Ilya Zhitomirskiy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ilya Zhitomirskiy
Na Wiki-Conference em Nova Iorque, 2009
Nascimento 12 de outubro de 1989
Moscou,
União Soviética União das Repúblicas Socialistas Soviéticas
Morte 12 de novembro de 2011
(22 anos)
Califórnia, Estados Unidos
Nacionalidade russo, estadunidense
Progenitores Mãe: Inna Zhitomirskiy
Pai: Alexei Zuckerberg
Ocupação empresário e programador
Principais trabalhos Diaspora

Ilya Zhitomirskiy (12 de outubro de 198912 de novembro de 2011)[1] [2] foi um programador e empresário russo-estadunidense. Ilya foi um dos co-fundadores e um dos co-programadores da rede social Diaspora, bem como do software de código aberto por trás dela.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância, educação e Diaspora[editar | editar código-fonte]

Ilya nasceu em 12 de outubro de 1989 em Moscou, então União Soviética, filho de Alexei e Inna Zhitomirskiy, um casal de matemáticos. Em 2000, a família emigrou para os Estados Unidos, onde Ilya frequentou primeiramente uma escola pública na cidade de Acton, Massachusetts, antes de se mudarem para a Filadélfia, onde ele concluiu o ensino médio em 2007. Ilya seguiu a mesma carreira dos pais e foi estudar matemática aplicada à computação na Universidade de Maryland, mas depois mudou para ciência da computação na Universidade de Nova Iorque.

Foi na Universidade de Nova Iorque que ele conheceu os três colegas — Dan Grippi, Max Salzberg, e Raphael Sofaer — com os quais fundou a rede social Diaspora* (com o asterisco no final do nome) em 2010.[3] [4] [5] O projeto foi concebido após os fundadores assistirem a uma palestra de Eben Moglen, professor da Universidade Columbia e ativista de software livre, sobre a ameaça à privacidade imposta pelos serviços comerciais de internet, em fevereiro 2010. De acordo com Moglen, Ilya era "imensamente talentoso" e "o mais idealista do grupo... ele tinha uma escolha entre concluir a faculdade ou tocar seu projeto, e ele escolheu o projeto porque preferia utilizar seu tempo para construir algo que inspirasse a liberdade".[1]

Morte[editar | editar código-fonte]

No final da tarde de 12 de novembro de 2011, Ilya foi encontrado morto em sua casa na cidade de São Francisco pela polícia, que atendeu a um chamado sobre uma suspeita de suicídio.[6] [7] O resultado da necrópsia confirmou formalmente o suicídio em abril de 2012. Enquanto a imprensa questionava se a pressão sobre o Diaspora o havia levado ao suicídio, o co-fundador Maxwell Salzberg negou, dizendo que embora houvesse estresse, Ilya tinha seus próprios problemas e estava doente. A mãe de Ilya, Inna, não deu declarações à imprensa sobre o histórico de saúde mental de seu filho, mas culpou de certa forma o Diaspora, dizendo "acredito fortemente que se Ilya não tivesse se envolvido nesse projeto e continuado na universidade, estaria vivo e bem até hoje."[8]

A morte de Ilya repercutiu enormemente no projeto Diaspora, do qual ele era considerado o pilar idealista.[9]

Referências