Ilha Nublar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.

A Ilha Nublar (ou Isla Nublar em espanhol) é uma ilha fictícia da série de livros e respectivamente filmes de Jurassic Park - Parque dos Dinossauros. É conhecida como o "Sítio A" ou "Ponto A", estando a 120 milhas (190 km) da Costa Rica. No começo do filme é mostrado uma ilha de La Palma, nas Ilhas Canárias.

Nome[editar | editar código-fonte]

Isla Nublar significa em espanhol "Ilha das Nuvens". Nublar [1] não é um substantivo espanhol, mais um verbo, portanto, a forma correta de se escrever em espanhol é Isla de las Nubes, Isla Nublada, Isla Nubosa ou ainda Isla Nebulosa.

Geologia[editar | editar código-fonte]

A Ilha Nublar não é considerado uma ilha verdadeira; na realidade é um monte submarino; cuja rocha é de original vulcânica, de forma semelhante à ilha do Havaí. O calor produzido no antigo vulcão fornece energia geotérmica para a eletricidade do parque, por causa disto a ilha é quente em algumas áreas. A ilha é coberta por névoa, devido ao calor e às correntes marítimas.

O clima é tropical, com selvas densas e dois rios que correm através das costas leste e norte da ilha. A ilha é descrita nos livros como tendo forma irregular.

A ilha mede 8 milhas (13 quilômetros) e 3 milhas (4.8 quilômetros) no ponto mais largo, com uma área total de aproximadamente 22 milhas quadradas (57 km²). O pico mais elevado da ilha é de aproximadamente 2.100 pés (640 m). Nos livros a ilha é próxima as "Las Cinco Mujeres" ("as cinco mulheres"), porém, devido ao perigo que os dinossauros representam nas ilhas, estas ficaram com uma má reputação entre pescadores e o nome foi distorcido as "Las Cinco Muertes" ("as cinco mortes"), dentre elas está a Ilha Sorna, o Sítio B. Porém uma outra fonte indica que elas se chamavam "Las Cinco Muertes" desde o começo. O mapa do trailer do segundo filme indica que as cinco ilhas se chamam: Isla Matanceros, Isla Muerta, Isla Sorna, Isla Tacano, e Isla Pena. O mapa não mostra a posição da Ilha Nublar, implicando que ela pode estar localizada mais perto do Panamá.

Jurassic Park[editar | editar código-fonte]

A Ilha Nublar foi "alugada" do governo costariquenho pela empresa de biotecnologia InGen, cujo presidente é o bilionário John Hammond. Lá foi construído o Jurassic Park - Parque dos Dinossauros, um zoológico e parque de diversões cujas atrações são dinossauros trazidos de volta à vida pela genética, exibidos em cercas elétricas. Hammond "não poupou despesas para realizar seu sonho de clonar dinossauros". No livro é explicado que o nome Jurassic Park foi dado, não porque as espécies do parque pertencem ao perído Jurássico, já que são demonstradas espécies principalmente do cretácio, tal qual o T-Rex e o Velociraptor, mais sim porque segundo Hammond, este nome "cai melhor", ainda segundo Hammond, os preços para visitar o parque seriam acessíveis a todas as pessoas "e não somente para os super-ricos", como mencionou um de seus advogados Donald Gennaro. Até aquele momento, a única atração pronta do parque era uma excursão de carros pela ilha.

Dennis Nedri, um gênio responsável pelos sistemas de computadores e pelo funcionamento dos equipamentos do parque, acaba sendo pago por uma empresa rival da InGen para roubar embriões de dinossauros, para não ser filmado ele desliga a energia e outros sistemas, provocando uma crise que liberta os dinossauros e provoca o terror e a morte de visitantes e funcionários, incluindo o próprio Nedri.

Operação[editar | editar código-fonte]

Um mosquito fossilizado em âmbar.

Conforme explicado em um documentário mostrado no Centro de Visitantes do Jurassic Park, o sangue que possibilitou a clonagem dos dinossauros foi extraído de mosquitos fossilizados em âmbar. Na era mesozóica após estes mosquitos picarem um dinossauro, pousavam em uma árvore e ficavam presos na seiva, que ao fossilizar se transformava em âmbar, preservando-o.

A Ilha Nublar trata-se, conforme uma definição de Hammond, de uma vitrine para mostrar os dinossauros, sendo que os verdadeiros experimentos para a clonagem dos dinossauros eram feitos nas instalações da Ilha Sorna, o "Sítio B", nenhum dinossauro era clonado na Ilha Nublar sem que sua sequência genética fosse exaustivamente consertada e seu desenvolvimento estudado na Ilha Sorna.

Para controlar o nível populacional no Jurassic Park os cientistas criam dinossauros exclusivamente fêmeas, da seguinte forma: todo embrião vertebrado é inicialmente fêmea, só precisa de um hormônio em certa fase do desenvolvimento para gerar os machos, os cientistas não dão isso a eles. Esse tipo de controle acaba dando errado, porque, uma vez que as sequências do DNA dos dinossauros eram muito velhas, estavam cheia de buracos, por isso os cientistas preencheram esses "buracos" com DNA de rã, e conforme uma dedução de Dr. Alan Grant, algumas rãs africanas têm a habilidade de mudar de sexo, em ambientes onde há excesso de um mesmo sexo, essa capacidade foi herdada pelos dinossauros permitindo sua reprodução.

Outro controle que os cientistas criaram foi o Recurso da Lisina, para evitar que os dinossauros se espalhem caso fujam da ilha. O Dr. Henry Wu inseriu um gene defeituoso que impede que os animais fabriquem o aminoácido lisina, se os cientistas não derem lisina aos dinossauros, eles entram em coma e morrem em sete dias. Este foi outro controle biológico que deu errado, conforme explicado pela Dra. Sarah Harding em The Lost World: Jurassic Park, os dinossauros herbívoros conseguiam lisina por meio da ingestão de qualquer alimento rico nesta enzima, e os carnívoros, comem os herbívoros, conseguindo a lisina indiretamente.

O Parque[editar | editar código-fonte]

Centro dos visitantes do Jurassic Park[editar | editar código-fonte]

Uma réplica do modelo do Centro de Visitantes do Jurassic Park.

O Centro dos visitantes do Jurassic Park, visto da parte externa têm as paredes de pedra com fósseis gravados nela, dutos da água moldam ambos os lados do centro e tem um telhado em estilo de palha. O centro também possuí um ponto de pouso para o helicóptero que traz os visitantes, com uma bela cachoeira atrás dele. Dentro do centro, seu salão principal possui os esqueletos de um saurópodo que está sendo atacado por um tiranossauro. Outras partes do centro incluem um café com pinturas murais de dinossauros, uma loja de presente meste mesmo café, um laboratório científico (presumivelmente apenas para finalidades de amostra), o centro de controle principal do parque, o armazenamento embrionário, e um cinema. Há também uma sala de conferências com uma tabela e diversos dispositivos de projeção para o uso nas apresentações a respeito do parque. Parece que o centro do visitante de Jurassic Park nunca esteve terminado inteiramente, como pode ser visto pelo fato de haver trabalhadores de construção e pelo menos um andaime no filme.

Perímetro das cercas[editar | editar código-fonte]

O Perímetro das cercas cercam o parque, as cercas possuem em torno de 24 pés (7.3 m) de altura, e uma carga de 10.000 volts, ao qual mostra seu funcionamento através de luzes alaranjadas e azuis sobre a cerca. Para diminuir o risco de vítimas humanas as cercas foram armadas com alarmes altos que soariam quando a cerca devia ser ativada. Cada espécie de dinossauro estava presa em suas próprias cercas.

Cerca do Dilophosaurus[editar | editar código-fonte]

O primeiro dinossauro do passeio de carro pelo Jurassic Park era o Dilophosaurus. Sua cerca elétrica é relativamente pequena com uma observação que diz para que as pessoas olhem pelas janelas. A cerca do Dilophosaurus foi muito mal projetada, uma vez que devido a vegetação densa e a aleatoriedade da localização dilophosaurus era extremamente difícil ver, mesmo de relance esses animais.

Cerca do Tyrannosaurus[editar | editar código-fonte]

A cerca do T.Rex é provavelmente a cerca mais vista no filme. A cerca é separada da estrada por uma grande cerca elétrica, além de um fosso da segurança entre a cerca e o espaço interior. Na cena onde Lex e Grant estão sustentando as cordas no lado oposto da cerca, pode ser visto que é uma loga distância até a terra, pelo menos 75 pés (23 m), mas não é explicado como o T-Rex poderia simplesmente pisar fora de sua cerca como aconteceu no filme. Uma das características da cerca são suas mini-gaiolas retráteis que abrigam mamíferos pequenos para o consumo do dinossauro (isto é - cabra). Isto é usado para trazer os animais até onde os visitantes estão.

Cerca do Brachiosaurus e do Parasaurolophus[editar | editar código-fonte]

O primeiro encontro com o Brachiosaurus mostra também Parasaurolophus em bandos. a cerca era muito grande, englobando planícies com árvores altas e um lago. Esta cerca em particular é importante porque deve-se atravessá-la para chegar-se ao centro de visitantes. Sua maior característica é possuir grandes portas com mecanismos de travamento eletrônicos que permitem a passagem dos veículos.

Cerca do Gallimimus[editar | editar código-fonte]

A existência dessa cerca aparece na cena do estouro do bando de Gallimimus. A cerca é cercada por montanhas e consisti na maior parte em planícies com árvores. Esta é talvez a maior cerca do parque devido ao enorme bando de Gallimimus. No filme lá estavam os ovos e filhotes dos Galliminus.

Cerca do Triceratops[editar | editar código-fonte]

A existência dessa cerca aparece na cena do Triceratops. Há grama na cerca e bagas indianas ocidentais venenosas do Lilac. Talvez esta seja a cerca melhor projetada, a vegetação dela era baixa e pouco densa. Quando os veículos visitam o triceratops no filme, é possível ver a certa distância as cercas. Porém as as ilhas nublar são especies de geleiras geradas por radiações ultravioletas.

Cerca dos velociraptores[editar | editar código-fonte]

A Cerca dos Velociraptores é muito pequena se comparada as outras cercas do parque. Estes foram considerados muito perigosos para ficarem em uma cerca típica por isso foram colocados em uma menor, porém muito mais segura. Tal cerca, pode ser mais comparada a uma "prisão", com paredes de concreto com os velociraptores dentro, e uma porta de aço usada para colocar os raptores dentro, possuí suas próprias torres da "vigilância", assim como um mecanismo de alimentação feito sob encomenda que abaixasse o alimento, normalmente uma vaca ou um boi, do assoalho da cerca para seu inteior, onde é brutalmente consumida, Hammond pretendia instalar um vidro temperado no assoalho. É interesante observar que esta cerca não é parte da excursão do Jurassic Park e é realmente distante do trajeto da excursão.

Depósito de emergência[editar | editar código-fonte]

O Depósito de Emergência, construído em concreto, possuí rádios, armamento pesado e remédios. A posição do depósito parece ser perto da prisão dos Velociraptores - uma escolha imprudente.

Área do Gerador de Força[editar | editar código-fonte]

Situado perto da cerca dos velociraptores, dentro dele, existem escadas que conduzem a um labirinto de passagens. Esta estrutura está situada no subsolo, presumivelmente para manter o equipamento eletrônico fresco. É equipada com os equipamentos engrenagem necessários para religar os sitemas do parque, no caso de um blecaute, tal qual uma engrenagem, botões e etc.

Dinossauros da Ilha Nublar[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Dinossauros e outros animais extintos que confirmadamente existem na Ilha Nublar nos filmes:

  • Baryonyx (É citado na Loja de Suvenir Jurassic Park);
  • Brachiosaurus;
  • Dilophosaurus: Conhecido por sua gosma que é lançada pelos seus leques, isso cega sua presa, na realidade essa é uma habilidade fictícia que foi utilizada no filme e os Dilophosaurus tinham uma estatura maior que a apresentada (sendo que foi usado um tamanho menor neste para não confundi-lo com o Velociraptor).
  • Gallimimus;
  • Herrerasaurus (É citado na Loja de Suvenir Jurassic Park);
  • Metriacanthosaurus (aparece na sala dos embriões);
  • Parasaurolophus;
  • Proceratosaurus (aparece na sala dos embriões);
  • Segisaurus (É citado na Loja de Suvenir Jurassic Park);
  • Stegosaurus (aparece na sala dos embriões e em The Lost World: Jurassic Park);
  • Triceratops;
  • Tirannosaurus rex: Há somente um no parque, podendo correr até 45 km/h, velocidade que alguns anos depois do lançamento do livro/filme, demonstrou ser impossível ser alcançada para um t-rex;[2]
  • Velociraptor mongoliensis: Tanto no filme, quanto no livro ganharam estatura e comprimento anormais para a espécie, o velociraptor verdadeiro possui um metro de altura e dois metros de comprimento. Pode-se confundir os do filme com o Deinonychus, espécie maior e muito parecida com os velociraptores. Também a inteligência dos velociraptores foi ampliada;
  • Plantas extintas existem no filme;
  • Pássaros e insetos extintos existem no filme.

Livro[editar | editar código-fonte]

Dinossauros e outros animais extintos que confirmadamente existem na Ilha Nublar no livro:

Notas e Referências

  1. nublar Título não preenchido, favor adicionar Diccionario de la Real Academia Española.
  2. Mundo Estranho, A Luta entre o Triceratops e o T-Rex, um documentário lançado pela BBC

Ligações externas[editar | editar código-fonte]