Igreja de São Martinho de Cedofeita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Igreja românica de Cedofeita.

A Igreja de São Martinho de Cedofeita (também conhecida como Igreja Românica de Cedofeita) é considerada a igreja mais antiga da cidade do Porto, em Portugal.

Não se sabe quando terá sido construída a igreja original, sendo no entanto pacífica a ideia de que será um resquício da povoação sueva, que se localizava em Cedofeita. Uma das teorias maioritárias entre os historiadores[carece de fontes?] é a de que terá sido erguida pelo rei suevo Reciário em 446. Outros defendem que foi o rei Teodomiro, também suevo, quem a mandou construir, em 559, tendo sido baptizado nela conjuntamente com o seu filho Ariamiro.

A acreditar nesta última versão da história, o nome de Cedofeita será uma referência à igreja. Conta a lenda que Teodomiro, desesperado porque não encontrava cura para a doença do Ariamiro, recorreu a São Martinho de Tours, enviando a esta cidade embaixadores com ofertas de prata e ouro em peso igual ao do seu filho. Acabou por ser o bispo de Braga São Martinho de Dume o portador de uma relíquia de São Martinho de Tours, perante a exposição da qual o filho do rei foi curado, e todo o povo suevo presente convertido ao catolicismo. Esta relíquia está guardada nesta igreja de Cedofeita, juntamente com outras do evangelizador dos suevos, o bispo de Braga e de Dume. Teodomiro ordenou o início da construção de uma nova igreja em honra do referido santo. O templo foi construído com tal celeridade que se terá dito acerca dele Cito Facta, o que significa Feita Cedo, derivando em Cedofeita.

Portal do lado sul.

A igreja foi alvo de sucessivas transformações, adquirindo um traço românico quando foi erguido no mesmo local o Mosteiro de Cedofeita no início do século XII. Em 1742 o prior D. Luís de Sousa Carvalho ordenou várias modificações, dando-lhe o desenho que hoje vemos. Em 1930 a Direcção dos Edifícios e Monumentos Nacionais reconstruiu-a de forma a eliminar alguns elementos ornamentais colocados ao longo dos tempos.

Nova Igreja de São Martinho de Cedofeita[editar | editar código-fonte]

Ao lado da igrejinha, que durante muitos anos serviu de paróquia, ergue-se o templo, bem mais moderno, que é a sede paroquial dos nossos dias. A iniciativa da construção desta nova igreja foi do prior D. António Maria Correia de Bastos Pina.

A primeira pedra foi benzida em 1 de Outubro de 1899 pelo bispo D. António Barroso.

Na construção da igreja utilizaram-se alguns materiais do extinto convento da Avé Maria, demolido para dar lugar à estação ferroviária de S. Bento. Para o novo templo foram também cedidas imagens, alfaias e paramentos que eram da igreja do extinto convento.

No dia 8 de Dezembro de 1906, o bispo D. António Barroso celebrou a primeira missa numa dependência improvisada em capela. Mais tarde esse local seria destinado a cartório paroquial.

Entre 1925 e 1932, paroquiou a igreja de Cedofeita António Valente da Fonseca, que viria a ser bispo de Vila Real. Foi ele que deu continuidade às obras da nova igreja, concluindo a capela-mor e o coro que foram inaugurados em 11 de Novembro de 1929.

Já nos nossos dias e por iniciativa do actual pároco, padre Orlando Mota e Costa, entretanto elevado à dignidade de cónego, foi construída a elegante torre sineira

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Silva, Germano Marques da (1996) - Cedofeita. Porto: Edições Afrontamento. ISBN 9723604051.
  • Soares,Luís Ribeiro(1997)-"A Linguagem Cultural de S.Martinho de Dume". Imprensa Nacional-Casa da Moeda.ISBN 972-27-0873-2.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja de São Martinho de Cedofeita