Império Huno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Império Huno
370 – 469
Localização de Império Huno
Extensão do Império Huno sob a liderança de Átila, o Huno
Continente Europa
Capital Não especificada
Língua oficial Huno
Religião desconhecida
Governo Não especificado
Grande Rei
 • 445-453 Átila, o Huno
 • 458-469 Dengizico
História
 • 370 Hunos destroem uma tribo de alanos situada a seu oeste
 • 469 O rei dos hunos, Dengizico, morre

Chama-se de Império Huno à confederação de tribos da Eurásia liderada pelos hunos, que despontou na Europa em fim do século IV, e que atingiu seu apogeu ao conquistar diversos territórios da Europa Ocidental em meados do século seguinte.

Após cruzarem o território do Volga, derrotaram os alanos, ocupando assim as planícies entre aquele rio e o Don, rapidamente conquistando o império dos ostrogodos e alcançando o Dniester. Por volta de 376 derrotaram os visigodos que habitavam o território da atual Romênia, chegando às margens do Danúbio, na fronteira com o Império Romano[1] Sua migração em massa para terras europeias, liderada por Átila, trouxe consigo grandes distúrbios políticos.

Origem[editar | editar código-fonte]

O origem dos hunos que assentaram-se na Europa no século IV é ainda incerta. Contudo os principais historiadores os consideram como um grupo de tribos nômades de Ásia Central com origens mistos. Os hunos foram provavelmente etnicamente diferentes, devido a um processo de etnogênese de assimilação cultural. Parece que a língua gótica foi a lingua franca.

Primeiras campanhas[editar | editar código-fonte]

Os antigos registros sugerem que os hunos estiveram assentados nas terras do noroeste do mar Cáspio começando o século IV. Finais de este, sobre o ano 370, os hunos do Cáspio mobilizaram-se destruindo a tribo dos alanos localizada ao oeste. Continuaram a oeste, atacando os ostrogodos. No 395 um huno cruzou as montanhas do Cáucaso e arrasou Armênia, lá capturou Erzurum e sitiou Antioquia (atual Antakya na Turquia) e Edessa chegando a Tiro, no atual Líbano.

Os hunos lutando contra os alanos, por Johann Nepomuk Geiger, 1870.

No ano 408, o huno Uldin atacou a província romana de Mésia mas o seu ataque foi esperado e repelido, forçando-o a retirar-se.

Consolidação[editar | editar código-fonte]

Apesar de todos os deles primeiras realizações, os hunos ainda estavam muito separados politicamente entre eles com para executar uma campanha importante. Mais que um império, foi uma confederação de tribos.

Desde o ano 420, um chefe chamado Oktar começou a juntar a todas as desligadas tribos sob sua bandeira. Ele foi sucedido por dele irmão Rugila, que converteu-se em líder da confederação huna, juntando aos hunos em um grupo unido com um objetivo comum.

Referências