Instituto Geográfico e Histórico da Bahia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Instituto Geográfico e Histórico da Bahia
(IGHB)
Fundação 13 de maio de 1894 (120 anos)
Sede Salvador-BA,
 Brasil

O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), fundado em 13 de maio de 1894, sob auspícios do então governador Rodrigues Lima, em Salvador, é a instituição que reúne os pesquisadores e estudiosos destacados nas áreas de Geografia, História, Sociologia e ciências afins no estado brasileiro da Bahia. O IGHB possui a maior coleção de jornais, datados desde o século XIX até a atualidade.[1]

É também conhecida como Casa da Bahia, em razão de contar com a memória histórica e cultural do estado - a instituição possui o maior acervo cartográfico da Bahia, o que permite à sociedade conhecer a origem dos atuais 417 municípios.[1] Considerada de utilidade pública federal, conforme a Lei 9.790, de 23 de março de 1999. [2]

Sua fundação foi precedida pelo Instituto Histórico da Bahia, que funcionou entre os anos de 1856 a 1877.[3]

Localização e funcionamento[editar | editar código-fonte]

Frente do Instituto.

Sua sede está localizada à Avenida Sete de Setembro, esquina com a Praça da Piedade, numa imponente edificação de estilo neoclássico.[1]

Possui biblioteca aberta aos pesquisadores, além de arquivo e museu; promove a coleta de documentos particulares, livros e objetos. Realiza palestras, congressos, encontros e seminários, tendo como tema a história, cultura e dados sobre a Bahia.[1]

É presidido por um dos membros, em mandatos bianuais.

Publicações[editar | editar código-fonte]

O Instituto promove a publicação de livros e estudos, além da periódica e secular Revista do IGHB, que são verdadeiras fontes de referência para a pesquisa geo-historiográfica do estado baiano.

Membros ilustres[editar | editar código-fonte]

A Casa da Bahia.

Dentre seus membros mais ilustres contam-se o engenheiro Teodoro Fernandes Sampaio, os fundadores Horácio Urpia Júnior, Tranquilino L. Torres e Brás do Amaral, historiadores como Luiz Vianna, Jaime de Sá Menezes e Pedro Calmon. Dentre os atuais membros conta com o etnógrafo Raul Lody e outros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Instituto Histórico comemora 120 anos - Tribuna da Bahia - 10/05/2014.
  2. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9790.htm - Presidência da República
  3. Edivaldo M. Boaventura (23 de maio de 2014). IGHBA: 120 anos de serviço à Bahia A Tarde. Visitado em 26 de junho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]