Institut national des sciences appliquées de Lyon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Institut national des sciences appliquées de Lyon
Lema L'imagination technologique[nota 1]
Fundação 1957
Tipo de instituição Écoles d'ingénieurs (EPSCP)
Localização Villeurbanne, França
Funcionários 626[1]
Docentes 684[1]
Diretor(a) Éric Maurincomme
Total de Estudantes 5400[1]
Doutorado 650
Campus LyonTech - La Doua
Afiliações CGE, CDEFI, AGERA, INSA, CESAER
Orçamento anual 162,3 milhões de euros[2]
Página oficial http://www.insa-lyon.fr

O Institut national des sciences appliquées de Lyon[nota 2] (INSA de Lyon) é uma grande école d'ingénieurs[nota 3] e de pesquisa francesa criada por Jean Capelle, então reitor da universidade de Dakar, graças à aplicação da lei de sua criação do 18 de março de 1957, e inaugurada no dia 12 de novembro de 1957. Jean Capelle foi o pai do modelo "INSA", que possui vários objetivos como: formar engenheiros, participar dos estudos, pesquisas e testes, movimentar as regiões, e facilitar a ascensão social.

A universidade se situa no campus LyonTech, que fica no bairro la Doua em Villeurbanne, área metropolitana da grande Lyon na França.

O INSA de Lyon é o líder da rede INSA (Lyon, Rennes, Ruão, Estrasburgo, Toulouse) que forma a cada ano cerca de 12% dos engenheiros franceses.

Além da formação de engenheiro de 5 anos, as formações propostas compreendem 10 masters recherche[nota 4] , 8 Mastères Spécialisés, 8 écoles doctorales[nota 5] e numerosas formações de curta duração (formação contínua).

Segundo o site letudiant.fr, o INSA de Lyon é a melhor Écoles d'ingénieurs na França francesa em 2013[3] . No entanto, segundo L'usine Nouvelle, o INSA de Lyon está em 3º, logo após a École Polytechnique em Paris e o Grenoble INP em Grenoble[4] .

Formação[editar | editar código-fonte]

Engenheiro[editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon propõe um certo número de formações para engenheiros habilitadas pelo Ministério do Ensino Superior e da Pesquisa (França) francês e aprovadas pela Commission des titres d'ingénieur[5] :

Admissão[editar | editar código-fonte]

O procedimento de admissão é comum a todos INSAs. O critério necessário de aceitação é possuir um dos baccalauréats[6] :

  • Científico;
  • De ciências e tecnologias industriais (e do desenvolvimento sustentável);
  • De ciências e tecnologias do laboratório.

ou diplomas equivalentes de outros países. Procedimentos de entrada do segundo ao quarto ano também existem.

Primeiro ciclo[editar | editar código-fonte]

Desde 1969, o primeiro ciclo é constituído de dois anos de formação fundamental. Os élèves-ingénieurs[nota 6] recebem uma formação científica de base, incluindo aulas de laboratórios em grupo e ciências humanas (línguas, comunicação, administração, etc). Esses dois anos permitem aos alunos se orientarem a um dos 12 departamentos do segundo ciclo. O primeiro ano é probatório. Durante o primeiro ciclo é possível seguir modalidades internacionais[7] (filières internationales), cujo programa apresenta, além da modalidade clássica[8] :

  • Cursos em pequenos grupos;
  • Duas línguas obrigatórias (além da língua materna);
  • Apoio científico;
  • Sensibilização às culturas e instituições internacionais;
  • Cursos de Francês para estudantes estrangeiros;
  • Estágio obrigatório de um a dois meses: na França para estrangeiros e em um país não francófono para os estudantes franceses.

Segundo ciclo[editar | editar código-fonte]

O segundo ciclo dura três anos. Os alunos prosseguem em um dos 12 departamentos[9] :

  • Bioquímica e Biotecnologias (BB);
  • Bioinformática e Modelização (BIM);
  • Engenharia civil e urbanismo (GCU);
  • Engenharia elétrica (GE);
  • Engenharia de energia e ambiente (GEN);
  • Engenharia mecânica de concepção (GMC);
  • Engenharia mecânica de desenvolvimento (GMD);
  • Engenharia mecânica de processos de plasturgia (GMPP);
  • Engenharia Industrial (GI);
  • Ciências da computação (IF);
  • Ciências e Engenharia dos Materiais (SGM);
  • Telecomunicações, Serviços e Usos (TC);

Três formações são propostas via aprendizado[10] : Engenharia Mecânica de Processos de Plasturgia (GMPP), Engenharia Mecânica de Concepção e Inovação de Produtos (GMCIP), Engenharia Elétrica (GEAL) e, futuramente, um curso de telecomunicações.

Acordos de intercâmbio[editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon possui acordos de intercâmbio com 250 universidades[11] .

Acordos de duplo diploma[editar | editar código-fonte]

As universidades a seguir possuem acordos com o INSA de Lyon, ou seja, os estudantes estão assegurados que o duplo diploma é possível:

Master Recherche[nota 7] [editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon propõe 10 master recherche. Eles são orientados à formação para e pela pesquisa, tendo o apoio de 20 laboratórios de pesquisa.

Doutorado[editar | editar código-fonte]

O doutorado na frança é um diploma obtido após três anos de estudos e pesquisa, realizado em meio a uma equipe de pesquisadores, e sob a direção de um professor e/ou pesquisador habilitado a conduzir pesquisas. No INSA de Lyon, o doutorando se inscreve em uma das oito écoles doctorales[12] .

Mastères spécialisés[nota 8] [editar | editar código-fonte]

No INSA de Lyon, há nove Mastères spécialisés reconhecidos pela Conférence des grandes écoles[13] :

  • Mestrado Especializado em informática: Sistemas de informação/telecomunicações, redes;
  • Mestrado Especializado de Engenharia e Administração da segurança dos sistemas de informação (MSIMSSI);
  • Mestrado Especializado de Administração do Meio Ambiente e da Eco-Eficiência Energética (ME4);
  • Mestrado de Direção Técnica das Artes Cênicas;
  • Mestrado Especializado de Concepção, Realização e Administração dos Sistemas de Informação;
  • Mestrado Especializado de Engenharia Industrial;
  • Mestrado Especializado PLM: Product Lifecycle Management;
  • Mestrado Especializado franco-chinês: International Energy Management e International Environmental Management;
  • Mestrado Especializado de Túneis e Obras Subterrâneas.

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon concentra 6 pólos de competência:

  • Química, Biologia e Saúde;
  • Energia, Ambiente, Urbanização Durável (EEUD);
  • Ciência e Tecnologia da Informação (STI);
  • Mecânica;
  • Materiais;
  • Micro-Nanotecnologias-Eletrônica (MNTE).

Um grande centro francês de pesquisa[editar | editar código-fonte]

Com 20 laboratórios, dos quais 16 contratualizados com os Établissements publics à caractère scientifique et technologique (16 CNRS, 1 INSERM, 1 INRA), o INSA de Lyon constitui um grande centro de pesquisa planejado em resposta às questões sócio-econômicas. No total, cerca de 650 professores e/ou pesquisadores, 250 mestrandos, 640 doutorandos estão ligados aos laboratórios e cerca de 130 teses de doutorado são defendidas por ano.

Serviços às empresas[editar | editar código-fonte]

INSAVALOR, filial do INSA de Lyon, tem como objetivo principal a transferência e a valorização das atividades de pesquisa, através dos 27 laboratórios de pesquisa. Sendo a passarela entre o mundo da pesquisa e da economia, o INSAVALOR trabalha no acompanhamento das empresas que desejam desenvolver trabalhos de pesquisa em parceria, contribuindo com a:

  • Identificação de equipes de pesquisa, equipamentos e modos de colaboração correspondendo a suas necessidades;
  • Implementação da parceria com os laboratórios, propondo uma estrutura jurídica clara e fornecendo seu apoio operacional para o bom desenvolvimento do projeto;
  • Perenização das relações entre os laboratórios e as empresas, através da proposição de acordos estruturais e da recepção de empresas inovantes no Centro de Empresas e de Inovação.

Formação contínua[editar | editar código-fonte]

O INSACAST é a filial do INSA de Lyon especializada na formação contínua. O INSACAST recebe 2500 estagiários e realiza 350 ações de formação por ano. A atuação do INSACAST se apoia sobretudo na perícia e no know-how do INSA de Lyon. Uma variedade de formações é disponibilizada não somente nos campos científico e técnico, mas também em assuntos transversais como a administração, e a gestão de projetos e de qualidade.

Vida estudantil[editar | editar código-fonte]

Foto do evento "Les 24h de l'INSA" no campus LyonTech - La Doua, em Villeurbanne, maio de 2009

O INSA de Lyon possui 3200 vagas de alojamento[14] para estudantes em onze prédios, possuindo também quatro restaurantes universitários, que funcionam inclusive nos finais de semana (meio-período): grelhados (Le Grillon), pizzaria (L'Olivier), tradicional (Castor & Pollux) e um restaurante à emporter (Le Prévert). No INSA de Lyon organiza-se o maior festival estudantil francês, chamado Les 24h de l'INSA[nota 9] , ocorrendo anualmente no mês de maio. Nas últimas edições, grupos como o Shaka Ponk, Skip The Use e o Housse de Racket se apresentaram. Os insaliens são também convidados a um dos maiores "finais de semana de integração"[nota 10] da França e ao High Five (encontro esportivo dos 5 INSAs).

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Imaginação tecnológica.
  2. Instituto nacional das ciências aplicadas.
  3. Escola de engenheiros.
  4. Master's degree orientado à pesquisa.
  5. Escolas doutorais, em que cada doutorando deve se matricular.
  6. Alunos engenheiros.
  7. "Mestrado de Pesquisa".
  8. "Mestrado especializado".
  9. As 24h do INSA.
  10. Week-End d'Intégration (WEI) (em francês).

Referências

  1. a b c Carte d'identité. www.insa-lyon.fr. Página visitada em 17/03/2013. (em francês)
  2. Camille Lenoble. Classement 2010 des écoles d'ingénieurs: Lyon dans le top 10. Only Lyon. Arquivado do original em 26 février 2010. (em francês)
  3. PALMARÈS 2013 DES ÉCOLES D'INGÉNIEURS APRÈS BAC (em francês)
  4. Le classement 2013 des écoles d'ingénieurs (em francês)
  5. Arrêté du 16 janvier 2009 fixant la liste des écoles habilitées à délivrer un titre d'ingénieur diplômé. www.legifrance.gouv.fr. Página visitada em 24/03/2013. (em francês)
  6. Comment s'inscrire en 1ère année ?. Página visitada em 24/03/2013. (em francês)
  7. Premier cycle. Página visitada em 24/03/2013. (em francês)
  8. Filières internationales. Página visitada em 24/03/2013. (em francês)
  9. Second cycle. Página visitada em 24/03/2013. (em francês)
  10. Ingénieur par apprentissage. Página visitada em 24/03/2013. (em francês)
  11. Mobilité internationale (em francês)
  12. Formation doctorale (em francês)
  13. Mastères spécialisés (em francês)
  14. Carte d'identité. www.insa-lyon.fr. Página visitada em 12 de abril de 2013. (em francês)