Imagem multiespectral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma imagem multiespectral consiste em imagens de um mesmo objeto, tomadas com diferentes comprimentos de ondas eletromagnéticas. Pode ser luz visível, infravermelha, ultravioleta, raio-X ou qualquer outra faixa do espectro.

Diversos aparelhos fazem fotos espectrais. Podem ser câmeras comuns de vigilância ou equipamentos de análise para laboratório, para análise espectral. Mas comumentemente são associados a satélites de sensoriamento remoto e naves espaciais, pois muitos deles transportam câmeras multiespectrais. Desta forma podem escolher qual comprimento de onda registrar.

Como exemplo, a sonda Cassini consegue fotografar os relevos da nebulosa lua Titã, pois a luz visível é absorvida por sua densa atmosfera.

Outro exemplo, são os satélites sino-brasileiros da família CBERS, que estão equipados com uma câmera multiespectral denominada de Infrared Multispectral Scanner (IR-MSS).

Suas características são:

  • Faixas (bandas) de ondas utilizadas: 4 faixas incluindo a faixa termal
  • Largura do enquadramento ou campo de visada (FOV): 120 km
  • Resolução espacial
     - Infravermelho:  80 m
     - Termal:        160 m