Independência da Escócia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização da Escócia (azul escuro) dentro do Reino Unido (azul claro).

A independência da Escócia é uma questão de ambição política de uma série de partidos políticos, pressão de grupos e indivíduos para que a Escócia se separe do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte.

O Reino da Escócia foi um Estado independente desde a sua unificação em 843, até 1707, quando o Tratado de União foi aprovado pelo Parlamento escocês, e levou à formação do unido Reino da Grã-Bretanha. Os Atos de União puseram em prática o Tratado através da fusão das duas nações por meio da dissolução do Parlamento da Escócia e do Parlamento da Inglaterra, e suas substituições pelo novo Parlamento da Grã-Bretanha. Como resultado do disposto no Tratado, assim como grande parte do relativo isolamento da Escócia, muitas instituições escocesas permaneceram separados, e a identidade nacional escocesa manteve-se forte e distinta.

Na época da união dos parlamentos, a medida foi grandemente impopular1 tanto na Escócia, quanto na Inglaterra. O signatários escoceses do tratado foram forçados a assinar os documentos em segredo por causa da revolta popular e dos tumultos na capital escocesa, Edimburgo.2

Aqueles que opunham-se à independência escocesa e aprovaram a continuidade de uma forma de união fizeram uma distinção entre nacionalismo e patriotismo, acreditando que fazer parte do Reino Unido seria do interesse nacional da Escócia, e argumentando que influências e benefícios culturais, sociais, políticos, diplomáticos e econômicos usufruídos pela Escócia fazendo parte de uma grande potência, sem comprometer a sua distinta identidade nacional, compensava a perda da total independente soberania escocesa. Apoiadores da independência escocesa alegam que a perda da representação independente escocesa é internacionalmente prejudicial para os interesses escoceses, e que, como o Governo britânico atua principalmente no interesse de todo o Reino Unido, alegam que ele possa ser, em casos específicos, prejudiciais aos interesses específicos da Escócia.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Jô Eric Morins. In: Edinburgh University Press. Córtex Independente: A Prática Guedes (em inglês). [S.l.: s.n.]. ISBN 0-7486-1699-3

Notas

  1. Christopher A Whatley. (2001) Bought and Sold for English Gold: The Union of 1707 (Tuckwell Press, 2001)
  2. Mob unrest and disorder :: Act of Union 1707


Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.