Instituto Brasileiro de Turismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Embratur ou Instituto Brasileiro de Turismo é o nome de uma autarquia especial do Ministério do Turismo do Brasil. Sua função é executar a Política Nacional de Turismo do governo brasileiro no que diz respeito a promoção, marketing e apoio à comercialização dos destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional.

História[editar | editar código-fonte]

A Embratur foi criada em 18 de novembro de 1966, durante o governo do presidente Castelo Branco, sob o nome Empresa Brasileira de Turismo e o status de empresa estatal. Seu objetivo inicial era promover o desenvolvimento, a normalização e a regulamentação da atividade turística no Brasil. Em 2003, com a mudança de foco da autarquia para a promoção, o marketing e a comercialização, essas atribuições passaram a ser responsabilidade da Secretaria Nacional de Políticas de Turismo.

Plano Aquarela[editar | editar código-fonte]

As ações da Embratur são orientadas pelo Plano Aquarela: Marketing Turístico Internacional. Lançado em 2005, ele orienta as estratégias e define os mercados prioritários de atuação segundo critérios como o volume atual de turistas que enviam e as receitas que geram no País, a acessibilidade aérea, marítima ou terrestre, as oportunidades de crescimento e as afinidades culturais.

Elaboração[editar | editar código-fonte]

O Plano Aquarela foi desenvolvido pela Embratur, sob coordenação do Ministério do Turismo brasileiro, e com a colaboração da empresa de consultoria internacional em turismo Chias Marketing.

Baseado em um estudo conduzido em 18 países, o plano foi desenvolvido a partir de consultas tanto a profissionais de turismo quanto a consumidores.

A pesquisa revelou que a natureza e a alegria do povo brasileiro são o que o País tem de mais positivo na visão do estrangeiro: 86% deles têm intenção de voltar e 99% recomendam o destino para outras pessoas. O Plano Aquarela define a promoção do Brasil no exterior por meio de cinco grandes segmentos: Sol e Praia, Ecoturismo e Aventura, Cultura, Esporte e Negócios, Eventos e Incentivos.

Estratégia e resultados[editar | editar código-fonte]

O conceito estratégico do Plano Aquarela é a imagem do Brasil como destino turístico moderno, com credibilidade, alegre, jovem e hospitaleiro, capaz de proporcionar lazer de qualidade, realizar negócios, eventos e incentivos e de ser competitivo internacionalmente. A variedade cultural, natural, étnica e social brasileira é um aspecto sempre central nas campanhas publicitárias veiculadas dentro do plano. Nos quatro primeiros anos de aplicação do Plano (2005/2008), houve uma evolução positiva no número de turistas, na entrada de divisas, no aumento do tempo de permanência e na diversificação dos destinos visitados pelos estrangeiros. A inclusão do setor de Negócios, Eventos e Incentivos como uma das principais estratégias da promoção turística do País também facultou o crescimento expressivo do setor, consolidando o Brasil entre os 10 principais destinos que mais recebem os eventos internacionais no mundo: entre 2003 e 2008, o Brasil saltou da 19ª para a 7ª posição na classificação da ICCA (International Congress and Convention Association), a principal entidade mundial do ramo.

Marca Brasil[editar | editar código-fonte]

A Marca Brasil representa a imagem do turismo brasileiro e dos principais atributos de exportação do País no estrangeiro. O símbolo, que é o logotipo oficial da promoção do Brasil, foi incorporado em todos os programas de promoção, divulgação e de apoio à comercialização dos produtos, serviços e destinos turísticos brasileiros no mercado internacional. A marca é registrada e está sob a gestão da Embratur que é a responsável pela autorização do uso, a partir de normas preeestabelecidas no manual de aplicação.

Criação[editar | editar código-fonte]

A criação da Marca Brasil, feita a partir de um concurso nacional promovido em associação entre a Embratur e ADG (Associação de Designers Gráficos), contou ainda com a participação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Estrangeiro (MDIC). O designer Kiko Farkas, da Máquina Estúdio, foi o vencedor.

A Marca Brasil foi criada sob a égide dos indicadores das pesquisas usadas para a composição do Plano Aquarela: o verde está associado com as florestas; o azul com o céu e com as águas; o amarelo com o Sol e a luminosidade; o vermelho e o laranja com as festas populares; e o branco com as manifestações religiosas e com a paz.

Repercussão[editar | editar código-fonte]

De acordo com a pesquisa Turista Atual, realizada em 2009 em 10 aeroportos brasileiros com turistas estrangeiros provenientes de 27 países, o reconhecimento espontâneo da Marca Brasil subiu de 11% em 2006 para 20% em 2009. Desde a sua criação, cerca de 1.600 empresas em mais de 20 países já solicitaram o uso da marca no seu material publicitário. Empresas de turismo, como a CVC, e companhias aéreas, como Varig e TAM, aderiram à Marca Brasil, ao lado de empresas como a Grendene, Nestlé, Rosa Chá, Penalty e Mate Leão que usaram a Marca Brasil nos seus produtos para exportação.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.