Império Tangut

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde maio de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
History of China.gif
História da China
ANTIGA
Dinastia Zhou 1122/1027 AEC–221 AEC
Dinastia Chin 221 AEC–206 AEC
Dinastia Han Ocidental 206 AEC–220 EC
Dinastia Xin
Dinastia Han Oriental
Três Reinos 220–280
  Wei, Shu & Wu
Dezesseis Reinos
304–439
Dinastia Sui 581–618
Dinastia Tang 618–907
5 Dinastias e
10 Reinos

907–960
Dinastia Liao
907–1125
Dinastia Song
960–1279
  Song do Norte Xia
  Song do Sul Jin
Dinastia Yuan 1271–1368
Dinastia Ming 1368–1644
Dinastia Qing 1644–1911
MODERNA
República da China 1912–1949
República Popular
da China

1949–presente
Republica
da China (Taiwan)

1945–presente


O Império Tangut, também conhecido como Dinastia ou Império Xia Ocidental, ou Império de Xi Xia (em chinês: 西夏; pinyin: Xī Xià; Wade-Giles: Hsi Hsia) foi um estado que existiu entre os anos 982 e 1227 no planalto da região noroeste do território actual da República Popular da China.

Situado em parte do território ocupado na actualidade pelas províncias de Gansu e Shaanxi e pela Região Autónoma Hui de Ningxia, o estado foi fundado pelos tangut, um povo nômade que descendia dos Tuoba ou Tabgach, o povo que havia fundado a dinastia chinesa dos Wei do Norte. Os tangut tinham a sua própria língua, o tangut, caracterizado por um complexíssimo sistema de escritura composto por milhares de caracteres, a imensa maioria dos quais não pôde ser decifrada.

Relação com os estados chineses[editar | editar código-fonte]

Apesar de manter uma identidade cultural e linguística própria, o Império Tangut manteve uma relação muito estreita com o mundo chinês. Além da classe dirigente tangut, grande parte da população consistia em chineses han, bem como tibetanos e uigurs. A localização do estado tangut em plena Rota da Seda dava-lhe um papel importante no comércio exterior dos estados chineses orientais, tanto com as dinastias fundadas no nordeste da China pelos também povos nômades kitán e yurchen (dinastias Liao e Jin), bem como com a dinastia Song do sul, resíduo da dinastia Song que mantinha o poder a sul do Rio Huai He.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

O império surgiu trezentos anos após uma migração forçada dos tangutes nativos do Tibete, pressionados por outros povos tibetanos no Século VII que se estabeleceram-se nos vales férteis do médio Rio Amarelo, tendo como centro de sua civilização a localidade de Ordos.

A fundação de um estado pelos tangut remonta-se ao ano 982, mas seria em 1038 quando o governante tangut Lǐ Yuánhào (李元昊) se nomeou a si mesmo imperador, e exigiu do imperador Song o reconhecimento como igual. A corte Song aceitava reconhecer Li Yuanhao como 'dirigente', mas não como 'imperador', título que considerava exclusivo do imperador Song. Depois de intensos contactos diplomáticos, em 1043 o estado Tangut aceitaria reconhecer o imperador Song como imperador em troca de um tributo anual, o qual supunha um reconhecimento tácito por parte dos Song do poderio militar e económico dos tangut.

Após a queda da Dinastia Tang, na China, e o estabelecimento da Dinastia Song (que causou a divisão e o enfraquecimento do Império Chinês), estes se aproveitaram da oportunidade para tomar terras mais a leste e fundar formalmente o império sob o reinado de Li Yuan-hao construindo uma capital próxima a atual cidade chinesa de Yinchuan e expandiram suas fronteiras em todas as direções, ocupando uma área entre os contrafortes nortes do Himalaia e o sul do Deserto de Gobi, e entre as montanhas Helan a oeste e o reino vassalo de Xia ("Xi Xia", em mandarim, significa "Xia Ocidental"), do Império Song, a leste, incluindo um trecho de 1000 km da lucrativa Rota da Seda.

A prosperidade gerada pelo comércio e pelas abundantes pastagens no século XI provocou uma guerra de 6 anos entre a China Song e Xi Xia, resultando na vitória dos tangutes. Dizem os relatos que a vitória mais significativa de Xi Xia deu-se quando seu exército, ao confrontar 20000 soldados chineses, virou-se e marchou em direção a um estreito vale, esperando fazer uma emboscada. Porém, não havia visibilidade nos esconderijos para saber se os chineses estariam no local certo, o que dificultaria a ação. Então, o rei Yuan-hao ordenou a captura de pássaros e mandou prendê-los em caixas fechadas e deixá-los pelo caminho no vale. Quando os chineses chegaram e se depararam com as caixas ressoando o canto dos pássaros, os soltaram. A revoada foi o sinal para o ataque, que resultou na vitória dos tangutes.

Neste tempo, ainda, é atribuído a Li Yuan-hao a criação da escrita tangute, um sistema de escrita que mais tarde seria também adotado pelos mongóis. As leis budistas (sua religião oficial) foram codificadas segundo esta escrita, além de outras obras ainda não codificadas encontradas nas ruínas de Xi Xia.

Declive e queda[editar | editar código-fonte]

Pouco após um ano desde o assinar deste acordo com os Song, o poder do Império Tangut ver-se-ia debilitado pela invasão dos kitán, sobrevivendo de forma precária até ser finalmente derrotado pelos mongóis em 1227 que conquistaram também os impérios Jin e Song do Sul, unificando a China e Mongólia sob a nova dinastia Yuan.

No início do Século XII, Xi Xia possuía cidades populosas, escolas públicas, artesãos especializados, metalúrgicos habilidosos, uma universidade para a formação de sábios e burocratas, e um exército que poderia chegar aos 300.000 homens, segundo estimativas. Porém, em meados daquele século, sismos, invasões e disputas sucessivas refrearam o crescimento do reino, que no entanto se manteve como um poder estável na região. Mas mesmo com todo esse poderio e organização não seria capaz de enfrentar em igualdade o exército de arqueiros montados de Genghis Khan, que em 1209 invadiu Xi Xia pelo norte. Os tangutes tentaram uma aliança com a China controlada pela Dinastia Jin, sem sucesso.

As hordas mongóis chegaram rapidamente à capital Xi Xia, mas jamais haviam tentado tomar uma cidade fortificada. Sem máquinas de sítio ou armas apropriadas, os mongóis se viram obrigados a romper diques de reservatórios de águas próximos, mas sem sucesso. Frente à ferocidade e violência do exército mongol, e sem apoio dos vizinhos chineses, Xi Xia viu-se logo reduzida ao status de Estado vassalo do Império de Genghis Khan.

Nas décadas seguintes, Xi Xia viu seu povo e sua cultura serem lentamente exterminados pela política agressiva de Genghis para com os povos conquistados. Após o enfraquecimento do Império Mongol, os chineses se encarregaram de apagar os últimos vestígios da cultura tangute e das obras de Xi Xia. Hoje, Xi Xia é praticamente desconhecido entre os próprios moradores atuais da região, com poucas ruínas ainda de pé, tendo grande parte de sua história revitalizada pelos esforços de arqueólogos russos e chineses do século XX.

Governantes do Império Xia Ocidental[editar | editar código-fonte]

Nome Nome Póstumo Nome Pessoal Tempo de Reinado
Jǐngzōng 景宗 Wǔlièdì 武烈帝 Lǐ Yuánhào 李元昊 1038-1048
Yìzōng 毅宗 Zhāoyīngdì 昭英帝 Lǐ Liàngzuò 李諒祚 1048-1067
Huìzōng 惠宗 Kāngjìngdì 康靖帝 Lǐ Bǐngcháng 李秉常 1067-1086
Chóngzōng 崇宗 Shèngwéndì 聖文帝 Lǐ Qiánshùn 李乾順 1086-1139
Renzong 仁宗 Shèngzhēndì 聖禎帝 Lǐ Rénxiào 李仁孝 1139-1193
Huánzōng 桓宗 Zhāojiǎndì 昭簡帝 Lǐ Chúnyòu 李純佑 1193-1206
Yingzong 襄宗 Jìngmùdì 敬穆帝 Lǐ Ānquán 李安全 1206-1211
Shenzong 神宗 Eīngwéndì 英文帝 Lǐ Zūnxū 李遵頊 1211--1223
Xiànzōng 獻宗 none Lǐ Déwàng 李德旺 1223--1226
Mòdi 末主 none Lǐ Xiàn 李晛 1226-1227

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hansen, Valerie. The Open Empire. A History of China to 1600. W.W. Norton and Company, Nova York, 2000.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]