Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hospital
Instituto de Psiquiatria
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Nome completo Instituto de Psiquiatria
Localização Rio de Janeiro,  Brasil
Fundação 1852 (162 anos)
Financiamento Ministério da Educação
Tipo Público, Federal
Universidade afiliada Universidade Federal do Rio de Janeiro
Especialidades Psiquiatria e Sistema Único de Saúde
Site ipub.ufrj.br
editar

O Instituto de Psiquiatria (IPUB) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) teve suas origens no Hospício Pedro II, o primeiro hospital do Brasil e da América Latina destinado ao tratamento de pessoas com transtornos psiquiátricos.[1]

Desde sua criação até os dias de hoje, como herdeiro do antigo hospício e dos grandes momentos e avanços vividos pela psiquiatria brasileira, o IPUB tem marcado sua atuação como uma unidade modelo em pesquisa, ensino e assistência. É um centro gerador de estudos multidisciplinares no campo da Psiquiatria e Saúde Mental. As atividades de ensino e assistência tem o seu financiamento através do Sistema Único de Saúde e do Ministério da Educação, respectivamente.

História[editar | editar código-fonte]

O antigo Hospício Pedro II foi fundado em 1852 com o objetivo de tratar de forma humana os alienados mentais. Em 1893, dentro desse hospício, foi criado o Pavilhão de Observação, que era um local voltado à assistência aos pacientes e às atividades acadêmicas. Estudava-se psicopatologia e eram dadas as aulas de psiquiatria para os alunos da Faculdade de Medicina.[1] [2]

Em 1938, o então Instituto de Psicopatologia e Assistência a Psicopatas foi transferido para a Universidade do Brasil e passou a ser chamado Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil (IPUB).[1] Hoje, o IPUB, um órgão suplementar do Centro de Ciências da Saúde (CCS), de acordo com o Estatuto da UFRJ e tem por finalidade desenvolver em nível de excelência, atividades de ensino, pesquisa, extensão e assistência no campo da Psiquiatria e Saúde Mental.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Suas instalações atualmente contam com duas enfermarias (feminina e masculina), um hospital-dia para adultos e diversos ambulatórios. Há o ambulatório geral para o atendimento de adultos, o de psiquiatria infantil e o de psicogeriatria. No Centro Integrado de Pesquisa (CIPE), dividido em CIPE Antigo e CIPE Novo, funcionam diversas linhas de pesquisa, como as linhas de pesquisa com transtorno do pânico, transtorno bipolar do humor e transtorno obsessivo compulsivo. Em 2006 foi inaugurada no CIPE Novo a unidade de atendimento aos usuários de álcool e outras drogas. Além das suas instalações no campus da Praia vermelha, o instituto conta também com três unidade de moradia assistida.

O CDA é um departamento destinado a pessoas com idade acima de 60 anos, contando com um atendimento multidisciplinar que visa o tratamento de qualquer problema no escopo psicológico, psiquiátrico e neuropsiquiátrico, como demências, depressão, ansiedade e psicoses surgidas após a idade apontada. A equipe do CDA é grande e variada, contando com médicos psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, secretários e até musicoterapêutas. Como critério de internação são feitos dois procedimentos distintos, sendo uma avaliação social e outra médica. Primeiro, um grupo de acolhimento formado enfermeiros e assistentes sociais colhem a história do paciente e de sua família e aplicam testes simples para avaliar se há ou não condições para então encaminhar o paciente para uma avaliação médica junto a um psiquiatra.

O Hospital-Dia foi criado no fim da década de 1980, mais precisamente em 1987, e tem por objetivo oferecer tratamento ao doente mental para que, então, ele possa se reintegrar à sociedade. O Hospital-Dia funciona dentro do IPUB e conta com um prédio de 2 andares, 3 quiosques e um jardim que separa as instalações, além de uma equipe multidisciplinar semelhante à do CDA. É importante frisar que todas as atividades, com exceção do atendimento psicoterápico ou médico individual, são realizadas em grupo.

Durante os anos 90, o IPUB contava com a atuação do grupo teatral Andarilhos Mágicos, no Teatro Corpo Santo de seu Hospital-Dia, e tinha como propósito realizar a inclusão social da loucura através da arte teatral. Este projeto, inserido no contexto sociocultural da Reforma Psiquiátrica Brasileira, tornou-se pioneiro por realizar um trabalho artístico que expandia os limites do espaço físico do IPUB ao aliar usuários e não usuários em seu processo de criação e em suas performances, além de realizar apresentações em diversos espaços do Rio de Janeiro, inclusive em centros culturais de grande porte.

O PROJAD, fundado em 1996, é um programa por meio do qual o IPUB atende usuários de drogas e dependentes químicos, e que também conta com ampla equipe multidisciplinar com cerca de 35 profissionais, além de alunos de pós-graduação e especializações que desenvolvem pesquisas acera do tema, aprimorando assim a abordagem da drogadição na sociedade. Sua estrutura conta com ambulatórios para atendimentos individuais e em grupo, além de oficinas terapêuticas para atender familiares de pacientes e, quando necessário, encaminhar pacientes para a internação.

O CIPE é um centro de pesquisas existente dentro do IPUB que desempenha importante papel no processo de formar profissionais em saúde mental, integrando projetos de estudo de mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos às práticas assistenciais que decorrem dos mesmos. Os atendimentos são prestados por médicos do IPUB, professores da UFRJ e alunos da pós-graduação do IPUB, incluindo médicos, psicólogos e outros profissionais. No CIPE funcionam alguns ambulatórios de pesquisa, como o de transtorno do pânico, transtorno bipolar do humor e transtorno obsessivo compulsivo.

Além dos centros de atendimento em saúde mental, o IPUB conta com salas de aula, auditórios e uma ampla biblioteca que, recentemente, impressionou a “APCIS” - Associação dos Profissionais de Informação e Documentação em Ciências da Saúde do Rio de Janeiro - em visita por seu vasto acervo que conta com um misto de tecnologia atual, livros raros e uma grande coleção de livros de observações clínicas, desde o final do século XIX até meados do século XX.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

O Instituto de Psiquiatria da UFRJ tem como objetivos:

  • Promover o ensino de pós-graduação - mestrado e doutorado, de especialização, aperfeiçoamento e residência médica.
  • Promover e exercer pesquisa científica e atividades de extensão nos campos da Psiquiatria e Saúde Mental, bem como em áreas correlatas do saber.
  • Prestar assistência clínica de natureza curativa ou preventiva e promover a reabilitação dos pacientes sob sua responsabilidade.
  • Desenvolver novas tecnologias e as utilizar no cuidado aos pacientes, exercendo sobre elas avaliação crítica, definindo seu papel na assistência e no ensino médico.
  • Promover o ensino de graduação, através do Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal da Faculdade de Medicina do Centro de Ciências da Saúde (CCS), que também é sediado no IPUB, em consonância com outras unidades acadêmicas no ensino de áreas afins ao seu campo de conhecimento.
  • Realizar o treinamento e estimular o aperfeiçoamento do pessoal técnico-administrativo e auxiliar em atividades no IPUB.
  • Promover o intercâmbio com instituições nacionais e estrangeiras vinculadas aos campos da prevenção, recuperação e reabilitação em Saúde Mental.

Periódico[editar | editar código-fonte]

O IPUB conta com o seu próprio periódico, o Jornal Brasileiro de Psiquiatria, que possibilita a divulgação do conhecimento produzido aqui e em outras instituições nacionais e internacionais.

Referências

  1. a b c Nardi, AE et al. Um presente humanitário do Imperador D. Pedro II (1825 - 1891) à nação brasileira: o primeiro asilo para lunáticos da América Latina. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2013000200013&lng=en&nrm=iso&tlng=en
  2. Ramos, F.A.C., Geremias, L. Instituto Philippe Pinel: origens históricas. http://www.sms.rio.rj.gov.br/pinel/media/pinel_origens.pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]