Império Khmer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Império Khmer
Blank.png
802 – 1431
meados de 1700
Blank.png
 
Blank.png
Localização de Império Khmer
Vermelho: Império Khmer
Verde claro: Haripunjaya
Amarelo: Champa
Continente Ásia
Região Extremo Oriente
Capital Yasodharapura
Hariharalaya
Angkor
Língua oficial Khmer antigo
Governo Monarquia
Rei
 • 802 - 850 Jayavarman
 • 877 - 889 Indravarman
 • 889 - 900 Yashovarman
 • c. 928 Jayavarman IV
 • c. 944 Rajendravarman II
 • 1011 - 1049 Suryavarman I
 • 1113 - c. 1150 Suryavarman II
 • 1181 - c. 1215 Jayavarman VII
 • 1393 - 1463 Ponhea Yat
História
 • 802 Unificação de principados khmer rivais
 • 1431
meados de 1700
O Reino de Ayutthaya assume o controle de Angkor
População
 •  est. 3 000 000 
Mapa da Ásia e Europa por volta de 1200. Império Khmer a rosa

O Império Khmer floresceu entre os séculos IX e XV na região onde actualmente está situado Camboja, ocupando regiões que fazem parte da Tailândia, de Laos e do sul do Vietname. Essa cultura amalgamou-se com elementos locais fortemente influenciados pelas civilizações Indu e Chinesa, trazida por conquistadores e comerciantes que lá se estabeleceram.

Antecedentes Influentes[editar | editar código-fonte]

O império só se veio a desenvolver depois da regulação da agricultura pela monarquia local que, a partir de Suryavarman II, culminou por libertar um grande contingente de pessoas bem alimentadas, que foram canalizadas para as guerras de conquista e para a construção do templo maior na então capital, Angkor Wat.

Mas a precedente organização da agricultura já é notável em si mesma por ter exigido consideráveis esforços para vencer o regime climático de chuvas e o relevo plano coberto pela selva equatorial que só possibilitava uma safra anual de arroz semeada quando chegavam as chuvas das monções.

O engenho da inovação consistia basicamente em garantir o abastecimento de água para além das monções através de grandes represas para possibilitar o plantio de duas safras anuais: a primeira antecipada a partir de mudas previamente plantadas em viveiros e a segunda plantada no mesmo campo e pouco antes da primeira colheita. Com isto, os Khmer puderam duplicar a produção agrícola e pecuária, motor primário do seu desenvolvimento urbano, e com este, o da arquitectura e artes.

Digna de nota foi a solução para construir grandes reservatórios de água naquele relevo quase plano em meio à selva: Fizeram-no simplesmente construindo barragens de pequena altura mas cercando uma extensa área na qual a selva continuava intacta. Assim cada reservatório destes armazenava uma grande quantidade de água durante as chuvas das monções que irrigava os campos agrícolas adjacentes logo abaixo.

Assim se desenvolveu a civilização surgida na região do Delta do rio Mekong, com uma economia baseada na pesca e na agricultura do arroz.

Religião[editar | editar código-fonte]

Além de outros aspectos culturais, os Khmer foram fortemente influenciados pela religião Hindu a ponto de adoptarem todo o panteão de deuses e respectivos rituais. Até mesmo o nome dos soberanos era talhado em sânscrito e invariavelmente terminavam com o sufixo varmam que significa protegido de . (v.g. Surya Varman = Progedido pelo Sol).

Mais adiante o budismo foi adoptado, com implicações nas construções cerimoniais que eram continuamente conservadas e reformadas.

Arquitectura[editar | editar código-fonte]

Normalmente as construções eram executadas em madeira e pedra (rara no local que era trazida de locais distantes e destinada apenas à construção cerimonial de templos e palácios, cujo expoente máximo é o templo Angkor Wat).

Alguns dos seus templos possuem imagens do rosto de Buda esculpidas nas suas paredes externas. Em 1863, durante o período neo-colonial a região onde ficava a cidade de Angkor tornou-se um protectorado francês, que mantém a estrutura estatal mas privatiza a terra (antes propriedade do rei) e dá estímulos ao desenvolvimento do comércio. Boa parte do que sabemos sobre esta civilização vê-se nos vários murais das ruínas do seu principal assentamento, Angkor Wat, e algo nos é reportado pelo diplomata chinês Zhou Daguam.

O Período Antigo[editar | editar código-fonte]

O governante khmer mais antigo que se conhece é Rudravarman. Assim como os seus subsequentes, o seu nome régio associa o de uma divindade hindu ou de algum atributo poderoso com o sufixo "varman". De acordo com a tradição, a sede do governo foi Angkor Borei, centro dos primeiros avanços culturais e políticos dos khmer.

O registro mais antigo que se têm do Império Khmer está numa estrela do templo Sdok Kok Thom, na província tailandesa Sa Kaeo, datada de 1053 comemorativa da ascensão ao trono de Udayadityavarman II (1050 – 1066. Estas inscrições fazem referência ao antigo soberano khmers Jayavarman II que teria subido ao trono no ano de 802 da nossa era.

Imperadores[editar | editar código-fonte]

  • Jayavarman II (c790 - 850) Tido como fundador do Império Angkor - construiu cerca de 54 templos e estabeleceu sua capital em Hariharalaya (atual Grupo de Templos Rolous);
  • Jayavarman III (c 850-877) construiu a pirâmide de laterita Prei Monti e o templo Trapeang Phong;
  • Indravarman I (c 877-889), assumiu o trono provavelmente pela força. Construiu o templo de Preah Ko e Intratataka (Reservatório) Baray;
  • Yasovarman I (c 889-915) Filho de Indravarman mudou a capital de Hariharalaya para Angkor (Yasodharapura). Construiu o templo Lolei Hariharalaya junto ao templo de Angkor e os templos Penh Bakheng, Prasat e Bei, Bakheng, Bok e Phnom Krom ;
  • Harshavarman II (c 915-923), acedeu ao trono muito jovem, pouco conhecido. Consta ter construído o templo Kravan em Baksei Chamkrong;
  • Isanavarman I (c 923-928) Muito pouco se sabe sobre este curto reinado. Nenhum edifício conhecido.
  • Jayavarman IV (c 928-941) se revoltou contra seu sobrinho Harshavarman II em 921. Mudou a capital para Koh Ker e construiu uma centena de templos lá. Construi Prasat templo Thom em Koh Ker;
  • Harshavarman II (c 941-944) Sucessor de Koh Ker ;
  • Rajendravarman II (c 944-968) Movido a cidade volta a Angkor. Vence a guerra contra os Chams. Constrói no Leste o templo Mebon, e os templos Pre Rup, Bat Chum, Kutisvara e inicia a construção do templo Banteay Srei;
  • Jayavarman V (c 968-1001), sucedeu ao trono ainda criança, e teve um reinado pacífico. Construiu os templos Banteay Srei e Takeo;
  • Udayadityavarman I c 1001 - 1002, um período de problemas e revolta;
  • Jayaviravarman (c 1002-1010) compete com Suryavarman I ao trono durante a 9 - luta de anos, mas acaba derrotado. Constrói no Norte o templo Khleang;
  • Suryavarman I (c 1002-1050) assumiu o trono pela força, tornando-se chefe indiscutível em 1010. Expandiu o império para o Norte e Oeste. No Sul construiu o templo Phimeanakas e o Palácio Real na cidade de Angkor Thom, o Reservatório do Oeste Baray, e os templos de Preah Vihear Phnom Chiso;
  • Udayadityavarman II (c 1050-1066) Mais revoltas, expandiu o império mais a oeste. Continuação da construção do reservatório do Baray Oeste;
  • Harshavarman III (c 1066-1080) Devastação do reinado anterior e uma nova guerra com os Chams impediu novas construções;
  • Jayavarman VI (c 1081-1107), primeiro rei da dinastia Mahidharapura, sua autoridade só foi reconhecida nas províncias do norte. Construiu o templo Phnom Rung na atual Tailândia.
  • Dharanindravarman I (c 1107-1112), irmão mais novo de Jayavarman VI. Morto por Suryavarman II que lhe disputava o trono;
  • Suryavarman II (c 1113-1150) Ambiciosos, guerreiro e um grande construtor. Expandiu o império, lutou contra o Dai Viet, Chams, Mons, ampliando as fronteiras para o norte até a fronteira sul do atual Laos, para o oeste com a conquista do reino de Bagan (atual Birmânia, para o leste onde incorporou várias províncias Champas e também para o sul, com a conquista do reino de Gradi (moderna província Tailandesa de Nakon Si Thammarat). Construíu o magnífico templo Angkor Wat consagrado ao deus Visnu, num trabalho que se desenvolveu por 37 anos, construiu os templos Banteay, Samre, Beng templo Mealea, Thommanon, Chau Say e Tevoda algumas partes do templo Beng Mealea;
  • Yasovarman II (c 1150-1165) escolhido para suceder no trono porque o herdeiro real estava lutando em Champa. Acabpu morto por um usurpador. Não construiu nenhum edifício novo mas continuou na construção de Chau Say Tevoda, Banteay Samre e templos Beng Mealea. Adicionando uma torre no templo Bakong;
  • Tribhuvanadityavarman (c 1165-1177) Usurpador, mortos durante a invasão de 1177 Chams, e queimaram a cidade Yasodharapura – (a cidade de Angkor);
  • Jayavarman VII (c 1180-1220), herdeiro legítimo do Rei Dharanindravarman II. Expulsou as forças Cham. Foi o último grande rei Khmer, budista fervoroso e grande construtor. Construiu os templos Preah Khan, Kampong Svay, Tonle Bati, Ta Prohm, Neak Pean, Ta Som, Ta Nei, Prasat Chrung e a cidade Angkor Thom;
  • Jayavarman VIII (c 1243-1296) O Império continua a diminuir, tendo que se submeter ao Imperador Chines Kublai Khan. Constrói os templos Mangalartha ou Prasat no caminho da porta da vitória de Angkor Thom e restaura o templo de Preah Palilay. Mangalartha é provavelmente o último templo construído no Império Angkor;
  • Srindravarman (c 1296-1307) A vida diária desse rei é descrita pelo diplomata Chines Zhou Daguan, que visita o Império Khmer a mando de Kublai Khan. Desde então cessou a construção de tempos em arenito cogitando-se da continuação da construção em madeira;
  • Jayavarmandiparamesvara ou Jayavarman Paramesvara c 1327? É o último rei mencionado em inscrições.

- De 1328 em diante, não houve inscrições mas sabe-se que o último rei do Império Angkor foi Yat Ponha ou Yat Gam, c 1432, que decidiu mudar a corte para Tuol Basan, na atual província de Kampong Cham, no lado leste do rio Mekong, um pouco acima dos garfos onde permaneceu por um ano e mudou a capital novamente em 1434 c, desta vez para Krong Chatomuka (quatro faces), na junção do rio Mekong Tonle.

Phnom Penh tornou-se a primeira capital do reino do Camboja em 1432 depois de Sua Majestade Ponhea Yat, rei do Império Khmer, mudou a capital de Toul Bassan (Atualmente denominada Srey Santhor) em Angkor Thom depois de capturada pelo Siam alguns anos antes. Phnom Penh acabou abandonada posteriormente, por 360 anos, de 1505 até 1865 pelos diversos reis subseqüentes devido a lutas internas e de sucessão real. Em 1865 Phnom Penh foi adotada como capital real permanente do Camboja pelo rei Norodom I, avô de Norodom Sihanouk, quando mandou 10 mil de seus súditos abandonarem a antiga capital real de Oudong.

Referencias[editar | editar código-fonte]