,30%
Outras cristãs 8 0,06%
Testemunha de Jeová 29 0,23%
Espírita 6 0,05%
Tradições esotéricas 5 0,05%
Sem religião 227 1,81%

Domicílios[editar | editar código-fonte]

Residente

População[12]

Porcentagem

Urbano 7.277 58,1%
Rural 5.246 41,9%

Taxa de Analfabetismo[editar | editar código-fonte]

Ano

Porcentagem[15]

2000 11,7%
2010 8,3%

Geografia[editar | editar código-fonte]

Panorâmica do centro de Iconha.

Reconhecida pela sua boa qualidade de vida, segundo estudos realizados, esta foi eleita a terceira cidade do Espírito Santo neste requisito. Iconha fica localizada ao sul do Espírito Santo. Sua população é, de maioria, descendente de italianos, sendo que, no interior o sotaque ainda é bem nítido.

Situada na micro-região 210, localizada a 90 km de Vitória (capital), a 40 km de Cachoeiro de Itapemirim, polo de desenvolvimento da região sul, e a 10 km das belas praias do sul do Estado, Iconha tem 190 km² (quilômetros quadrados), com topografia acidentada 15% ondulada e apenas 5% plana. Limita-se ao norte com Anchieta, ao sul com Rio Novo do Sul, a leste com Piúma e a oeste com Alfredo Chaves.

A sede municipal está a nove metros de altitude em relação ao nível do mar. O clima tropical (temperado) com temperatura média anual em torno de 23 graus. A maior ocorrência de chuvas se verifica de outubro a janeiro, com a densidade pluviométrica anual em torno de 1209 mm.

As principais serras são[16] : Nova Esperança, Feia, Venezuela, Tapuio, Tocaia, Crubixá e a serra Pontuda que é a mais alta do Município.

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade possui grandes redes de transportadoras de carga rodoviária e casas de auto-peça. Com isso, Iconha é considerado o município com maior número de caminhões e carretas por habitantes do Brasil. [17]

A economia da região é baseada na agricultura. É um dos maiores plantadores de banana do estado, produzindo também café, feijão e milho. A fruticultura – principalmente acerola, goiaba, graviola, laranja e limão – também está em expansão no município. Outra fonte de recursos é o artesanato produzido a partir da fibras de bananeiras, e que já tem, inclusive, como destino a exportação.[16] [17]

Política[editar | editar código-fonte]

Desde a sua emancipação, passando pelo período da ditadura, da redemocratização até 2005, Iconha foi governado pelo mesmo grupo político. Em 1992, o município de Iconha teve candidato único a prefeito, Darcy Marchiori (PDS), tendo esse curioso caso repercussão nacional. A partir das eleições de 1996, o Partido dos Trabalhadores surgiu como principal partido de oposição do município e disputou sucessivas eleições até chegar ao poder em 2005.

Em 2004, em sua terceira tentativa consecutiva, Edelson Paulino (PT) entrou para a história de Iconha sendo eleito o primeiro prefeito eleito da oposição, superando o candidato José Alberto Valiati (PSDB), candidato apadrinhado pelo então prefeito Dercelino Mongin (PP) que governou Iconha entre 1997 e 2004.[18]

Nas eleições de 2008, o ex-prefeito Dercelino Mongin voltou a se candidatar trazendo como vice de chapa um dos maiores empresários da região, João Paganini, proprietário de duas grandes transportadora de cargas do Espírito Santo, dentre outros grandes empreendimentos. Delso, como é popularmente conhecido, venceu o pleito com 56% dos votos válidos, superando o então prefeito Edelson Paulino.[19] As eleições de Iconha de 2008 foi umas das mais conturbadas da história da cidade, marcada por diversas denúncias de compras de votos, abuso de poder político e econômico. No dia 30 de setembro daquele ano, o gabinete do prefeito foi alvo de tiros. Segundo testemunhas, um homem disparou cerca de dez vezes na direção do gabinete do prefeito.[20]

Cassação[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2009, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou o mandato do prefeito de Iconha, Dercelino Mongin (PP) e de seu vice, João Paganini (PMN). Além de perderem os mandatos, ambos ficariam inelegíveis por um período de três anos. O prefeito e seu vice foram condenados por captação ilícita de votos e de abuso de poder econômico pela Corte Eleitoral. Durante as eleições de 2008, no dia 3 de setembro de 2008, os acusados registraram no Cartório 1º Ofício de Iconha um Termo de Compromisso em que se comprometiam com a comunidade Taquaral que, mesmo que não vencessem as eleições, iriam asfaltar e iluminar o trecho com recursos próprios. A prática, logicamente, se configura como crime eleitoral, expressos na tentativa de compra de votos e abuso de poder econômico. Porém, o ministro Marcelo Ribeiro, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), concedeu liminar pedindo a manutenção do prefeito. Os acusados recorreram à Justiça sem deixar a função. A decisão provisória suspendeu os efeitos do Acórdão 41 do TRE. Delso Mongin e seu vice foram absolvidos no julgamento do Recurso Especial interposto na Corte Superior do TSE.[21]

Em 2012, o vice-prefeito João Paganini foi eleito prefeito da cidade, pelo PSB, com 52% dos votos válidos, superando a primeira candidata mulher da história de Iconha, Santa Donatelli (PMDB) que se lançou candidata com o apoio do PT.[22]

Histórico de Eleições[editar | editar código-fonte]

Eleição para prefeito de Iconha em 1996[23]
Partido Candidato Votos Votos (%)
  PPB Dercelino Mongin 3 417
 
53,39%
  PT Edelson Paulino 2 983
 
46,61%
Totais 6 400  


Eleição para prefeito de Iconha em 2000[24]
Partido Candidato Votos Votos (%)
  PP Dercelino Mongin 3 611
 
47,48%
  PT Edelson Paulino 3 368
 
44,28%
  PFL José Manoel Monteiro de Castro 627
 
8,24%
Totais 7 606  


Eleição para prefeito de Iconha em 2004[25]
Partido Candidato Votos Votos (%)
  PT Edelson Paulino 4 313
 
50,17%
  PSDB José Alberto Valiati 4 284
 
49,83%
Totais 8 597  


Eleição para prefeito de Iconha em 2008[26]
Partido Candidato Votos Votos (%)
  PP Dercelino Mongin 4 887
 
56,15%
  PT Edelson Paulino 3 817
 
43,85%
Totais 8 704  


Eleição para prefeito de Iconha em 2012[27]
Partido Candidato Votos Votos (%)
  PSB João Paganini 4 664
 
52,11%
  PMDB Santa Donateli 4 286
 
47,89%
Totais 8 950  

Turismo[editar | editar código-fonte]

A natureza e área rural propicia belos passeios que circundam o Rio Iconha num percurso com quedas d'água, cachoeiras, mata atlântica e opções de lazer e agroturismo.

Junto aos produtos da agricultura familiar também foram se espalhando as construções típicas, hábitos e tradições dos europeus. Na gastronomia vinhos, polenta, biscoitos e doces da culinária italiana. O artesanato é diversificado e destaca-se a fibra da bananeira, encanta com as peças decorativas e os traçados dos baús, cestas e bolsas.

Uma história cheia de trabalho, fé e a cultura que se mantém até hoje, em vilarejos onde famílias italianas ainda vivem em casas típicas com varandas e jardins floridos, cercados por vales e cachoeiras. Esta história está exposta na Casa da Cultura do município.

Um povo alegre e hospitaleiro, as belezas naturais, a farta culinária, a tranqüilidade do campo e a arquitetura de imigrante, fazem de Iconha um lugar apreciável e não um lugar de passagem, mas um agradável destino, para todos os tipos de público que desejam desfrutar das diversificadas opções do turismo rural do município. Natureza, cultura e vida é o slogan que o município designou para representar o seu turismo rural.

Situada entre montanhas, Iconha tem como um dos principais atrativos turísticos a natureza, por suas cachoeiras, mata atlântica, que propiciam o agroturismo, destacando-se os sítios Tokaia do Vale e Vida e as cachoeiras Salto Grande e do Meio. Outra opção é a visita ao Alambique Cachaça Pedra D'Água e o voo livre na comunidade de Solidão.

Em Iconha está instalado o 'PIT' – Posto de Informação Turística da Rota da Costa e da Imigração.

Festas e eventos[editar | editar código-fonte]

Festa da Polenta: na comunidade de Solidão, interior do município, no princípio de maio. O destaque é o almoço típico italiano (polenta, macarrão, galinha, queijo, linguiça, vinho).

Festa do Padroeiro Santo Antônio: em junho. A festa começa com a trezena de Santo Antônio nas comunidades. E acontece um almoço comunitário. À noite, procissão, missa, shows e barraca com comidas típicas.

Festa Agropecuária de Iconha: com exposição de gado e cavalos, concurso leiteiro e de marcha, rodeios, shows e barracas de comes e bebes.

Festa dos Caminhoneiros: em julho. Essa festa, que dura cinco dias, só podia acontecer em Iconha, conhecida como a Capital dos Caminhoneiros do Espírito Santo, por ser a sede de grandes empresas de transportes e cargas, algumas delas com centenas de empregados. A festa atrai centenas de caminhoneiros e milhares de visitantes, com intensa programação de shows, torneios esportivos, atividades religiosas e dezenas de estandes com diversas marcas de veículos e peças, onde são vendidos dezenas de caminhões. O ponto alto da festa é a Missa dos Caminhoneiros, no domingo pela manhã, seguida da carreata dos caminhoneiros, mas a maior atração do evento é o bingo de um cavalo mecânico Scania 0 km, no último dia da festa.

Festa da Cultura Italiana: apresentação de corais e danças folclóricas italianas, missa celebrada e cantada em italiano, exposição dos objetos do museu da cultura italiana, desfile e eleição da garota italiana, comidas típicas e shows com cantores e bandas Italianas.

Festa de Emancipação do Município: em 11 de novembro. Shows, baile de gala, palestras relacionadas a história do município e exposição de fotos e outros objetos que fazem parte da história de Iconha.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. IBGE. Síntese de Informação. Visitado em 11 de abril de 2014.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  7. a b c d Histórico do Município, IBGE. Iconha, ES. Página acessada em 11 de abril de 2014.
  8. a b c d e f g h Prefeitura Municipal de Iconha. Iconha, Espírito Santo, Brasil. Página acessada em 11 de abril de 2014.
  9. a b IBGE. Informações Completas. Iconha, Espírito Santo. Página acessada em 11 de abril de 2014.
  10. Infoescola. Sociologia. Demografia. Faria, Caroline. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  11. IBGE. Iconha, Espírito Santo. Censo demográfico 2010: resultados do universo - características da população e dos domicílios. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  12. a b IBGE. Iconha, Espírito Santo. Censo demográfico 2010: sinopse. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  13. IBGE. Iconha, Espírito Santo. infográficos: evolução populacional e pirâmide etária. Página acessada em 11 de abril de 2014.
  14. IBGE. Iconha, Espírito Santo. Censo demográfico 2010: resultados da amostra - religião. Página acessada em 11 de abril de 2014.
  15. IBGE. Iconha, Espírito Santo. Censo demográfico 2010: resultados do universo - indicadores sociais municipais. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  16. a b Fonte: http://www.iconha.es.gov.br/
  17. a b Banestes patrocina 13ª Festa dos Caminhoneiros em Iconha. Visitado em 15 de março de 2014.
  18. UOL Eleições 2004. Apuração Iconha/ES. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  19. UOL Eleições 2008. Apuração Iconha/ES. Página acessa em: 11 de abril de 2014.
  20. BOL Notícias. Gabinete de prefeito de Iconha é alvo de dez tiros. 01 de outubro de 2008. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  21. TSE mantém prefeito de Iconha no cargo A Gazeta GazetaOnline - Globo (09 de março de 2009). Visitado em 13 de agosto de 2011.
  22. UOL Eleições 2012. 1º turno. Iconha/ES. Página acessada em: 11 de abril de 2014.
  23. Resultado da Eleição 1996Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Página acessa em 11 de abril de 2014.
  24. Resultado da Eleição 2000Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Página acessa em 11 de abril de 2014.
  25. Resultado da Eleição 2004Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Página acessa em 11 de abril de 2014.
  26. Resultado da Eleição 2008Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Página acessa em 11 de abril de 2014.
  27. Resultado da Eleição 2012Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Página acessa em 11 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]