Instituto Federal do Amazonas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
IFAM
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas
LogoIFSP.jpg
Fundação 29 de dezembro de 2008
Tipo de instituição pública federal
Campi Manaus (sede)
Coari
Lábrea
Maués
Parintins
Presidente Figueiredo
São Gabriel da Cachoeira
Tabatinga
Estado Amazonas
Página oficial http://www.ifam.edu.br/
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas foi criado mediante integração do Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas e das Escolas Agrotécnicas Federais de Manaus e de São Gabriel da Cachoeira. Sua Reitoria está instalada em Manaus.

Unidades formadoras[editar | editar código-fonte]

CEFET-AM[editar | editar código-fonte]

A instituição tem como origem a Escola de Aprendizes Artífices, instalada em 1º de outubro de 1910 na cidade de Manaus, seguindo Decreto Nº 7.566 de 23 de setembro de 1909, assinado pelo então presidente Nilo Peçanha.

Durante o Estado Novo, a Escola ganhou seu espaço definitivo, onde até então, era a Praça Rio Branco. Através do Decreto Nº 4.127/42, passou a denominar-se Escola Técnica Federal de Manaus. Em consequência da Lei Federal Nº 3.552, de 16 de janeiro de 1959, obteve a sua autonomia e pelo Decreto Nº 47.038/59, transformou-se em Autarquia. Em 1965, passou a denominar-se Escola Técnica Federal do Amazonas – ETFAM.

Em 1987 a Escola Técnica Federal do Amazonas expandiu-se e, além de sua sede, na Av. Sete de Setembro no centro da capital, conta com uma Unidade de Ensino Descentralizada (UNED), localizada na Av. Danilo Areosa, no bairro Distrito Industrial.

Através do Decreto Presidencial de 26 de março de 2001, publicado no Diário Oficial da União de 27 de março de 2001, foi implantado o Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas – CEFET-AM, em razão da transformação da então Escola Técnica Federal do Amazonas.

Em 2007, passou a contar com mais uma unidade de ensino, localizada na cidade de Coari.

Escola Agrotécnica Federal de Manaus[editar | editar código-fonte]

Através da Lei Nº 11.892 sancionada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 29 de dezembro de 2008, a extinta Escola Agrotécnica Federal de Manaus, passou a condição de Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Amazonas - IFAM, contexto em que passou a denominar-se Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFAM, Campus Manaus- zona leste.

A EAFM foi criada pelo Decreto Lei nº. 2.225 de 05/1940, como Aprendizado Agrícola Rio Branco com sede no Estado do Acre. Iniciou suas atividades em 19 de abril de 1941. Transferiu-se para o Amazonas através do Decreto Lei nº. 9.758, de 5 de setembro de 1946, foi elevada à categoria de escola, passando a denominar-se Escola de Iniciação Agrícola do Amazonas, posteriormente passou a ser chamado Ginásio Agrícola do Amazonas.

Em 12 de maio de 1972, foi elevada a categoria de Colégio Agrícola do Amazonas, pelo Decreto nº70.513, ano em que se transferiu para o atual endereço.

Em 1979, através do Decreto nº. 83.935 de 4 de setembro de 1979, recebeu o nome que até hoje vigora: Escola Agrotécnica Federal de Manaus. Transformou-se em autarquia educacional de regime pela Lei nº. 8.731 de 16 de novembro de 1993 vinculada ao Ministério da Educação e do Desporto, através da Secretaria de Educação Média e Tecnológica, nos termos do art. 2º do anexo I do Decreto Nº. 2.147 de 14 de fevereiro de 1997.

Escola Agrotécnica Federal de São Gabriel da Cachoeira[editar | editar código-fonte]

A Escola Agrotécnica Federal de São Gabriel da Cachoeira foi criada pela Lei 8.670 de 30 de junho de 1993, sendo transformada em autarquia federal pela Lei 8.731 de 16 de novembro de 1993.

Em 1995 houve o ingresso da primeira turma de Alunos no curso Técnico em Agropecuária.

A partir do ano de 2003, após o I seminário de Educação Profissionalizante do Alto Rio Negro, a Escola Agrotécnica diversificou sua oferta de cursos, criando os cursos Técnicos em Secretariado, Administração, Contabilidade Informática, Meio ambiente e Recursos Pesqueiros.

Objetivando articular ação da escola a outras políticas públicas para o desenvolvimento sustentável da região do Alto Rio Negro. No ano de 2005, com a realização do I Seminário Interinstitucional "Construindo educação indígena na região do Rio Negro" promovido pela FOIRN, iniciou-se o diálogo intercultural e parceria entre a EAFGSC e o movimento indígena organizado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.