Il Saggiatore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Frontispício de Franceso Villamenapara O Ensaiador

Il Saggiatore (em italiano) ou O Ensaiador foi um livro publicado em Roma por Galileu Galilei, em outubro de 1623.

O livro era uma polêmica contra o tratado sobre os cometas de 1618, feito pelo padre Orazio Grassi, um matemático jesuíta no Collegio Romano. Sobre este assunto Grassi, apesar de todo seu Aristotelismo, estava certo e Galileu errado. Galileu incorretamente tratava os cometas como uma miragem em vez de um objeto real.

Em 1616 Galileu foi silenciado sobre o Cpernicanismo. Em 1623 seu apoiador e amigo, Cardeal Maffeo Barberini, um antigo patrono do Linceu e tio do Cardeal Franceso Barberini, se tornou o Papa Urbano VIII. A eleição de Barberini pareceu garantir a Galileu o apoio no mais alto nível da Igreja. Uma visita a Roma confirmou isto.

A página com o título do O Ensaiador mostra o brasão da família Barberini, com três abelhas obreiras. Em O Ensaiador, Galileu examina as idéias de astronomia de um jesuíta, Orazio Grassi, e as acha fracas. O livro foi dedicado ao novo papa. A página título também mostra que Urbano VIII empregou um membro do Linceu, Cesarini, como alto funcionário papal. O livro foi editado e publicado por membros do Linceu.

Novamente Galileu insiste que a física deve ser expressa de forma matemática. De acordo com a página título, ele era o filósofo ou físico do Grão Duque de Toscana, não apenas o matemático. A física ou filosofia natural envolve uma gama que vai dos procesos de geração e crescimento (representados por uma planta) à estrutura física do universo, representada pela seção do cosmos. A matemática, por outro lado, é simbolizada por telescópios e um astrolábio. Este é o livro que contém a frase mais famosa de Galileu de que a matemática é a linguagem de Deus. Somente através da matemática se pode chegar à verdade na física. Os que negligenciam a matemática ficam perdidos em um labirinto escuro. No livro1 :

A filosofia [i.e., a física] encontra-se escrita neste grande livro que continuamente se abre perante nossos olhos (isto é, o universo), que não se pode compreender antes de entender a língua e conhecer os caracteres com os quais está escrito. Ele está escrito em língua matemática, os caracteres são triângulos, circunferências e outras figuras geométricas, sem cujos meios é impossível entender humanamente as palavras; sem eles nós vagamos perdidos dentro de um obscuro labirinto.

Apesar de O Ensaiador conter uma magnífica polêmica a favor da física matemática, ironicamente seu ponto principal foi para ridicularizar um astrônomo matemático. Desta vez, o alvo da ironia e sarcasmo de Galileu era a teoria cometária de um jesuíta, Orazio Grassi, que alegava a partir da paralaxe que os cometas se moviam além da Lua. Galileu equivocadamente tinha os cometas como uma ilusão de óptica.

O tom polêmico de Galileu selo a oposição da ordem dos Jesuítas a ele. Entretanto, o livro foi lido com prazer à mesa de Urbano VIII, que escreveu um poema elogiando a performance retórica de Galileu.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Galileu Galilei, com o texto de O Ensaiador, editora Nova Cultural, 2004, (coleção Os Pensadores), página 46

Outras fontes[editar | editar código-fonte]

  • Galileo Galilei, Il Saggiatore (em italiano) (Roma, 1623); The Assayer, tradução ao inglês Stillman Drake and C. D. O'Malley, em The Controversy on the Comets of 1618 (University of Pennsylvania Press, 1960).
  • Pietro Redondi, Galileo eretico , 1983); Galileo: Heretic (trad.: Raymond Rosenthal) Princeton University Press 1987 (reprint 1989 ISBN 0-691-02426-X); Penguin 1988 (reprint 1990 ISBN 0-14-012541-8)