Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ITA
Instituto Tecnológico de Aeronáutica
ITA logo.png
Fundação 16 de janeiro de 1950 (64 anos)
Tipo de instituição Pública - Militar
Docentes 180
Graduação 600
Pós-graduação 1200
Reitor(a) Carlos Américo Pacheco
Vice-reitor(a) Fernando Toshinori Sakane
Estado  São Paulo
Página oficial www.ita.br
Library-ITA.JPG
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) é uma instituição de ensino superior (IES) do Comando da Aeronáutica. Está localizado no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), na cidade paulista de São José dos Campos.

O ITA possui cursos de graduação e pós-graduação em áreas ligadas à engenharia, principalmente no setor aeroespacial. É considerado uma das melhores IES do Brasil. O ITA oferece aos seus alunos alimentação gratuita e moradia de baixo custo, dentro do próprio DCTA.[nota 1]

História[editar | editar código-fonte]

O ITA foi criado pelo Marechal-do-Ar[nota 2] Casimiro Montenegro Filho.

De acordo com o previsto no plano de criação do antigo Centro Técnico Aeroespacial (CTA, atual DCTA), o primeiro instituto a ser instalado seria uma escola de formação de engenheiros de aeronáutica. Assim, desde o início de seus trabalhos, paralelamente às atividades de construção e aquisição de equipamentos, a Comissão de Organização do DCTA (COCTA) selecionou professores e técnicos para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica, os quais inicialmente trabalharam junto à Escola Técnica do Exército (atual Instituto Militar de Engenharia, IME).

Após o Decreto 27.695/50[2] transferir daquela escola para o ITA os cursos de preparação e formação de engenheiros de aeronáutica, o então Ministro da Aeronáutica baixou instruções regulando a admissão ao ITA (Portaria nº 38, de 1º de março de 1950) e a organização do mesmo (Portaria nº 88, de 24 de abril de 1950).[3]

Nos termos do Decreto nº 5.657, de 30 de dezembro de 2005,[4] o ITA é uma das Organizações Militares (OM) subordinadas ao atual DCTA.

Vestibular[editar | editar código-fonte]

Em todo o Brasil, o vestibular do ITA é reconhecido como um dos mais difíceis do país. Abrange provas de Física, Matemática, Química (realizadas em dias distintos), Português e Inglês (realizadas juntas). Em cada dia, o aluno resolve questões discursivas e questões objetivas de múltipla escolha.[5] As questões são elaboradas com alto grau de complexidade e abrangem conteúdos que nem sempre são vistos pela maioria das escolas do ensino médio.

As inscrições ao concurso vestibular do ITA são exclusivas para brasileiros natos.[nota 3] As provas geralmente ocorrem na primeira quinzena de dezembro,[6] devendo a inscrição para o vestibular ter sido efetuada entre 10 de agosto e 15 de setembro do mesmo ano.[nota 4] Para não ser desclassificado, o candidato deve obter nota igual ou superior a 40, na escala de 0 a 100 que há em cada uma das provas.[nota 5] Além disso, o candidato também deve obter média final igual ou superior a 50, na escala de 0 a 100,[nota 6] e nota superior a zero na redação da prova de Português.[nota 7] São corrigidos os Cadernos de Soluções e as Redações dos candidatos mais bem classificados na parte de testes das provas, em número igual ao quádruplo[nota 8] das vagas fixadas para o concurso.

Anualmente o ITA oferece 170 vagas aos candidatos melhor classificados.[nota 9]

Cursos[editar | editar código-fonte]

Graduação[editar | editar código-fonte]

O ITA oferece os seguintes cursos de graduação:

Pós-graduação[editar | editar código-fonte]

O ITA foi pioneiro na pós-graduação em engenharia no Brasil. Os programas de pós-graduação stricto sensu, previstos na lei federal n° 2.165/54,[7] foram formalmente regulamentados em 1961. O ITA formou o primeiro Mestre na área de Engenharia do país em 1963 e o primeiro Doutor em 1970. A primeira Tese de Mestrado foi defendida em 10 de janeiro de 1963 na área de Física e, em 22 de janeiro do mesmo ano, na área de Engenharia Eletrônica.

Os Programas de Pós-Graduação do ITA têm por objetivo a formação de profissionais nos níveis de Mestrado e Doutorado para atuarem em ensino, pesquisa e desenvolvimento com ênfase no desenvolvimento de estudos e técnicas que contribuam para o estabelecimento de novas tecnologias adequadas à realidade brasileira, notadamente no Setor Aeroespacial.

A matrícula do aluno é efetuada em uma determinada Área de Concentração, caracterizada por um conjunto coerente de disciplinas obrigatórias e eletivas, além do tema de pesquisa para uma Tese. Os candidatos são aceitos em função de uma proposta de Plano de Trabalho, sendo que, no Curso de Doutorado, este deve ser previamente definido com um orientador de tese credenciado do Programa.

O ITA oferece os seguintes programas de pós-graduação no nível de Mestrado e Doutorado:

  • Engenharia Aeronáutica e Mecânica - PG/EAM
    • Aerodinâmica, Propulsão e Energia – PG/EAM-A
    • Mecânica dos Sólidos e Estruturas – PG/EAM-E
    • Materiais e Processos de Fabricação – PG/EAM-M
    • Sistemas Aeroespaciais e Mecatrônica – PG/EAM-S
    • Mecânica do Vôo – PG/EAM-V
    • Produção – PG/EAM-P
  • Engenharia Eletrônica e Computação - PG/EEC
    • Dispositivos e Sistemas Eletrônicos - PG/EEC-D
    • Informática - PG/EEC-I
    • Microondas e Optoeletrônica - PG/EEC-M
    • Sistemas e Controle - PG/EEC-S
    • Telecomunicações - PG/EEC-T
  • Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica - PG/EIA
    • Infra-Estrutura Aeroportuária - PG/EIA-I
    • Transporte Aéreo e Aeroportos - PG/EIA-T
  • Física - PG/FIS
    • Física Atômica e Molecular - PG/FIS-A
    • Física Nuclear - PG/FIS-N
    • Física de Plasmas - PG/FIS-P
  • Ciências e Tecnologias Espaciais - PG/CTE
    • Química dos materiais - PG/CTE-Q
    • Propulsão Espacial e Hipersônica - PG/CTE-P
    • Sensores e Atuadores Espaciais - PG/CTE-S
    • Sistemas Espaciais, Ensaios e Lançamentos - PG/CTE-E
    • Física e Matemática Aplicadas - PG/CTE-F

O ITA e a Força Aérea[editar | editar código-fonte]

CPOR[editar | editar código-fonte]

Formatura dos alunos do CPOR

Na graduação, a matrícula do candidato aprovado e classificado no Concurso de Admissão implica compulsoriamente na sua matrícula no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica (CPORAER-SJ, ou apenas CPOR).[nota 10] Ao fim do curso no CPOR, que dura um ano, os alunos se tornam Aspirante a Oficial da Reserva da Aeronáutica. Como em outros cursos militares, existem métodos para seleção de condições físicas dos candidatos.[nota 11]

Devido ao CPOR, os calouros[nota 12] devem estar presentes no ITA um mês antes que os demais alunos, para poderem receber instruções militares diárias. Após esse período, as instruções passam a ocorrer nas tardes das segundas-feiras, durante todo o primeiro ano do curso de graduação. Durante o primeiro ano os alunos também são submetidos à disciplina militar, embora somente durante as instruções no CPOR. Nos alojamentos e no campus, fora dos períodos de instrução, eles são tratados como civis.

Enquanto participa do CPOR o aluno recebe um soldo. Após o primeiro ano, os alunos não-optantes pela carreira militar voltam a ser civis e deixam de receber o soldo.

Alunos optantes pela carreira militar[editar | editar código-fonte]

No início do primeiro ano do curso profissional (terceiro ano de faculdade), os alunos que no ato da inscrição para o vestibular tenham optado pela carreira militar são reconvocados já com o posto de Aspirante a Oficial. Esses alunos passam a assistir às aulas fardados e recebem instruções militares quinzenais, além de participarem das formaturas do CPOR nas tardes de segunda-feira e concorrerem à escala militar de serviço (armado) de Auxiliar ao Oficial-de-Dia.

Ao longo do 1º ano do curso, todos os alunos são considerados militares e remunerados de acordo com a Tabela de Soldos dos Militares das Forças Armadas, na condição de Aluno de Órgão de Formação de Oficiais da Reserva.[nota 13] Essa remuneração atualmente corresponde àquela estabelecida para "Aspirante e Cadete (demais anos), Alunos do Centro de Formação de Oficiais da Aeronáutica" e "Aluno de Órgão de Formação de Oficiais da Reserva" na tabela supramencionada,[nota 14] que corresponde ao Anexo LXXXVII[nota 15] da lei federal 11.784/08.[9]

Após a formatura, esses militares são promovidos ao posto de 1º Tenente Engenheiro e então passam a perceber uma remuneração correspondente ao soldo respectivo[nota 16] acrescido dos adicionais pertinentes previstos na Lei de Remuneração dos Militares (LRM).[11] Esses novos oficiais são ainda incluídos no Quadro de Oficiais Engenheiros da Ativa da Aeronáutica (QOEng)[12] e ficam obrigatoriamente engajados na FAB por pelo menos 5 anos, de modo que o investimento público em sua formação técnico-militar possa ser compensado pela prestação obrigatória do serviço militar.

Se durante o curso de graduação ou o período de engajamento obrigatório de cinco anos o militar desejar se desvincular da Aeronáutica, por força do contrato do estágio de serviços ser-lhe-á cobrada uma quantia a título de indenização.[nota 17] O montante da indenização é variável, será calculado pelo Comando da Aeronáutica e dependerá do total de gastos já ocorridos com a formação do indivíduo e sua eventual participação efetiva no oficialato.[nota 18]

Regime escolar[editar | editar código-fonte]

Carga horária[editar | editar código-fonte]

As aulas são ministradas de segunda a sexta na parte da manhã (normalmente de 8:00 a 12:00) e no período da tarde é freqüente a realização de outras atividades acadêmicas como práticas de laboratório. Além disso algumas provas são marcadas pelos próprios alunos para serem realizadas à noite.

Curso fundamental[editar | editar código-fonte]

Todos os alunos de graduação do ITA passam pelo Curso Fundamental[15] antes de ingressarem no curso profissional que pretendem cursar. Esse curso tem duração de 2 anos, e nesse período o aluno ainda pode requerer mudança da especialidade que irá cursar no curso profissional (sujeita à existência de vagas). O Curso Fundamental é geralmente composto por: 8 cadeiras de matemática, 4 de física, 2 de química, desenho técnico, resistência dos materiais, estatística, termodinâmica, programação em C, cálculo numérico dentre outras matérias além de 4 cadeiras de Humanidades (como filosofia, psicologia e política).

Ano letivo e duração do curso[editar | editar código-fonte]

O ano é dividido em dois períodos letivos, cada um com 16 (dezesseis) semanas de aulas e uma semana de exames, no mínimo. Cada período letivo é composto de dois semi-períodos, separados por uma semana de recuperação (semaninha) em que não há aulas.[16] Na graduação, as matérias geralmente são semestrais, e a maioria delas devem ser obrigatoriamente cursadas no semestre designado pelo ITA. Dessa forma, a duração do curso do ITA é igual para todos os alunos que não tenham trancado a matrícula: 10 semestres. A formatura do aluno é atrasada em 2 semestres para cada vez que for trancada a matrícula, sendo o trancamento de matrícula regulado pelo ITA. O trancamento de matrícula pode ser aplicado compulsoriamente como punição.[17]

Sistema de avaliação[editar | editar código-fonte]

As notas são comunicadas sob forma de conceito[18] . Os conceitos são:

  • L (Louvor)..........9,5-10
  • MB (Muito bom)..8,5-9,4
  • B (Bom).............7,5-8,4
  • R (Regular).........6,5-7,4
  • I (Insuficiente).....5,0-6,4
  • D (Deficiente)......0,0-4,9

Em cada matéria da graduação o aluno geralmente é avaliado nos dois semestres por provas, relatórios e trabalhos, e no final da matéria por um exame de fim de período. Chamemos de nota de trabalhos correntes a média das duas notas bimestrais e chamemos de nota de exame a nota do exame de fim de período.

Normalmente, a nota de matéria é a média aritmética da nota de trabalhos correntes e da nota de exame, com pesos 2 e 1 respectivamente. Segundo o regimento interno do ITA, o aluno é aprovado em um semestre se obtiver todas as notas de trabalhos correntes iguais ou superiores a 5 e notas de matéria maiores ou iguais a 6,5. A cada semestre, o aluno pode ser reprovado e desligado do ITA se:

  • Obtiver alguma nota de trabalhos correntes inferior a 5, qualquer que seja a respectiva nota de exame
  • Obtiver alguma nota de matéria inferior a 5
  • Obtiver mais de duas notas de matéria inferiores a 6,5

Se o aluno obtiver uma ou duas notas de matéria inferiores a 6,5, e não ocorrer nenhuma das duas situações descritas acima, realiza exame de segunda época nessas matérias. Para cada exame de segunda época chamemos de nota final de matéria a média aritmética entre a nota do exame de segunda época e a respectiva nota de matéria. O aluno é reprovado e desligado do ITA se:

  • Obtiver alguma nota final de matéria inferior a 5
  • Obtiver duas notas finais de matéria inferiores a 6,5

Se uma única nota final de matéria for inferior a 6,5 e nenhuma for inferior a 5, o aluno pode ser aprovado no período, mas fica como dependente, devendo repetir a matéria no primeiro período em que ela for lecionada se não for dispensado da dependência[19] . Ao cursar a dependência, o aluno deve obter nota suficiente para ser aprovado. Não há exame de segunda época em matéria que o aluno repete como dependente.

Para cada exame de segunda época em que o aluno obtém nota menor que 8,5, é registrado um I. O número máximo de Is é 5. O aluno que obtiver 6 Is é desligado do ITA.

O critério de aprovação descrito acima nem sempre é aplicado rigorosamente. É comum que, nas situações em que o aluno seria desligado do ITA, ele tenha a matrícula trancada, desde que não seja militar e não tenha trancado a matrícula antes, ou tenha trancado uma única vez por motivo de saúde. O aluno que tem a matrícula trancada pode retornar ao ITA no ano seguinte, no semestre que estava cursando (dessa forma, a formatura do aluno é atrasada em um ano). Existem até casos em que o aluno não é desligado nem trancado.

Vida dos alunos[editar | editar código-fonte]

Disciplina consciente[editar | editar código-fonte]

A comunidade iteana possui um código de honra e de ética conhecido desde os primeiros anos de existência do ITA como "Disciplina Consciente" (DC)[20] . Conceito de difícil definição devido aos seus aspectos subjetivos, consiste na prática de ações dentro das normas estabelecidas sem necessidade de fiscalização. Uma forma de explicar o sentido geral é dizer que a Disciplina Consciente consiste em fazer o que é certo por ser certo, não porque alguém está fiscalizando. Por exemplo, os alunos dessa instituição não colam em provas (que muitas vezes são aplicadas sem fiscais), pois a cola seria um ato de falta de DC [carece de fontes?]

Alojamento[editar | editar código-fonte]

O ITA disponibiliza a todos os alunos alojamento, projetado por Oscar Niemeyer, a uma taxa mensal de R$70,00.[nota 19] Nessa taxa já esta incluída conta de luz e água. Mesmo alunos que moram em São José dos Campos costumam optar por residir no alojamento chamado de H-8. O alojamento conta com ampla área para a prática esportiva e lazer e dispõe de:

No H-8 existem moradas para 4 ou 6 pessoas, subdivididos em quartos para duas pessoas. Os quartos possuem armário, mesa e cabeceira fixos (de tijolo e concreto) e cama.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

É previsto aos alunos do ITA alimentação gratuita, com quatro refeições diárias[22] em que o aluno pode se servir a vontade. Essas refeições ocorrem no refeitório dos alunos, popularmente conhecido como Rancho, e têm horários definidos. Apesar de ter um cardápio variado são tipicamente compostas por:

  • Café-da-manhã (das 6:30 às 7:30): Pão de sal, manteiga ou margarina, leite, café e um outro prato que varia a cada dia (um tipo de mingau, queijo, apresuntado, fruta...).
  • Almoço (das 11:45 às 12:30): Arroz, feijão, um tipo de verdura, uma carne, um complemento (macarrão, batata, farofa...) além de suco artificial e uma sobremesa.
  • Jantar (das 18:00 às 19:00): Esquema semelhante ao do almoço.
  • Ceia (das 21:00 às 21:30): Pão doce, achocolatado ou mingau.

Nos finais-de-semana os horários de alimentação são diferentes e não é servida a ceia. A qualidade e o sabor da comida oferecida são alvos constantes de críticas por parte de alguns alunos. Existem restaurantes e cantinas pagos no DCTA, onde alguns alunos preferem ir.

Iniciativas[editar | editar código-fonte]

Além da vida acadêmica no ITA, boa parte dos alunos se dedica às "iniciativas", Atividades Extracurriculares geralmente executadas no próprio alojamento. Nas iniciativas os alunos gerenciam o alojamento, participam de competições e aprendem habilidades ligadas ou não à área de engenharia. Dessa forma, as iniciativas têm como função a complementação na formação profissional e pessoal, além de contribuir para o desenvolvimento do trabalho em grupo, pró-atividade e liderança. São exemplos de iniciativas, entre outras:

  • CASD: Centro Acadêmico Santos-Dumont - O centro acadêmico representa os alunos de graduação do ITA, além de reunir diversos departamentos que contribuem para o alojamento, como:
    • CoHab: Comissão de Habitação – Responsável pela alocação dos alunos nos apartamentos do alojamento.
    • DepCult: Departamento Cultural do ITA - Promove Eventos Artístico-Culturais.
    • DID: Departamento de Imprensa e Divulgação – Elabora o jornal dos alunos.
    • DOO: Departamento de Ordem e Orientação - Funciona como um judiciário, orientando a conduta dos alunos segundo os fundamentos da DC (Disciplina Consciente).
  • AAAITA: Associação Atlética Acadêmica do ITA - Organiza torneios esportivos entre os alunos e Interfaculdades, como a Semana da Asa.
  • Aerodesign: Equipe de Competição de Aeromodelos.
  • AIESEC: Oferece intercâmbios culturais entre países.
  • CASDVest: CASD Vestibulares - Curso pré-vestibular para alunos carentes.
  • CEE: Comissão de Estágios e Empregos – Promove contato entre os alunos e as empresas empregadoras.
  • CV: Comissão de Viagens - Arrecada fundos para uma viagem técnico-cultural pela Europa entre o 4º e o 5º ano do ITA. Realiza o EIFE, Encontro de Integração Faculdade Empresa.
  • Maromba: Academia de musculação dos alunos do ITA.
  • ITAndroids: Equipe de Robótica do ITA
  • MiniBaja ITA: Equipe de Competição com o Mini Baja, um carro de corrida off-road.
  • Cassis: Comissão de Assistência e Ação Social do ITA - Presta ajuda à comunidade carente e a ONG's de São José dos Campos.
  • ITA Júnior : Empresa Júnior de Alunos do ITA - Presta Consultoria nas Áreas de Engenharia e Informática.
  • Redecasd: Gerencia a Rede de Computadores do alojamento.
  • Telecasd: Gerencia os ramais de telefone do alojamento.
  • ABU-ITA: Aliança Bíblica Universitária do ITA - Grupo filiado à ABUB voltado ao estudo bíblico.
  • AASD: Associação Acadêmica Santos-Dumont - Associação sem fins lucrativos com o objetivo de suportar projetos que fortaleçam a comunidade Iteana e criar uma Cultura de Doações no ITA.
  • ITAbits : Equipe voltada ao desenvolvimento de jogos e aplicativos em geral, com foco em competições.
  • Carniceria:Bateria Universitária do ITA

ITA Júnior - Consultoria Tecnológica[editar | editar código-fonte]

A ITA Júnior - a Empresa Júnior do ITA - é uma entidade civil, privada e sem fins lucrativos que oferece soluções de engenharia a pequenas, médias e grandes empresas.Foi eleita uma das 5 melhores empresas juniores do país, sendo a primeira em estratégia.

Há 18 anos no mercado, a ITA Júnior é capacitada para sintetizar os problemas dos seus clientes e achar as soluções ideais. Para isso, tem a sua disposição toda a infra-estrutura do ITA, com sua biblioteca e laboratórios, e conta com o apoio de importantes centros de pesquisa da região.

Fazem parte da empresa alunos de graduação do ITA e o processo seletivo é realizado semestralmente. A realização de projetos é orientada por professores do instituto.

CASD Vestibulares[editar | editar código-fonte]

Iteanos[editar | editar código-fonte]

Menções honrosas[editar | editar código-fonte]

Ao término do curso de Graduação, os alunos podem ser graduados com menções honrosas. Tais menções estão especificadas a seguir junto aos respectivos critérios:

  • summa cum laude: média geral[23] L
  • magna cum laude: média geral MB, com o mínimo de 50% de nota-de-matéria L;
  • cum laude: média geral MB e nenhuma nota inferior a MB;
  • distinção em uma Divisão ou Departamento: notas-de-matéria iguais ou superiores a MB em grupos de matérias de uma Divisão ou Departamento em que o aluno tenha cursado pelo menos quatro matérias.

Desde a primeira turma, de 1950, até 2012 o ITA teve apenas: 26 alunos summa cum laude, 35 magna cum laude e 6 cum laude. A lista completa desses iteanos pode ser encontrada na página http://www.pro-grad.ita.br/mencoes_honrosas.php

Professores destacados[editar | editar código-fonte]

  • Antonio Marmo de Oliveira--pioneiro em "componentes físicas tensoriais".Foi também Reitor da UNITAU.
  • Darwin Bassi--ex-Diretor da UNESP-Guaratinguetá, ex-Chefe do Departamento de Física do ITA.
  • Fernando de Mello Gomide-Pai da Cosmologia no Brasil, professor do Departamento de Física do ITA.
  • Francis Dominic Murnaghan--professor pioneiro do ITA, trouxe consigo um cabedal matemático dos Estados Unidos.
  • Francisco Lacaz Neto--aluno do Prof. Francis Dominic Murnaghan, que foi aluno de Albert Einstein.Reitor do ITA.
  • Homero Santiago Maciel--transformou o ITA, em celeiro de pós-graduação maior que a graduação, nas areas tecnico-cientificas.Pró-Reitor.
  • Leonidas H.B. Hegenberg--treinou gerações em lógica e filosofia da Ciencia, que aprendeu na Universidade da California.Autor de livros técnicos.
  • Wolf Altman--pai, no Brasil, da teoria "finite Element Method", para análise de problemas de engenharia.

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde novembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Iteanos de destaque incluem (em ordem alfabética):

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Vide seção 3 do edital[1] do concurso. A moradia é fornecida somente aos alunos solteiros e a sua utilização, que é indenizada porém a um custo módico, deve ser renovada semestralmente.
  2. Na época da criação do ITA ele era Tenente-Coronel Aviador.
  3. Vide item 8.1.1 do edital[1] do concurso.
  4. Vide item 5.3 do edital[1] do concurso.
  5. Vide item 14.1 do edital[1] do concurso.
  6. Vide item 14.1.1 do edital[1] do concurso.
  7. Vide item 14.1.2 do edital[1] do concurso.
  8. Vide item 12.4 do edital[1] do concurso.
  9. Vide item 7.1 do edital[1] do concurso.
  10. Vide item 4.2 do edital[1] do concurso.
  11. Vide item 5.8 do edital[1] do concurso. Esses métodos de avaliação da aptidão física dos alunos são definidos pela ICA 37-24,[8] que não está disponível para consulta na internet.
  12. Apelidados de "bixos" ou, no caso das mulheres, "bixetes".
  13. Vide item 4.3 do edital[1] do concurso.
  14. Vide o art. 164 da lei federal 11.784/08.[9]
  15. Vide o Anexo LXXXVII.[10] (SOLDOS), item 5 (Praças Especiais), linha 3.
  16. Vide a lei federal 11.784/08, Anexo LXXXVII[10] (SOLDOS), item 4 (OFICIAIS SUBALTERNOS), linha 1.
  17. Vide os artigos 19 a 21 do Decreto 76.323/75.[13]
  18. Vide o art. 116 do Estatuto dos Militares.[14]
  19. Valor referente ao ano de 2014.[21]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k BRASIL. COMAER. ITA. Instruções para o Concurso de Admissão ao ITA 2014 (edital do concurso). Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  2. BRASIL. Decreto nº 27.695, de 16 de janeiro de 1950. Transforma em Curso Fundamental e Curso Profissional do Instituto Tecnológico de Aeronáutico os atuais Curso de Preparação e Curso de Formação de Engenheiros de Aeronáutica, e dá outras providências. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  3. O ITA. Breve história do ITA no site do DCTA.
  4. BRASIL. Decreto nº 5.657, de 30 de dezembro de 2005.
  5. BRASIL. COMAER. ITA. Perguntas frequentes. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  6. BRASIL. COMAER. ITA. Concurso de Admissão (Vestibular) (perguntas frequentes). Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  7. BRASIL. Lei nº 2.165, de 5 de janeiro de 1954. Dispõe sobre o ensino superior no Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  8. BRASIL. COMAER. Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) nº 37-24. Admissão de Candidatos Civis nos Cursos Fundamental e Profissional do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).
  9. a b BRASIL. Lei nº 11.784, de 22 de setembro de 2008. Dispõe sobre a reestruturação do Plano Geral de Cargos do Poder Executivo - PGPE, de que trata a Lei nº 11.357, de 19 de outubro de 2006, (...) fixa o escalonamento vertical e os valores dos soldos dos militares das Forças Armadas; (...) e dá outras providências. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  10. a b BRASIL. Anexo LXXXVII da lei federal 11.784/08. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  11. BRASIL. Medida Provisória nº 2.215-10, de 31 de agosto de 2001. Dispõe sobre a reestruturação da remuneração dos militares das Forças Armadas, altera as Leis nos 3.765, de 4 de maio de 1960, e 6.880, de 9 de dezembro de 1980, e dá outras providências. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  12. BRASIL. MAER. Portaria MAER nº 437/GM3, de 25 de junho de 1997. Dispõe sobre a convocação, para a ativa da Aeronáutica, de aluno civil matriculado no Curso de Graduação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), e dá outras providências. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  13. BRASIL. Decreto nº 76.323, de 22 de setembro de 1975. Regulamenta a lei nº 6.165, de 9 de dezembro de 1974, que dispõe sobre a formação de Oficiais Engenheiros para o Corpo de Oficiais da Aeronáutica, da Ativa e dá outras providências. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  14. BRASIL. Lei nº 6.880, de 9 de dezembro de 1980. Dispõe sobre o Estatuto dos Militares. Acesso em 11 de janeiro de 2014.
  15. Divisão de Ensino Fundamental Site da Divisão de Ensino Fundamental do ITA. Tem ligações para uma página de apresentação (http://www.ief.ita.br/historia/noshis.htm) e para os departamentos de Física, Humanidades, Matemática e Química, onde são divulgadas matérias oferecidas por cada departamento.
  16. Regime escolar
  17. Trancamento de matrícula Página do ITA que explica em que situações o trancamento de matrícula é possível ou obrigatório
  18. Verificação de aproveitamento escolar Página do ITA em que é explicado o critério de aproveitamento escolar
  19. O aluno é dispensado da dependência a critério da divisão de ensino, o que normalmente ocorre se o aluno obtiver, antes de cursar a dependência, nota de matéria igual ou superior a 7,5 em matéria da mesma disciplina de que a dependência é requisito.
  20. Disciplina Consciente
  21. BRASIL. COMAER. Apresentação no ITA Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Visitado em 23 de março de 2014.
  22. Alimentação Página do ITA que fala da alimentação dos alunos
  23. Aqui e nos dois itens seguintes, média geral se refere à média aritmética de todas as notas-de-período que compreendem os três anos do curso Profissional do ITA.
  24. Corrida Eleitoral Página sobre Emanuel Fernandes no site do ITA.