Incidente Amakasu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem de Masahiko Amakasu, o oficial responsável pelos três assassinatos.

Incidente Amakasu é o nome pelo qual ficou conhecido o assassinato de Ōsugi Sakae, Noe Ito (dois importantes anarquistas japoneses) e uma criança, por forças militares daquele país.

Em 16 de Setembro de 1923, em meio ao caos que se seguiu ao Grande terremoto Kantõ, temendo que anarquistas pudessem conseguir algum tipo de vantagem diante do desastre e da falta de assistência governamental, um esquadrão de polícia militar liderado pelo oficial Masahiko Amakasu aprisionaram Ōsugi Sakae, Noe Ito, e o sobrinho de seis anos de Sakae. Em seguida os três foram brutalmente espancados até a morte e seus corpos foram atirados dentro de um poço.

Página do jornal japonês anarquista Mainichi Shimbun, sobre o assassinato de Noe Ito e Ōsugi Sakae.

A matança de anarquistas tão conhecidos juntamente com uma criança tão nova espalhou surpresa e revolta pelo Japão tornando-se um marco da brutalidade do governo japonês, e da história do anarquismo naquele país.

O filme de 1970 Eros Plus Massacre retrata este incidente.

Veja também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Anarquismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.