Império de Niceia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Βασίλειον τῆς Νίκαιας
(Basileía tēs Níkaias)

Império de Niceia

Monarquia

Labarum.svg
1204 – 1261 Byzantine imperial flag, 14th century.svg
Localização de Império de Niceia
Estados sucessores do Império Bizantino em 1204.
Continente Ásia
País Grécia e Turquia
Capital Niceia
Língua oficial Grego medieval
Religião Igreja Ortodoxa
Governo Monarquia
Imperador
 • 1204 – 1222 Teodoro I Láscaris
 • 1222 – 1254 João III Ducas Vatatzes
 • 1254 – 1258 Teodoro II Láscaris
 • 1258 – 1261 João IV Láscaris
 • 1259 – 1261 Miguel VIII Paleólogo
Período histórico Baixa Idade Média
 • 1204 Fundação
 • 1261 Dissolução
O Império de Niceia termina em 1261 quando Miguel VIII Paleólogo retoma Constantinopla.

O Império de Niceia (em grego: Βασίλειον τῆς Νίκαιας; em turco: İznik İmparatorluğu) foi o maior dos estados bizantinos gregos fundado pela nobreza exilada do Império Bizantino após a tomada de Constantinopla pelos cruzados durante a Quarta Cruzada. Durou de 1204 a 1261 e sua capital era a cidade de Niceia (actual İznik na Turquia).

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Em 1204, depois dos cruzados apoiados por Veneza invadiram a cidade, o imperador bizantino Aleixo V Ducas fugiu de Constantinopla. Teodoro I Láscaris, genro do imperador Aleixo III Ângelo, foi proclamado imperador, mas considerando que a situação em Constantinopla estava insustentável refugiou-se na cidade de Niceia, na Bitínia.

O Império Latino, fundado pelos cruzados após a tomada de Constantinopla, tinha pouco controle sobre o território bizantino, o que permitiu o surgimento de vários estados sucessores em Épiro, Trebizonda e Niceia. Niceia contudo era o melhor posicionado para tentar restabelecer o Império Bizantino.

Expansão[editar | editar código-fonte]

Teodoro I Láscaris não teve sucesso de início, pois foi derrotado nas batalha de Poimaneno e batalha de Prusa (atual Bursa, na Turquia), em 1204, mas foi capaz de conquistar uma boa parte da Anatólia. Em 1206, Teodoro I auto-proclamou-se imperador em Niceia. Nos anos posteriores, numerosas pazes e alianças foram estabelecidas e quebradas, à medida que evoluíam as lutas com o Império Latino, os búlgaros e os seljúcidas de Icônio. Teodoro, buscando validar sua posição, nomeou um novo patriarca Ecumênico de Constantinopla em Niceia. Em 1219, casou-se com a filha da imperatriz latina Iolanda da Flandres. Morreu em 1222 e foi sucedido por João III Ducas Vatatzes.

João III Ducas Vatatzes expandiu o território até ao mar Egeu. Em 1245, aliou-se ao Sacro Império Romano-Germânico casando com Ana de Hohenstaufen, filha de Frederico II. Os seus sucessores foram Teodoro II Láscaris e João IV Láscaris. Este último, muito jovem quando subiu ao trono, viu o trono ser usurpado por Miguel VIII Paleólogo, que autoproclamou-se co-imperador e regente após afastar os tutores legítimos, na sequência da vitória de 1261.

Reconquista de Constantinopla[editar | editar código-fonte]

Em 1260, Miguel VIII Paleólogo planeou atacar Constantinopla, o que seus antecessores nunca tinham feito. Aliando-se a Gênova (rival de Veneza nas rotas do comércio mediterrânico) conseguiu reconquistar a cidade sob a liderança de Aleixo Estrategópulo. Após esta vitória o Império Bizantino foi oficialmente restabelecido.

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.