Inês de Merânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Maria ou Inês de Merânia, ou de Andechs (1172 - 1201), foi rainha consorte de França, terceira esposa de Filipe II de França. Era filha de Inês de Rochlitz e do Bertoldo IV, duque de Merânia, conde Andechs, um território na Baviera, e duque de Merânia, na Ístria.

Casou-se com Filipe Augusto a 1 de Junho de 1196 em Compiègne, depois de este repudiar a sua segunda esposa Ingeborg da Dinamarca após a noite de núpcias, e de o seu matrimónio ter sido anulado por uma assembleia de bispos e nobres partidários do rei.

Mas papa Celestino III condenou o divórcio, e o seu sucessor papa Inocêncio III foi mais firme: revogou a decisão dos bispos, ordenou que Filipe se separasse de Inês e respeitasse o casamento com Ingeborg. Como não obtivesse uma reação do rei, pronunciou um interdicto (o equivalente à excomunhão para um território) sobre o reino da França a 13 de Janeiro de 1200.

Com os fraceses proibidos de celebrar a liturgia e todos os sacramentos católicos e sem poderem dar um enterro cristão aos seus mortos, o papa pretendia criar um protesto dos súbitos contra o rei. Filipe fingiu ceder, enviou Inês para o convento de Poissy e trouxe Ingeborg de volta à corte, mas sem retomar a vida conjugal. Em contrapartida, preocupado com a sucessão mal assegurada por um único herdeiro, negociou o reconhecimento dos dois filhos sobreviventes havidos de Inês.

Filipe e Inês tiveram quatro filhos naturais, dos quais dois nados-mortos, e os outros dois posteriormente reconhecidos pelo papa Inocêncio III:

Levada a Senlis, na Picardia, morreu dois meses depois, a 20 de Julho de 1201 em Poissy, ao dar à luz um segundo herdeiro varão ao rei, Filipe Hurepel. Foi sepultada no convento de Saint-Corentin em Mantes. A sua morte terá causado muito sofrimento rei que a amava,[1] mas também acabou por resolver o conflito deste com a Igreja, e Ingeborg seria rainha da França até à morte do monarca.

Posteriormente Inês seria a heroína de uma tragédia do século XIX com o seu nome, Agnès de Méranie, de François Ponsard. Por curiosidade a sua irmã Edwiges de Andechs casou-se com Henrique I, duque de Silésia e foi canonizada como Santa Edwiges em 1267. Outra irmã, Gertrudes, casou-se com André II da Hungria e foi a mãe de Santa Isabel da Hungria.

Referências e bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. Dossier Actualité de l'Histoire e Spécial Actualité de l'Histoire, periódicos bimestrais

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Ingeborg da Dinamarca
Armas da dinastia capetiana
Rainha de França

1196 - 1201
Sucedida por:
Ingeborg da Dinamarca


Ícone de esboço Este artigo sobre uma Rainha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.