Instituto Federal do Norte de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde agosto de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
IFNMG
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais
Fundação 29 de dezembro de 2008
Reitor(a) José Ricardo Martins da Silva
Estado Minas Gerais
Página oficial http://www.ifnmg.edu.br/
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - IFNMG foi criado mediante integração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária e da Escola Agrotécnica Federal de Salinas. Sua Reitoria está instalada em Montes Claros.

Unidades formadoras[editar | editar código-fonte]

Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária[editar | editar código-fonte]

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária foi uma instituição de ensino médio-profissionalizante e ensino superior localizada no município de Januária-MG. Atualmente ele é um dos campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IF - Norte de Minas).

[Histórico][1][editar | editar código-fonte]

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária ao longo dos seus 50 anos de experiência passou por uma série de transformações de ordem legal, que muito contribuíram para o aperfeiçoamento do seu fazer pedagógico e ou técnico-administrativo. As mais importantes e decisivas dessas transformações são relacionadas como se seguem:

No dia 4 de outubro de 1960, foi celebrado um convênio entre o Governo Federal e o Governo do Estado de Minas Gerais para instalação de uma Escola Agrícola no município de Januária;

No dia 18 de dezembro desse mesmo ano, pela Lei nº 3.853, publicada no DOU de 20 de dezembro de 1960, foi criada a Escola Agrotécnica de Januária-MG;

Pelo Decreto Federal nº 53.558, de 13 de fevereiro de 1964, este Estabelecimento de Ensino passou a denominar-se Colégio Agrícola de Januária;

Pelo Decreto nº 60.731, datado de 19 de maio de 1967, o Colégio Agrícola de Januária, até então subordinado ao Ministério da Agricultura, foi transferido para o Ministério da Educação e Cultura; permanecendo neste Ministério até os dias atuais;

Em maio de 1964, teve início os estudos formais na Escola, sendo matriculada a primeira turma de ginasianos agrícolas, tendo acontecido em 1967, à formatura dos primeiros alunos matriculados como Mestres Agrícolas;

Em 17 de novembro de 1967, ocorreram as inscrições e matrículas à 1ª série do Curso Técnico Agrícola - Ramo Agricultura, a nível de 2º grau, tendo suas aulas iniciadas em agosto de 1968. A colação de grau dessa primeira turma aconteceu em 5 de julho de 1971, como Técnico Agrícola;

No dia 6 de maio de 1972, cola grau a última turma de ginasianos agrícolas passando a escola a funcionar somente com o curso Técnico Agrícola;

No ano letivo de 1974, a Escola fez uma mudança radical no seu Currículo e Calendário escolar, passando a ministrar, sem prejuízo para os alunos que cursavam a habilitação até então oferecida, o Curso Técnico Agrícola – Habilitação em Agropecuária, situação que perdura até a presente data;

Assim, em 3 de Julho de 1975, aconteceu a colação de grau da última turma de Técnicos Agrícolas – habilitação em Agricultura;

Pela Lei nº 8.731, do dia 16 de novembro de 1993, a Escola conseguiu autonomia didático-pedagógica e administrativa, através de sua autarquização;

No Ano Letivo de 1996, além da tradicional habilitação em agropecuária a Escola passou a oferecer uma nova habilitação, a de Processamento de Dados, em nível de Pós-Segundo grau, a qual posteriormente passou a denominar-se Técnico em Informática;

No Ano Letivo de 1998, foi implantada a Habilitação de Técnico em Agroindústria;

No ano letivo de 2000 foi implantado a Habilitação de Técnico em Enfermagem;

Em 2001, mais duas habilitações foram implantadas, uma na Área de Gestão – Técnico em Administração, em que foram oferecidas 60 vagas e outra na Área de Meio ambiente – Técnico em Meio ambiente;

Pelo Decreto Presidencial de 13 de novembro de 2002, a Escola foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária – CEFET de Januária-MG. Ainda no ano de 2002, a Portaria nº 3634 de 19 de dezembro de 2002 autorizou o funcionamento do primeiro Curso Superior na Instituição: o Curso Superior de Tecnologia em Irrigação e Drenagem, com vestibular realizado no mês de dezembro/2003, com o início das aulas em fevereiro de 2004;

Pela Resolução do Conselho Diretor do CEFET Januária N°004/2005 de 20 de Setembro de 2005, autorizou o funcionamento dos Cursos Superiores: Curso Superior de Tecnologia de Sistemas de Informação e Curso Superior de Tecnologia em Administração, com vestibular para Dezembro de 2005, com início das aulas em 2006.

É importante ressaltar que no ano letivo de 2001 a Escola Agrotécnica Federal de Januária-MG realizou a separação de matrículas do seu curso Técnico em Agropecuária, que até então, era constituído de disciplinas de Ensino Médio e de disciplinas de Educação Profissional.

Passando a oferecer os cursos de Ensino Médio e de Técnico em Agropecuária obedecendo aos princípios pedagógicos e filosóficos dos Referencias Curriculares.

Além disso, com a publicação do Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004, esta Instituição manteve a educação profissional técnica de nível médio concomitante de forma articulada ao ensino médio com duração de 03 (três) anos

Cursos[editar | editar código-fonte]

O hoje campus Januária do IF-Norte de Minas oferece os cursos técnicos Concomitantes/Subsequentes de Técnico em Informática, Técnico em Enfermagem e Técnico em Meio ambiente; Integrados ao Ensino Médio: Técnico em Agropecuária e Técnico em Informática; Ensino Proeja: Formação Básica em Agropecuária e Formação Técnica em Informática; Ensino Superior: Bacharelado em Administração e em Agronomia; Licenciaturas em Física e Matemática; e Tecnologias em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Gestão Comercial e Irrigação e Drenagem; Pós-graduação: Especialização PROEJA.

Escola Agrotécnica Federal de Salinas[editar | editar código-fonte]

A Escola Agrotécnica Federal de Salinas (EAF-SALINAS) foi uma instituição de ensino médio-profissionalizante e ensino superior localizada no município de Salinas-MG. Atualmente ela é um dos campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IF - Norte de Minas).

História[editar | editar código-fonte]

Com base no Decreto Federal nº 22.470, de 20 de janeiro de 1947 e nas disposições do Decreto-Lei nº 9.613, de 20 de agosto de 1946, o então Deputado Federal Dr. Clemente Medrado Fernandes fundou a Escola de Iniciação Agrícola de Salinas, em 1953. As primeiras aulas foram dadas no ano de 1956, sendo diretor da instituição o engenheiro agrônomo Abdênago Lisboa, que foi responsável também pela construção das primeiras edificações da escola.

Em 1964 a escola passou a se chamar Ginásio Agrícola de Salinas, e posteriormente Ginásio Agrícola Clemente Medrado, e em 1977 passou a se chamar Escola Agrotécnica Federal de Salinas, denominação que se manteve até o final de 2008, quando foi integrado ao Instituto Federal do Norte de Minas.

Cursos[editar | editar código-fonte]

O hoje campus Salinas do IF-Norte de Minas oferece os cursos técnicos em agropecuária e agroindústria, ambos integrados ao ensino médio, além do curso técnico em informática e o curso superior em Tecnologia em Produção de Cachaça.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.