Igreja Nossa Senhora da Conceição (Porto Alegre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fachada antes do restauro

A Igreja Nossa Senhora da Conceição é um templo da Igreja Católica localizado na Avenida Independência, defronte à praça Dom Sebastião, em Porto Alegre, Brasil.

Histórico da devoção[editar | editar código-fonte]

A devoção a Nossa Senhora da Conceição, no Brasil, remonta ao período da restauração da soberania lusa em Portugal, quando em 1646 Dom João IV, com o auxílio de fidalgos, assumiu o poder e encerrou a dominação espanhola, atribuindo o sucesso do evento à interecessão de N.S. da Conceição. Em agradecimento, o novo monarca declarou-a Rainha e Padroeira de Portugal, e determinou que a Virgem sob esta denominação fosse cultuada em templos ou capelas em todas as cidades e vilas da Metrópole e das colônias, onde se incluía o Brasil.1

No Rio Grande do Sul a primeira igreja dedicada a N. S. da Conceição foi erguida em Viamão, em 1741. Mais tarde, com a proclamação do dogma da Imaculada Conceição pelo Papa Pio IX, em 1854, a devoção Mariana se fortaleceu.1

O prédio[editar | editar código-fonte]

Altar-mor com imagem da Padroeira
Altar de São Joaquim

Em Porto Alegre a Irmandade de Nossa Senhora da Conceição iniciou suas atividades instalando um altar a Maria na antiga Matriz. Após desentendimentos acerca do local onde deveria ser edificado um templo próprio, Rafaela Pinto Bandeira doou, em 1847, um terreno na Estrada de Cima, atual avenida Independência, para construção da igreja, onde permanece até hoje.1

A pedra fundamental foi lançada em 8 de dezembro de 1851, sendo o edifício parcialmente concluído sete anos depois, contando nesta época com uma única nave e uma capela-mor. Em 8 de fevereiro de 1858 trasladou-se, em meio a festividades, a imagem da Padroeira desde a Matriz até sua nova casa. Em 5 (ou 8) de dezembro do mesmo ano a capela foi benzida e inaugurada solenemente, sendo subordinada à paróquia de Nossa Senhora do Rosário. O templo foi finalmente terminado com a elevação do frontispício e das torres em 1880.1

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição é uma das mais antigas e bem conservadas da Capital gaúcha, mantendo praticamente intactas suas características originais. Seu estilo segue os padrões do barroco colonial tardio, com paredes grossas, linhas simples e fachada sóbria, reservando as ornamentações para os altares internos, coro e teto. O risco do prédio e as talhas internas são de autoria de João do Couto e Silva. Na decoração do interior observa-se alguma influência do estilo neoclássico.1

O conjunto da capela-mor, delimitada por um arco pleno ricamente entalhado, inclui tribunas, a mesa de celebração e atrás um grande altar em escada com uma série de anjos ajoelhados (que parecem ser um acréscimo posterior) conduzindo o olhar até a imagem da Padroeira no topo, abrigada em um nicho com baldaquino. A bibliografia refere que antigamente sob a mesa estava a imagem de São José da Boa Morte, mas hoje ela se acha junto à primeira capela lateral à direita.1

A nave da igreja tem as paredes despidas de ornatos, mas tanto os altares laterais como as tribunas ostentam profusa decoração em entalhes, douraduras e pintura marmorizada. Os seis altares laterais são devotados ao Sagrado Coração de Jesus, a São Manuel, São Joaquim, Nossa Senhora da Glória, São Francisco de Paula e Santo Expedito.2

O teto é simples, em abóbada de berço truncada, mas apresenta caixotões delicados, apenas sugeridos, e grandes medalhões de onde pendem lustres de cristal. Onde o forro encontra as paredes corre um largo friso de belo desenho. O coro sobre a entrada principal é também ricamente adornado com talhas douradas e gradis em ferro trabalhado, com desenho sinuoso apoiado em colunas de madeira que delimitam três arcos abatidos. Arrematando a decoração do coro, acima das janelas frontais existe um grande friso entalhado com volutas, elementos fitomorfos e instrumentos musicais. À entrada, a porta central desemboca num átrio, com outra porta centralizada que serve como pára-vento, decorada com vitrais, e duas portas laterais.1

Algumas das imagens existentes nesta igreja são de grande expressividade e riqueza plástica, como a da Padroeira, que pertenceu à Matriz de Porto Alegre, foi transferida para a Igreja do Rosário e finalmente encontrou aqui seu lugar definitivo, sendo uma bela produção da arte escultórica portuguesa do século XVIII. Outra imagem de grande beleza é a de São Joaquim, com panejamentos movimentados e pintura a ouro.2

Atualmente (2012) a igreja passa por um processo de restauro integral. A primeira fase foi concluída, recuperando a nave, a capela-mor, a casa paroquial e a fachada. A segunda etapa está em fase de captação de recursos, prevendo a recuperação da rede elétrica e hidro-sanitária, dos pátios, da sacristia, das salas de catequese, da estatuária e alfaias e instalação de climatização.3

Interior antes do restauro

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g Vargas, Élvio (editor). Torres da Província: História e Iconografia das Igrejas de Porto Alegre. Porto Alegre: Prefeitura de Porto Alegre/FUMPROARTE, sem data.
  2. a b Igreja Nossa Senhora da Conceição. Folheto descritivo publicado pela Paróquia. Porto Alegre, 2005
  3. "Restauração da Igreja da Conceição: história e fé preservadas". Jornal Floresta, 22 de Agosto de 2011, ano VII, nº 78, pp. 6-7