Institut national des sciences appliquées de Lyon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Institut national des sciences appliquées de Lyon
INSA de Lyon
Lema L'imagination technologique[nota 1]
Fundação 1957
Tipo de instituição Écoles d'ingénieurs (EPSCP)
Localização Villeurbanne, França
Funcionários 626[1]
Docentes 684[1]
Diretor(a) Éric Maurincomme
Total de Estudantes 5400[1]
Doutorado 650
Campus LyonTech - La Doua
Afiliações CGE, CDEFI, AGERA, INSA, CESAER
Orçamento anual 162,3 milhões de euros[2]
Página oficial http://www.insa-lyon.fr

O Institut national des sciences appliquées de Lyon[nota 2] (INSA de Lyon) é uma grande école d'ingénieurs[nota 3] e de pesquisa francesa criada por Jean Capelle, então reitor da universidade de Dakar, graças à aplicação da lei de sua criação do 18 de março de 1957, e inaugurada no dia 12 de novembro de 1957. Jean Capelle foi o pai do modelo "INSA", que possui vários objetivos como: formar engenheiros, participar dos estudos, pesquisas e testes, movimentar as regiões, e facilitar a ascensão social.

A universidade se situa no campus LyonTech, que fica no bairro la Doua em Villeurbanne, área metropolitana da grande Lyon na França.

O INSA de Lyon é o líder da rede INSA (Lyon, Rennes, Ruão, Estrasburgo, Toulouse) que forma a cada ano cerca de 12% dos engenheiros franceses.

Além da formação de engenheiro de 5 anos, as formações propostas compreendem 10 masters recherche[nota 4] , 8 Mastères Spécialisés, 8 écoles doctorales[nota 5] e numerosas formações de curta duração (formação contínua).

Segundo o site letudiant.fr, o INSA de Lyon é a melhor Écoles d'ingénieurs na França francesa em 2013[3] . No entanto, segundo L'usine Nouvelle, o INSA de Lyon está em 3º, logo após a École Polytechnique em Paris e o Grenoble INP em Grenoble[4] .

Formação[editar | editar código-fonte]

Engenheiro[editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon propõe um certo número de formações para engenheiros habilitadas pelo Ministério do Ensino Superior e da Pesquisa (França) francês e aprovadas pela Commission des titres d'ingénieur[5] :

Admissão[editar | editar código-fonte]

O procedimento de admissão é comum a todos INSAs. O critério necessário de aceitação é possuir um dos baccalauréats[6] :

  • Científico;
  • De ciências e tecnologias industriais (e do desenvolvimento sustentável);
  • De ciências e tecnologias do laboratório.

ou diplomas equivalentes de outros países. Procedimentos de entrada do segundo ao quarto ano também existem.

Primeiro ciclo[editar | editar código-fonte]

Desde 1969, o primeiro ciclo é constituído de dois anos de formação fundamental. Os élèves-ingénieurs[nota 6] recebem uma formação científica de base, incluindo aulas de laboratórios em grupo e ciências humanas (línguas, comunicação, administração, etc). Esses dois anos permitem aos alunos se orientarem a um dos 12 departamentos do segundo ciclo. O primeiro ano é probatório. Durante o primeiro ciclo é possível seguir modalidades internacionais[7] (filières internationales), cujo programa apresenta, além da modalidade clássica[8] :

  • Cursos em pequenos grupos;
  • Duas línguas obrigatórias (além da língua materna);
  • Apoio científico;
  • Sensibilização às culturas e instituições internacionais;
  • Cursos de Francês para estudantes estrangeiros;
  • Estágio obrigatório de um a dois meses: na França para estrangeiros e em um país não francófono para os estudantes franceses.

Segundo ciclo[editar | editar código-fonte]

O segundo ciclo dura três anos. Os alunos prosseguem em um dos 12 departamentos[9] :

  • Bioquímica e Biotecnologias (BB);
  • Bioinformática e Modelização (BIM);
  • Engenharia civil e urbanismo (GCU);
  • Engenharia elétrica (GE);
  • Engenharia de energia e ambiente (GEN);
  • Engenharia mecânica de concepção (GMC);
  • Engenharia mecânica de desenvolvimento (GMD);
  • Engenharia mecânica de processos de plasturgia (GMPP);
  • Engenharia Industrial (GI);
  • Ciências da computação (IF);
  • Ciências e Engenharia dos Materiais (SGM);
  • Telecomunicações, Serviços e Usos (TC);

Três formações são propostas via aprendizado[10] : Engenharia Mecânica de Processos de Plasturgia (GMPP), Engenharia Mecânica de Concepção e Inovação de Produtos (GMCIP), Engenharia Elétrica (GEAL) e, futuramente, um curso de telecomunicações.

Acordos de intercâmbio[editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon possui acordos de intercâmbio com 250 universidades[11] .

Acordos de duplo diploma[editar | editar código-fonte]

As universidades a seguir possuem acordos com o INSA de Lyon, ou seja, os estudantes estão assegurados que o duplo diploma é possível:

Master Recherche[nota 7] [editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon propõe 10 master recherche. Eles são orientados à formação para e pela pesquisa, tendo o apoio de 20 laboratórios de pesquisa.

Doutorado[editar | editar código-fonte]

O doutorado na frança é um diploma obtido após três anos de estudos e pesquisa, realizado em meio a uma equipe de pesquisadores, e sob a direção de um professor e/ou pesquisador habilitado a conduzir pesquisas. No INSA de Lyon, o doutorando se inscreve em uma das oito écoles doctorales[12] .

Mastères spécialisés[nota 8] [editar | editar código-fonte]

No INSA de Lyon, há nove Mastères spécialisés reconhecidos pela Conférence des grandes écoles[13] :

  • Mestrado Especializado em informática: Sistemas de informação/telecomunicações, redes;
  • Mestrado Especializado de Engenharia e Administração da segurança dos sistemas de informação (MSIMSSI);
  • Mestrado Especializado de Administração do Meio Ambiente e da Eco-Eficiência Energética (ME4);
  • Mestrado de Direção Técnica das Artes Cênicas;
  • Mestrado Especializado de Concepção, Realização e Administração dos Sistemas de Informação;
  • Mestrado Especializado de Engenharia Industrial;
  • Mestrado Especializado PLM: Product Lifecycle Management;
  • Mestrado Especializado franco-chinês: International Energy Management e International Environmental Management;
  • Mestrado Especializado de Túneis e Obras Subterrâneas.

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

O INSA de Lyon concentra 6 pólos de competência:

  • Química, Biologia e Saúde;
  • Energia, Ambiente, Urbanização Durável (EEUD);
  • Ciência e Tecnologia da Informação (STI);
  • Mecânica;
  • Materiais;
  • Micro-Nanotecnologias-Eletrônica (MNTE).

Um grande centro francês de pesquisa[editar | editar código-fonte]

Com 20 laboratórios, dos quais 16 contratualizados com os Établissements publics à caractère scientifique et technologique (16 CNRS, 1 INSERM, 1 INRA), o INSA de Lyon constitui um grande centro de pesquisa planejado em resposta às questões sócio-econômicas. No total, cerca de 650 professores e/ou pesquisadores, 250 mestrandos, 640 doutorandos estão ligados aos laboratórios e cerca de 130 teses de doutorado são defendidas por ano.

Serviços às empresas[editar | editar código-fonte]

INSAVALOR, filial do INSA de Lyon, tem como objetivo principal a transferência e a valorização das atividades de pesquisa, através dos 27 laboratórios de pesquisa. Sendo a passarela entre o mundo da pesquisa e da economia, o INSAVALOR trabalha no acompanhamento das empresas que desejam desenvolver trabalhos de pesquisa em parceria, contribuindo com a:

  • Identificação de equipes de pesquisa, equipamentos e modos de colaboração correspondendo a suas necessidades;
  • Implementação da parceria com os laboratórios, propondo uma estrutura jurídica clara e fornecendo seu apoio operacional para o bom desenvolvimento do projeto;
  • Perenização das relações entre os laboratórios e as empresas, através da proposição de acordos estruturais e da recepção de empresas inovantes no Centro de Empresas e de Inovação.

Formação contínua[editar | editar código-fonte]

O INSACAST é a filial do INSA de Lyon especializada na formação contínua. O INSACAST recebe 2500 estagiários e realiza 350 ações de formação por ano. A atuação do INSACAST se apoia sobretudo na perícia e no know-how do INSA de Lyon. Uma variedade de formações é disponibilizada não somente nos campos científico e técnico, mas também em assuntos transversais como a administração, e a gestão de projetos e de qualidade.

Vida estudantil[editar | editar código-fonte]

Foto do evento "Les 24h de l'INSA" no campus LyonTech - La Doua, em Villeurbanne, maio de 2009

O INSA de Lyon possui 3200 vagas de alojamento[14] para estudantes em onze prédios, possuindo também quatro restaurantes universitários, que funcionam inclusive nos finais de semana (meio-período): grelhados (Le Grillon), pizzaria (L'Olivier), tradicional (Castor & Pollux) e um restaurante à emporter (Le Prévert). No INSA de Lyon organiza-se o maior festival estudantil francês, chamado Les 24h de l'INSA[nota 9] , ocorrendo anualmente no mês de maio. Nas últimas edições, grupos como o Shaka Ponk, Skip The Use e o Housse de Racket se apresentaram. Os insaliens são também convidados a um dos maiores "finais de semana de integração"[nota 10] da França e ao High Five (encontro esportivo dos 5 INSAs).

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Imaginação tecnológica.
  2. Instituto nacional das ciências aplicadas.
  3. Escola de engenheiros.
  4. Master's degree orientado à pesquisa.
  5. Escolas doutorais, em que cada doutorando deve se matricular.
  6. Alunos engenheiros.
  7. "Mestrado de Pesquisa".
  8. "Mestrado especializado".
  9. As 24h do INSA.
  10. Week-End d'Intégration (WEI) (em francês).

Referências