Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

IBGE
IBGE.jpg
Organização
Natureza jurídica Fundação pública[1]
Missão Retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento da sua realidade e ao exercício da cidadania.[2]
Atribuições Produção, análise, pesquisa e disseminação de informações de natureza estatística — demográfica e sócio-econômica, e geocientífica — geográfica, cartográfica, geodésica e ambiental.[1]
Dependência Governo Federal do Brasil
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão[1]
Chefia Wasmália Socorro Barata Bivar[3] , Presidente
Número de funcionários 10.170[4]
Orçamento anual R$ 1.588.744.584 (LOA 2011)[5]
Localização
Jurisdição territorial Brasil
Sede Rio de Janeiro (RJ)[1]
Histórico
Antecessor Instituto Nacional de Estatística[6]
Criação 1934[6]
Sítio na internet
www.ibge.gov.br

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ou IBGE é uma fundação pública da administração federal brasileira criada em 1934 e instalada em 1936 com o nome de Instituto Nacional de Estatística; seu fundador e grande incentivador foi o estatístico Mário Augusto Teixeira de Freitas. O nome atual data de 1938. A sede do IBGE está localizada na cidade do Rio de Janeiro.

O IBGE tem atribuições ligadas às geociências e estatísticas sociais, demográficas e econômicas, o que inclui realizar censos e organizar as informações obtidas nesses censos, para suprir órgãos das esferas governamentais federal, estadual e municipal, e para outras instituições e o público em geral.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A data oficial de criação do IBGE é 29 de maio de 1936, quando foi regulamentado o Instituto Nacional de Estatística. Após a extinção do INE, foi criado o IBGE mediante o Decreto-Lei n. 218 de 26 de janeiro de 1938.[7]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O IBGE é uma entidade da administração pública federal, constituído na forma de fundação pública pelo Decreto-lei nº 161, de 13 de fevereiro de 1967,[8] vinculado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Possui a presidência, quatro diretorias e dois outros órgãos centrais.

O IBGE possui uma rede nacional de pesquisa e disseminação, composta por:

  • Vinte e sete (27) unidades estaduais (26 nas capitais dos estados e 1 no Distrito Federal)
  • Vinte e sete supervisões de documentação e disseminação de informações (26 nas capitais e 1 no Distrito Federal)
  • Vinte e sete supervisões de base territorial (26 nas capitais e 1 no Distrito Federal)
  • Seis gerências de Geodésia e Cartografia (Bahia, Distrito Federal, Ceará, Goiânia, Pará e Santa Catarina)
  • Cinco gerências de Recursos Naturais (Bahia, Distrito Federal, Goiânia, Pará e Santa Catarina)
  • Quinhentas e oitenta e uma (581) agências de pesquisa e disseminação nos principais municípios.
  • Sede na cidade do Rio de Janeiro, onde está instalada a presidência, as diretorias e órgãos centrais a saber:
    • Diretoria Executiva (DE).
    • Diretoria de Pesquisas (DPE), responsável pelo planejamento e coordenação e execução das pesquisas de cunho estatístico.
    • Diretoria de Geociências (DGC), responsável pela cartografia básica, pelo sistema geodésico brasileiro, pela representação da estrutura territorial, pelo levantamento de recursos naturais e meio ambiente e pelos levantamento e estudos geográficos.
    • Diretoria de Informática (DI)
    • Centro de Documentação e Disseminação de Informações (CDDI), responsável pela documentação e pela disseminação das informações produzidas pelo instituto, bem como coordenar as 27 SDIs do país.
    • Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE),[9] responsável pelo treinamento dos servidores do instituto. A ENCE também é uma instituição federal de ensino superior que oferece os seguintes cursos:
      • Bacharelado em Estatística.
      • Especialização em Análise Ambiental e Gestão do Território.
      • Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais.

O IBGE mantém, ainda, a Reserva Ecológica do Roncador, situada a 35 km ao sul de Brasília.

Sistema de contas nacionais[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Exemplar da monumental Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, editada pelo IBGE nos anos 50 e 60 do século XX.

Dá uma visão de conjunto da economia e descreve os fenômenos da vida econômica: produção, consumo, acumulação e riqueza, fornecendo uma representação compreensível e simplificada destes dados. O Sistema de Contas Nacionais do IBGE segue as mais recentes recomendações das Nações Unidas expressas no Manual de Contas Nacionais (System of National Accounts 1993, SNA), incluindo o cálculo do Produto interno bruto (PIB) e a Matriz de insumo-produto.

Contas nacionais trimestrais[editar | editar código-fonte]

Apresenta os valores correntes e os índices de volume (1991=100) trimestralmente para o Produto interno bruto a preços de mercado, impostos sobre produtos, valor adicionado a preços básicos, consumo pessoal, consumo do governo, formação bruta de capital fixo, variação de estoques, exportações e importações de bens e serviços. São calculadas duas séries de números-índices: a com base no ano anterior e a encadeada com referência em 1990 (1990 = 100). A série encadeada é ajustada sazonalmente pelo X12-ARIMA possibilitando o cálculo das taxas de variação em relação ao trimestre imediatamente anterior.

No IBGE a pesquisa foi iniciada em 1988 e reestruturada a partir de 1998, quando os seus resultados foram integrados ao atual Sistema de Contas Nacionais. As ponderações anuais são obtidas a partir deste novo sistema de contas. Periodicidade: trimestral. Abrangência geográfica: Brasil.

Pesquisas permanentes[editar | editar código-fonte]

Sede do Centro de Documentação e Disseminação de Informações (CDDI) do IBGE, no bairro do Maracanã. Ao fundo, a sede da Golden Cross. À direita, uma sucursal da Petrobras.

O IBGE mantém as seguintes pesquisas permanentes (lista não-exaustiva):

  • Produção Agrícola Municipal (PAM)
  • Pesquisa Pecuária Municipal (PPM)
  • Pesquisa Extração Vegetal e Silvicultura (PEVS)
  • Pesquisa Anual da Indústria (modelo completo) (PIA-C)
  • Pesquisa Anual da Indústria (modelo simplificado) (PIA-S)
  • Pesquisa Anual da Indústria (produto) (PIA-Prod)
  • Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC)
  • Pesquisa Anual do Comércio (modelo simplificado) (PAC-S)
  • Pesquisa Anual do Comércio (modelo completo) (PAC-C)
  • Pesquisa Anual dos Serviços (PAS)
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNADC)
  • Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF)
  • Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF)

Obrigatoriedade e sigilo das informações[editar | editar código-fonte]

A legislação vigente, de acordo com o Decreto Federal nº 73.177 de 20 de novembro de 1973[10] e a Lei nº 5.534 de 14 de novembro de 1968,[11] modificada pela Lei nº 5.878 de 11 de maio de 1978,[12] dispõe sobre a obrigatoriedade e sigilo das informações coletadas pelo IBGE, as quais se destinam, exclusivamente, a fins estatísticos e não poderão ser objeto de certidão e nem terão eficácia jurídica como meio de prova.

A não prestação de informações nos prazos fixados bem como a prestação de informações falsas constitui infração sujeito à multa de até 10 vezes o maior salário mínimo vigente no país, quando primário, e de até o dobro desse limite quando reincidente.

Um Toyota Bandeirante, utilizado pelo IBGE na agência de Sinop, em Mato Grosso.

Alguns índices econômicos divulgados pelo IBGE[editar | editar código-fonte]

  • Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor;
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC);
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);
    • Índice Nacional da Construção Civil (INCC).

Veja também: Índices de inflação do Brasil.

Censos[editar | editar código-fonte]

Censo demográfico[editar | editar código-fonte]

O IBGE realiza vários tipos de censos, embora o mais conhecido seja o Censo demográfico, que é o conjunto de dados estatísticos sobre a população de um país. No Brasil, os censos demográficos são realizado de 10 em 10 anos exclusivamente pelo IBGE, pois é o órgão definido por lei como responsável pela sua realização.

Contagem de população[editar | editar código-fonte]

A Contagem de população é realizada entre o intervalo de dois censos demográficos, geralmente cinco anos depois do último ou cinco antes do próximo. Objetiva atualizar os dados sobre o número de habitantes, e nem sempre é aplicada em todos os municípios.

A primeira contagem de população foi realizada em 1996, não só para atualizar os dados populacionais, mas principalmente pelo surgimento de novos 1 500 municípios após o Censo demográfico de 1991.

Passado o censo realizado no ano 2000, o IBGE procedeu a contagem populacional no ano de 2007, a qual teve como objetivo atualizar as estimativas de população, incorporando também as mudanças demográficas ocorridas no território nacional, desde o último levantamento de referência que, neste caso, foi o Censo demográfico 2000.

A Contagem de população é de grande importância para os municípios, pois o repasse anual de verbas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), realizado pela União, é determinado por vários fatores, mas principalmente pelas estimativas de variação populacional fornecidas pelo IBGE, que influem diretamente no cálculo do coeficiente para o repasse do FPM aos municípios.

O censo demográfico é uma pesquisa sobre a população que possibilita a recolha de várias informações , tais como o número de habitantes, número de homens, mulheres, crianças e idosos, onde e como vivem as pessoas (se vivem de aluguel , se estão pagando o imóvel ou se é casa própria) e o trabalho que realizam (qual o salário , qual o trabalho, se é formado no que trabalha , etc.), entre outras coisas.

Censo agropecuário[editar | editar código-fonte]

O Censo agropecuário é o levantamento de informações sobre estabelecimentos agropecuários, florestais e/ou aquícolas de todos os municípios de um país. O objetivo da pesquisa é atualizar dados de censos anteriores, fornecer informações sobre aspectos econômicos, sociais e ambientais da atividade agropecuária. Ocorre geralmente a cada 10 anos.

O último censo agropecuário realizado pelo IBGE no Brasil havia sido em 1996. Em 2007, foi realizado um novo censo agropecuário, referente às atividades desenvolvidas no ano anterior.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal
A Wikipédia possui o
Portal da economia.