Ilha Hashima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hashima
Hashima está localizado em: Japão
Hashima
32° 37' 40" N 129° 44' 18" E
Geografia física
País Japão
Localização Ásia Oriental
Geografia humana
População 0 (-)
Densidade 0 hab./km²
Nagasaki Hashima 01.png
A ilha vista do oceano

Ilha Hashima (端島, ou somente Hashima, pois o sufixo -shima significa "ilha" em japonês), comumente chamada Gunkanjima ou Gunkanshima (軍艦島; "Ilha Encouraçado" em português), é uma das 505 ilhas não habitadas da província de Nagasaki, distante aproximadamente 15 quilômetros da cidade de Nagasaki. A ilha foi povoada de 1887 a 1974, quando serviu como base de extração de carvão. O local é notável por suas imensas construções de concreto abandonadas em meio ao oceano. É administrada como parte de Nagasaki desde 2005, pertencendo anteriormente à antiga cidade de Takashima.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Localização da ilha.
Vista aérea da ilha.

Em 1890, durante a industrialização do Japão, a Mitsubishi comprou a ilha e começou o projeto de extração de carvão em minas submarítimas. No local foi construído o primeiro edifício de concreto de largas proporções do Japão, um bloco de apartamentos concluído em 1916 para acomodar a cada vez mais crescente massa de trabalhadores.

A população da ilha alcançou seu ápice em 1959, com 5259 habitantes, uma densidade populacional de 835 pessoas por hectare em toda a extensão da ilha, ou 1391 por hectare no distrito residencial. Com a substituição do carvão por petróleo no Japão durante a década de 1960, as minas de extração do mineral começaram a ser fechadas por todo o país, e as de Hashima não foram exceção. A Mitsubishi anunciou oficialmente o encerramento de suas atividades na ilha em 1974, e o local foi totalmente evacuado, passando a ser conhecido como "Ilha Fantasma". O acesso à Hashima só foi restabelecido em 22 de abril de 1999, mais de 20 anos após o fechamento.[2] [3]

Em 2008, uma ONG protocolou junto à Unesco um pedido para que a ilha se tornasse Patrimônio Mundial da Humanidade.[4] No ano seguinte, um pequeno trecho de Hashima foi reaberto para visitas turísticas.[5]

Em 23 de junho de 2013, o Google enviou um funcionário à ilha para registrar imagens panorâmicas em 360 graus para seu serviço Street View.[6]

Referências

  1. Japan Encyclopedia, pág. 294 - Louis Frédéric - Harvard University Press - ISBN 9780674017535 (2005)
  2. "Hashima: The Ghost Island" - In Crossroads: A Journal of Nagasaki History and Culture
  3. "Abandoned 'Battleship Island' to reopen to public in Nagasaki" - The Mainichi Daily News
  4. "Deserted 'Battleship Isle' may become heritage ghost ship". The Japan Times
  5. "Abandoned 'Battleship Island' to reopen to public in Nagasaki". The Mainichi Daily News
  6. Google Street View mapeia ilha abandonada de filme de 007. Terra (2 de julho de 2013). Página visitada em 2 de julho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ilha Hashima