Inimigo de Jacob

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


O Homem de Preto
Personagem de Lost
Interpretado por(s) Titus Welliver
Terry O'Quinn
Projeto Lost


A entidade conhecida como o Homem de Preto (conhecida também como o Inimigo de Jacob, nomeado no primeiro roteiro como "Samuel") é uma personagem fictícia do seriado Lost, um dos principais antagonistas do programa. Sua aparência primária foi como uma criatura feita de fumaça, que os personagens se referiam como "O Monstro", até o final da quinta temporada, onde ele aparece como um homem de meia-idade vestindo preto (interpretado o ator Titus Williver). No mesmo episódio revela-se que o John Locke ressuscitado era o inimigo, e o Homem de Preto mantém-se com a aparência de Locke ao longo da sexta temporada. Ele já exibiu a característica de "escanear" pessoas e se transformar em pessoas mortas. Seu objetivo, como dito por si própria, é "ser livre".

A entidade viveu na Ilha séculos antes da queda do voo 815. Sua mãe morreu pouco após dar a luz ao Homem de Preto e seu irmão Jacob (sem ter tempo de lhe batizar), e devido a divergências de ideias com Jacob e a mãe adotiva de ambos, o Homem de Preto passou esse tempo, tem procurando por uma brecha para matar Jacob, para que possa alcançar seu desejo. Consequentemente, consegue o traçar persuadindo Benjamin Linus a matar Jacob em 2007. Momentos mais tarde, revelou-se a Ben como sendo a fumaça preta quando mata Bram e outros três passageiros do voo Ajira 316 que tentaram matá-lo por assassinar Jacob.

Frequentemente apareceu como a fumaça preta aos sobreviventes, matando o piloto Seth Norris logo após a queda do avião e, em outros momentos, Eko, Mayhew, e vários outros habitantes da ilha, apesar da razão desses ataques serem desconhecidas. A entidade foi referida como "sistema de segurança" por Danielle Rousseau. Ben pôde convocá-la para destruir as ameaças à Ilha, apesar de não poder controlá-la.

Na Ilha[editar | editar código-fonte]

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Claudia chegou grávida na ilha após seu barco naufragar. Foi recebida por uma mulher, que após ajudar-lhe a dar a luz a dois meninos, Jacob e outro que Claudia não sabia como batizar, foi morta a pedradas. A mulher então criou Jacob e seu irmão, que sempre se vestia de preto, como se fosse sua mãe. Os irmãos durante sua infância inteira passaram por uma espécie de teste, para ver quem sucederia a tal mulher e cuidar do coração da Ilha, uma caverna cheia de luz com poderes incríveis. O Homem de Preto era tratado sempre como "O Especial", e Jacob o invejava por isso. O Homem de Preto podia ver os mortos, e um dia viu sua mãe verdadeira, e descobriu a verdade, indo a mãe adotiva e ao irmão falar que havia descoberto a verdade. A mãe adotiva então mostra-os o coração da Ilha e conta que um dia teria que escolher um pra cuidar de lá, como ela faz. O Homem de Preto então se revolta e foge de casa, brigando com o irmão. Se junta a um povo que havia descoberto pouco antes de ir embora, e passa a viver com eles.

Os irmãos então cresceram separados, embora Jacob e o Homem de Preto sempre se reuniam para jogar um jogo que o irmão havia descoberto na praia, deixado pela própria mãe adotiva. A mãe adotiva um dia descobre então onde Jacob vai e resolve-o seguir. Quando o Homem de Preto revela que seu povo está tentando explorar a luz do coração da ilha para sair da ilha, a Mãe tenta matá-lo e em seguida ateia fogo na vila, matando todos. Quando o Homem de Preto acorda, vai atrás da Mãe e a mata. Então Jacob, que já havia sido escolhido para proteger o coração da Ilha e instruído a não entrar nem colocar ninguém, nunca no tal coração da Ilha, pega o irmão e joga-o lá por ter matado a mãe adotiva dele. Assim o Homem de Preto se torna o Monstro de Fumaça, podendo assumir qualquer forma de pessoa já morta (mais comumente, a que ele possuía antes de perder seu corpo). Os corpos de Mãe e do Homem de Preto são postos em uma caverna por Jacob, sendo muitos anos mais tarde encontrados pelos sobreviventes do voo 815.

Nos anos seguintes, o Homem de Preto confrontou seu irmão Jacob na busca para matá-lo, já que Mãe determinou que os irmãos não podiam se ferir levando o Homem de Preto a buscar uma forma alternativa, e também por sair da ilha, que para ele é o inferno. Jacob frequentemente traz pessoas à Ilha para provar que a humanidade vale algo, mas seu irmão sempre acha que eles só "chegam, lutam, destroem, corrompem e tudo sempre termina do mesmo jeito". Alguns dos habitantes antigos da ilha construíram uma câmara com inscrições relacionadas a ele no Templo, e entre os muitos hieróglifos na câmara, havia um, do monstro de fumaça encarando Anubis, o que indica que a entidade pode ter sido vista como um guardião ou divindade. Além disso, há um buraco de ventilação no chão, dando a possibilidade dele acessar o local.

Século XIX[editar | editar código-fonte]

Em algum momento em meados do século XIX, o navio Black Rock chega à Ilha. O Homem de Preto mata a maior parte dos sobreviventes e então manipula o único remanescente, Ricardus, a matar Jacob. A tentativa falha, e Ricardus, mais tarde conhecido Richard Alpert, se torna lacaio de Jacob.

Anos 70-90[editar | editar código-fonte]

Iniciativa DHARMA[editar | editar código-fonte]

Não se sabe o quanto a Iniciativa DHARMA sabia sobre a entidade e suas origens, entretanto, a construção de uma cerca sônica em volta da Vila, sugere que eles estavam ao menos cientes de sua existência na Ilha. No Vídeo da Vila, mostrado para todos novos recrutas na Ilha, Pierre Chang explica que a cerca foi construída para protegê-los da "vida abundante e diversificada da Ilha".

A casa do líder da DHARMA, Horace Goodspeed, foi construída sobre a entrada da câmara de invocação da entidade (e também, sobre uma entrada secreta para Os Túneis), mas é incerto, se a DHARMA sabia do propósito da câmara ou seu significado.

Anos depois, o mapa da porta de segurança, feito por Stuart Radzinsky e Kelvin Inman no Cisne, contém um vasto número de referências à "Atividade Cérberus" e referências à "Cérberus" em vários locais por toda a Ilha, que provavelmente se referia à entidade e seus caminhos subterrâneos.

1988[editar | editar código-fonte]

Em 1988, no caminho para investigar a Torre de Rádio, a Equipe de Expedição Científica de Danielle Rousseau, acompanhada de Jin, foi atacada pelo Monstro. Misteriosamente, repentinamente e silenciosamente, o Monstro mata Nadine, e depois lança árvores do chão. O Monstro então apareceu para o grupo e "olhou" para Montaud. Ele o puxou até levá-lo até o muro em volta do Templo. O time de franceses, com Jin ajudando, tentou salvar Montaud, mas o Monstro puxou seu braço, e levou-o até um buraco na parede do templo. Robert, Brennan e Lacombe tentaram ajudá-lo, mas não conseguiram e o corpo de Montaud continuou em baixo do muro que protegia o Templo.

Os eventos que se seguiram embaixo do Templo são desconhecidos, porém, dois meses depois, Danielle começou a acreditar que "O Monstro" era algum tipo de "doença", que a fez matar Brennan e Lacombe. Jin encontra o corpo dos dois e testemunha o confronto entre ela e Robert. Ele diz que não há doença, e na verdade, o Monstro era um sistema de segurança protegendo o Templo. Mesmo assim, ela mata Robert, achando que a "Contaminação", "o mudou".

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Dias 1-44 (1ª Temporada)[editar | editar código-fonte]

Logo na noite do dia da queda do Voo Oceanic 815, o Monstro fez sua primeira aparição para os sobreviventes. Barulhos mecânicos altos foram ouvidos vindo da selva e árvores foram vistas sendo derrubadas. No dia seguinte, Jack, Kate e Charlie foram inspecionar a seção frontal do avião para ver se encontravam o transceiver. Seth Norris, o piloto, foi encontrado vivo, porém, logo depois foi arrancado pelo "Monstro" para fora da cabine, e foi encontrado desfigurado mais tarde numa árvore.

No quarto dia, Locke foi confrontado pelo "Monstro", mas não é morto. Ele afirma que não o viu, só que mais tarde diz a Jack: "Eu olhei no olho desta Ilha, e o que eu vi foi lindo". Os ruídos metálicos e eletrônicos aparecem nesse encontro com Locke e depois são constantemente ouvidos sempre que o Monstro aparece. Entretanto, mais tarde, quase dois meses depois, Locke conta sua experiência a Mr. Eko, dizendo ter visto o Monstro, porém, não viu a fumaça negra, mas sim uma "linda luz brilhante", portanto, ele pode ter visto o Inimigo em outra de suas formas, ou até mesmo uma entidade completamente diferente.

O Homem de Preto assume a forma de Christian Shephard para guiar Jack primeiro rumo a Locke, que havia se perdido na selva, depois para uma fonte de água.

O Monstro apareceu para Boone numa alucinação causada por uma pasta medicinal que foi aplicada em sua cabeça por Locke. Em seu sonho, o Monstro perseguia Boone e Shannon. Os dois escaparam em segurança de seu primeiro ataque, mas o Monstro retornou e os atacou novamente. Desta vez ele pegou Shannon, que havia ficado para trás, e a levantou do solo. Boone, que já estava a uma certa distância dela e do Monstro, era incapaz de fazer qualquer coisa senão assistir aterrorizado. Depois, Boone encontrou Shannon morta, mutilada e coberta com seu próprio sangue. É importante notar que as ações do Monstro no sonho de Boone são consistentes com seu comportamento fora do sonho, ainda que Boone e Shannon nunca tenham encontrado o Monstro previamente.

No 44º dia, enquanto passavam pelo Território Negro indo ao Black Rock, um grupo abrangendo Danielle Rousseau, Jack, Locke, Hurley, Kate e Arzt, é atacado novamente. Eles se escondem sob grandes árvores, onde Danielle afirma estarem seguros. Jack pergunta a ela o que os perseguiu e ela afirma ser o "Sistema de Segurança da Ilha". Jack então pergunta a ela o que isso faz e ela responde que “Seu propósito é o mesmo de qualquer Sistema de Segurança: Proteger algo”. Kate perguntou então o que ele protegia, e Danielle respondeu “A Ilha”. Mais tarde o Monstro captura Locke e tenta arrastá-lo para um buraco, mas larga-o após Kate dinamitá-lo.

Dias 50-64 (2ª Temporada)[editar | editar código-fonte]

O Monstro encontra Charlie e Mr. Eko enquanto estes rumam para um avião caído. Eko encara o Monstro de frente, antes deste ir embora. Mais tarde o Monstro aparece como Yemi, o falecido irmão de Eko, em sonhos de Eko e Locke para orientá-los rumo à estação Pérola.

Dias 71–82 (3ª Temporada)[editar | editar código-fonte]

Três semanas após a última aparição, o Homem de Preto aparece como Yemi, e exige que Eko se arrependa dos seus pecados. Ele não o faz, Yemi adentra a selva e ressurge como o Monstro, que espanca Eko até a morte. Mais tarde o Homem de Preto aparece como aranhas que paralisam Nikki e como o Monstro perseguindo Kate e Juliet antes de ser parado pela cerca sônica.

O Homem de Preto pode ter aparecido para Ben Linus e John Locke em uma cabana que Ben disse ser de Jacob.

Dias 97–100 (4ª Temporada)[editar | editar código-fonte]

Furioso após matarem sua filha Alex, Ben convoca o Monstro, que mata a maior parte do time de mercenários de Martin Keamy. Mais tarde o Homem de Preto aparece como Christian para Claire, filha de Christian, levando-a para dentro da selva; e para Locke na cabine, orientando-o a "mover a ilha".

5ª Temporada[editar | editar código-fonte]

Quando os sobreviventes remanescentes na Ilha começam a pular no tempo, Locke entra no poço subterrâneo para mover a ilha, e lá é orientado pelo Inimigo na forma de Christian.

Após o pouso do Voo 316 da Ajira Airways na ilha, o Homem de Preto assume a forma de John Locke, cujo corpo estava sendo carregado no avião.