Identificador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Um identificador é um nome que identifica (ou seja, rotula a identidade de) um objeto único ou uma única classe de objetos, onde o "objeto" ou classe pode ser uma idéia, objeto (ou classe dele) físico [contável], ou substância (ou classe dela) física [incontável]. A abreviação ID frequentemente se refere à identidade, identificação (o processo de identificação) ou um identificador (ou seja, uma instância de identificação). Um identificador pode ser uma palavra, número, letra, símbolo ou qualquer combinação desses.

Metadados[editar | editar código-fonte]

Em metadados, um identificador é um rótulo independente de linguagem, sinal ou símbolo que identifica um objeto dentro de um esquema de identificação.

O identificador de sufixo é também utilizado como um termo de representação na nomeação de um elemento de dados.

Em ciência da computação[editar | editar código-fonte]

Em ciência da computação, identificadores (IDs) são tokens léxicos que nomeiam entidades. O conceito é análogo àquele de um "nome". Identificadores são usados extensivamente em virtualmente todos os sistemas de processamento de informação. A nomeação de entidades torna possível referir-se a elas, o que é essencial para qualquer tipo de processamente simbólico.

Em linguagens de computador[editar | editar código-fonte]

Em linguagens de computador, identificadores são tokens de texto que nomeiam entidades da linguagem, sendo também chamados "símbolos". Entidades nomeadas incluem variáveis, tipos de dado e subrotinas. Na maioria das linguagens, algumas cadeias de caracteres possuem a forma léxica de um identificador, mas são conhecidas como palavras chave.

Cada linguagem de computador também possui a liberdade de especificar restrições na formação de um identificador. Por exemplo, em versões antigas de C e C++ os identificador devem ser formados somente por letras ASCII, dígitos (não pode aparecer na primeira posição) e o caractere sublinhado. Versões mais modernas permitem quase todos os caracteres Unicode, mas ainda assim proíbem espaços em branco e operadores.

Em linguagens de programação compiladas, identificadores são entidades geralmente usadas somente em tempo de compilação. Em tempo de execução, o programa possui somente referências à memória, atribuídas pelo compilador. Em contrapartida, em linguagens interpretadas os identificadores são entidades geralmente usadas também em tempo de execução.

Identificador único[editar | editar código-fonte]

Identificadores utilizados em um contexto muito amplo podem perder o seu "poder de resolução", ou seja, a capacidade de identificar. Quando queremos designar "identificador em contexto de não-ambiguidade" nos referimos a ele como identificador único.

Identificador Único Global[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Um Identificador Único Global ou GUID (do inglês, Globally Unique IDentifier) é um tipo especial de identificador utilizado em aplicações de software para providenciar um número de referência que será único em qualquer contexto (por isso é "Universal") como, por exemplo, em uma definição de referência interna para um tipo de ponto de acesso em uma aplicação de software ou para a criação de chaves únicas em um banco de dados. Apesar de que cada GUID gerado não possui nenhuma garantia de ser único, o número total de chaves únicas (2128 ou ~3.4×1038) é tão grande que a probabilidade do mesmo número ser gerado duas vezes é muito pequena. Por exemplo, considerando que o Universo Observável contém 5x1022 estrelas, cada estrela poderia ter ~6.8×1015 dos seus próprios GUIDs.

O termo GUID geralmente se refere à implementação da Microsoft do padrão UUID (Universally Unique Identifier, ou em português Identificador Único Universal); no entanto, muitas outros softwares utilizam o termo GUID incluindo o Oracle Database, dBase, OpenView Operations e o Novell eDirectory. O GUID também é a base para a GUID Partition Table (Tabela de Partição GUID), substituta da Intel para a MBR sobre a EFI.

O valor do GUID segue o layout de grupos de 8, 4, 4, 4 e 12 dígitos hexadecimais e minúsculas, separados por hífens. Um exemplo de um valor válido para um GUID: 561d1cc4-c7b5-431e-94a7-e0c2ed9a8d2c

Ícone de esboço Este artigo sobre programação de computadores é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.