In silico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

In silico é uma expressão usada no âmbito da simulação computacional e áreas correlatas para indicar algo ocorrido "em ou através de uma simulação computacional". A expressão foi cunhada a partir das expressões latinas in vivo e in vitro, frequentemente usadas na Biologia. In silico é, originalmente, usada apenas para denotar simulações computacionais que modelam um processo natural ou de laboratório e não para cálculos computacionais genéricos.

Entretanto, in silico não significa absolutamente nada em Latim. Tentou-se brevemente usar a expressão latina correta, in silicio, porém, in silico tornou-se praticamente universal, aparecendo até no título do periódico In Silico Biology [1].

História[editar | editar código-fonte]

A expresão in silico parece ter sido usada publicamente pela primeira vez em 1989 no workshop "Autômatos Celulares: Teoria e Aplicações", em Los Alamos (EUA).

In silico também foi usada em artigos sobre a criação de programas de genomas bacteriais pela Comissão da Comunidade Européia, ocorrendo pela primeira vez em um artigo escrito por uma equipe francesa em 1991.[1]

Pedro Miramontes, um matemático, usou a expressão em algumas palestras e posteriormente em sua tese de doutorado em 1992.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Danchin A, Medigue C, Gascuel O, Soldano H, Henaut A. From data banks to data bases. Res Microbiol. 1991 Sep-Oct;142(7-8):913-6. PMID 1784830
  2. Miramontes P. Un modelo de autómata celular para la evolución de los ácidos nucleicos. Tesis de doctorado en matemáticas. UNAM. 1992