In Old Arizona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
In Old Arizona
No Velho Arizona (BR)
 Estados Unidos
1929 • p&b • 95 min 
Direção Raoul Walsh
Irving Cummings
Produção Winfield Sheehan
Roteiro O. Henry
Tom Barry
Elenco Warner Baxter
Edmund Lowe
Dorothy Burgess
Gênero Faroeste
Idioma Inglês
Direção de arte Don B. Greenwood
Direção de fotografia Arthur Edeson
Edição Louis Loeffler
Estúdio Fox Film Corporation
Distribuição Fox Film Corporation
Lançamento Estados Unidos 20 de janeiro de 1929
Página no IMDb (em inglês)

In Old Arizona (No Velho Arizona (título no Brasil) ) é um filme norte-americano de 1929, do gênero faroeste, dirigido por Raoul Walsh e Irving Cummings e estrelado por Warner Baxter e Edmund Lowe.

Produção[editar | editar código-fonte]

Rodado em 1928, porém lançado somente no início do ano seguinte, In Old Arizona foi o primeiro faroeste importante da era sonora do cinema.[1] Sons de cascos de cavalos, tiros, ovos e toucinho sendo fritos, ruídos com a boca após um drinque de uísque etc, tudo isso fez a delícia do público e tornou-o o primeiro filme de ação falado bem sucedido.[2]

Com microfones colocados em árvores, debaixo de rochas e no meio de muito capim, In Old Arizona foi também o primeiro filme sonoro gravado ao ar livre,[3] apesar de mais de meia hora de cenas em uma cabana.

Outra novidade trazida pelo filme foi a introdução de música nos faroestes,[1] principalmente de canções folclóricas que seriam melhor exploradas mais tarde por diretores como John Ford.[4] My Tonia, interpretada pelo astro Wayne Baxter, tornou-se um grande sucesso na voz de Nic Lucas e incentivou Ken Maynard a cantar em sua série na Universal Pictures.[1] Estava, assim, aberto o caminho para os cowboys cantores, como Gene Autry, Roy Rogers e Rex Allen, popularizados a partir da década seguinte.

Naquela época de transição, as plateias estavam fascinadas por produções com muitos diálogos -- comédias e musicais --[5] o que, evidentemente, prenunciava um futuro negro para um gênero essencialmente de ação. A desconfiança aumentava ainda mais com declarações de técnicos de som, que afirmavam ser difícil, senão impossível, filmar em ambientes naturais.[5] Contudo, a ousadia de Raoul Walsh e o sucesso da empreitada mostraram a Hollywood que faroestes podiam se beneficiar tanto de falas quanto de sons variados.

In Old Arizona foi ainda o primeiro filme sonoro com o herói Cisco Kid,[3] criado por O. Henry. O roteiro é baseado em seu conto The Caballero's Way.

O próprio Walsh deveria estrelar o filme. Entretanto, um acidente fatal de automóvel deixou-o cego de um olho, o que acabou com sua carreira de ator.[1] [3]

Warner Baxter recebeu o Oscar de Melhor Ator pelo seu desempenho, o único de sua carreira. A produção foi indicada em outras quatro categorias, entre elas a de Melhor Filme.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Cisco Kid, o Robin Hood do Velho Oeste, é perseguido pelo Sargento Mickey Dunn, do Exército norte-americano. Ambos são apaixonados por Tonia Maria, a infiel namorada do fora-da-lei. Por fim, Tonia e o Sargento costuram um plano para prender o proscrito. Mas Cisco Kid tem um ás na manga...

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Categoria Situação
Oscar Melhor Filme
Melhor Ator (Warner Baxter)
Melhor Diretor (Irving Cummings)
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Fotografia
Indicado
Vencedor
Indicado
Indicado
Indicado

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Warner Baxter Cisco Kid
Edmund Lowe Sargento Mickey Dunn
Dorothy Burgess Tonia Maria
Henry Armetta Barbeiro
James Bradbury Jr. Soldado
Joe Brown Barman
Alphonse Ethier Xerife

Referências

  1. a b c d HARDY, Phil, The Encyclopedia of Western Movies, Londres: Octopus Books, 1985 (em inglês)
  2. ROBINSON, David, The Coming of Sound, in Movies of the Thirties, editado por Ann Lloyd, Londres: Orbis, 1985 (em inglês)
  3. a b c HYAMS, Jay, The Life and Times of the Western Movie, Nova Iorque: Gallery Books, 1983 (em inglês)
  4. PARKINSON, Michael e JEAVONS, Clyde, A Pictorial History of Westerns, Nova Iorque: Exeter Books, 1984 (em inglês)
  5. a b EYLES, Allen, Lonesome Trail, in Movies of the Thirties, editado por Ann Lloyd, Londres: Orbis, 1985 (em inglês)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]