Igreja de Nossa Senhora do Ó (Sabará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se procura igrejas da mesma devoção em outras localidades, consulte Igreja de Nossa Senhora do Ó

Capela de Nossa Senhora do Ó

A Igreja de Nossa Senhora do Ó, também chamada de Capela de Nossa Senhora do Ó e Capela do Ó, é um das edificações católicas construídas durante o século XVIII na cidade brasileira de Sabará, Minas Gerais.

É considerada por Germain Bazin "uma das criações mais requintadas da arte barroca", "um pequeno espaço que louva a glória da Rainha do Céu",[1] apesar de ser pequena e singela por fora.[2]

Traços chineses, chamados de "chinesices",[2] também são encontrados nesta capela, em painéis vermelhos com desenhos em ouro; ao lado de cada cruzeiro na talha dourada de painéis octogonais de fundo azul, nas figuras de pagodes e pássaros[1] e personagens bíblicos com olhos puxados.[2]

As pinturas da nave mostram narrações bíblicas, especialmente em relação a aparições marianas. As pinturas do teto mostram símbolos das ladainhas.[1]

No altar-mor, aparece uma "das virgens mais delicadas que Portugal produziu no século XVIII".[1]

A talha em estilo D João V desta capela de 1717[3] ou 1719[2] é mais harmônica em comparação com a de outros templos mineiros da mesma época. O retábulo, arco-cruzeiro, entablamentos e molduras integram a mesma linguagem profusamente barroca, "se adequando ao gosto orientalizante do ambiente através da policromia em ouro, vermelho e azul".[4]

A luz suave chega somente da fachada e interfere no brilho interior, acentuando ou mostrando as figuras e detalhes de sua talha.[1]

Sylvio de Vasconcellos cita que a capela é o "próprio ouro das Minas. Por fora, cascalho rude; por dentro o mais valioso metal. Por fora posta em modéstias; por dentro esplendendo em belezas".[3]

Referências

  1. a b c d e BAZIN, Germain. A arquitetura religiosa barroca no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1983. v.2, p.340
  2. a b c d Barroco mineiro também tem olhos puxados. (12 de fevereiro de 2009). IEPHA-MG
  3. a b LEFÈVRE, Renée; VASCONCELLOS, Sylvio de. Minas: cidades barrocas. São. Paulo, Cia. Editora Nacional, 1968, p.18
  4. ÁVILA, Affonso. Iniciação ao Barroco Mineiro (colaboração Cristina Ávila Santos). São Paulo: Nobel, 1984. p.46

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.