Institut d'études politiques de Paris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
IEP
Sciences Po Paris
Fundação 25 de janeiro de 1872
Tipo de instituição Pública
Docentes 1.400
Total de Estudantes 6.700
Localização Paris
Página oficial http://www.sciences-po.fr
Entree scpo.jpg
Universidades da França Flag of France.svg

O Institut d'Études Politiques de Paris (Instituto de Estudos Políticos de Paris, ou simplesmente Sciences Po) é uma instituição pública francesa de ensino superior especializada nas áreas de Ciências Humanas e Sociais. O Instituto forma juntamente com a Fondation Nationale des Sciences Politiques a instituição conhecida como Sciences Po Paris. A universidade Sciences Po Paris é uma grande école e por isso possui um sistema de seleção mais disputado e exigente do que o das demais universidades francesas. A escola foi criada em 1872 por Émile Boutmy, posteriormente a Guerra franco-prussiana com objetivo de criar, educar e desenvolver uma nova elite francesa. A escola chamava-se inicialmente "École libre des sciences politiques". Foi após o fim da Segunda Guerra Mundial que o então presidente Charles de Gaulle resolveu modificar a gestão da escola e ampliar suas funções públicas como centro de pesquisa criando a Fondation Nationale des Sciences Politiques para funcionar como gestora principal do reformulado Instituto de Estudos Políticos. Na concepção da Sciences Po, o termo estudos políticos faz menção não apenas à ciência política, mas também aos estudos de economia, direito, sociologia, filosofia, história, jornalismo, administração, entre outros.

Como uma das mais prestigiadas e atraentes grandes écoles francesas, a Sciences Po destaca-se entre os mais renomados e fecundos centros de estudo superior da Europa. Consequentemente, em suas áreas, a escola encontra-se nas primeiras posições entre os mais reconhecidos estabelecimentos acadêmicos do mundo. Sendo a principal referência francesa nas áreas de política, economia política e relações internacionais. Em 2013 foi classificada como a melhor universidade de estudos internacionais e políticos da Europa continental[1].

Atualmente os principais ensinos são os seguintes: economia, ciências políticas, direito, relações internacionais, administração, marketing, finanças, comunicação, comercialização, jornalismo, recursos humanos e estudos europeus.

Organização[editar | editar código-fonte]

A entrada da Sciences-Po Paris.
Jardim de Sciences Po, entre a rue Saint-Guillaume e a rue des Saints-Pères.

Gestão[editar | editar código-fonte]

A Sciences Po Paris é gerenciada pela Fondation nationale des sciences politiques (FNSP), fundação privada de utilidade pública, que é presidida atualmente por Jean-Claude Casanova. Já o atual diretor da Sciences Po Paris é Frédéric Mion. A Sciences Po Paris é também membro fundador da Sorbonne Paris Cité[2], o pólo de pesquisa e ensino superior que agrupa algumas das principais universidades de Paris. O reitor atual da Sorbonne Paris Cité é Jean-François Girard.

Diretores da Sciences Po[editar | editar código-fonte]

Diplomas[editar | editar código-fonte]

Atualmente a escolaridade da Sciences Po tem duração de 5 anos para os 2 primeiros ciclos superiores. Os alunos obtêm a graduação após a conclusão do segundo ciclo. O terceiro ciclo é composto por cursos de "mestrado" e "doutorado". A escola mantém convênios para realização de pós-graduação sanduíche com a Universidade de Columbia em Nova Iorque, com a London School of Economics em Londres, com a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e Fundação Getulio Vargas (FGV) no Brasil, com a Universidade Keio em Tóquio e com a Universidade de Pequim na China.

Sciences Po também oferece um Master of Public Affairs em Inglês, um programa de mestrado em dois anos para jovens profissionais de todo o mundo. 

Alunos[editar | editar código-fonte]

Ao longo de sua história passaram pela Sciences Po Paris muitos alunos que se tornariam célebres na França e no restante do mundo. Entre outros, são diplomados desta universidade o escritor Marcel Proust, o secretário-geral da ONU Boutros Boutros-Ghali, o estilista Christian Dior, o príncipe Rainier III de Mônaco, além dos Diretores-gerais do FMI Dominique Strauss-Kahn e Michel Camdessus e do Diretor-Geral da OMC Pascal Lamy. Notoriamente, a Sciences Po Paris detém ampla ascensão sobre a política francesa, sendo comum que os mais altos cargos da administração pública sejam ocupados por pessoas que passaram por essa escola e/ou pela Escola Nacional de Administração. Veja abaixo alguns dos políticos franceses que se graduaram na Sciences Po Paris (Fonte: Annuaire des anciens élèves de Sciences-Po):

Lista de primeiros-ministros da França diplomados de Sciences Po Paris[editar | editar código-fonte]

  • Michel Debré (diplomado em 1933): primeiro-ministro entre o 8 de Janeiro de 1959 e o 14 de Abril de 1962
  • Raymond Barre (diplomado em 1948): primeiro-ministro entre o 26 de Agosto de 1976 e o 21 de Maio de 1981
  • Laurent Fabius (diplomado em 1969): primeiro-ministro entre o 17 de Julho de 1984 e o 20 de Março de 1986
  • Jacques Chirac (diplomado em 1954) : primeiro-ministro entre o 20 de Março de 1986 e o 10 de Maio de 1988
  • Michel Rocard (diplomado em 1952): primeiro-ministro entre o 10 de Maio de 1988 e o 15 de Maio de 1991
  • Edouard Balladur (diplomado em 1950): primeiro-ministro entre o 29 de Março de 1993 e o 18 de Maio de 1995
  • Alain Juppé (diplomado em 1968): primeiro-ministro entre o 18 de Maio de 1995 e o 3 de Junho de 1997
  • Lionel Jospin (diplomado em 1959): primeiro-ministro entre o 3 de Junho de 1997 e o 6 de Maio de 2002
  • Dominique de Villepin (diplomado de 1973): primeiro-ministro entre o 31 de Maio de 2005 e o 15 de Maio de 2007

Lista de presidentes da República francesa diplomados de Sciences Po Paris[editar | editar código-fonte]

Há três décadas todos os chefes de estado da França são ex-alunos da Sciences Po.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Institut d'études politiques de Paris