Inteligência social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Inteligência social ou Inteligência interpessoal é a habilidade de entender e reagir adequadamente a seu meio social e desenvolver relações saudáveis e produtivas. Segundo Daniel Goleman, baseando-se na neurociência, a inteligência social consiste da percepção social (incluindo empatia, compatibilidade, inteligência emocional e cognição social) e faculdades sociais (incluindo sincronicidade, auto-apresentação, influência e atenção ao outro).[1] A inteligência emocional é sua área mais estudada no Brasil.

Segundo especialistas que se debruçaram sobre o tema, são seis as habilidades que devem ser trabalhadas:

·         comunicação verbal

·         comunicação não verbal

·         autoapresentação

·         assertividade

·         feedback

·         empatia 

Inteligência independente[editar | editar código-fonte]

Estudos comprovam que existe uma diferença efetiva entre inteligência social e inteligências acadêmicas. Ou seja, ser inteligente em matérias como matemática e inglês não é suficiente para ser habilidoso socialmente. A inteligência social é tão importante para o futuro profissional, para o bem estar da população e para a realização pessoal que alguns cientistas defendem o ensino de habilidades sociais na escola. [2]

Confiança e inteligência social[editar | editar código-fonte]

Alguns estudos indicam que pessoas que confiam mais nos outros tem mais inteligência social do que as mais desconfiadas contrariando as crenças populares. Inclusive sendo capazes de identificar quando uma pessoa está metindo ou trapaceando e quando está dizendo a verdade com mais precisão. Diante de trapaças aqueles que confiavam mais reagiam de forma semelhante aos que confiavam menos. Os mais desconfiados acreditaram que os pesquisadores estavam trapaceando mesmo quando não estavam. Uma possível explicação seria que pessoas mais desconfiadas se socializam menos e evitar contato mais íntimo e por isso desenvolveriam menos suas habilidades sociais. [3]

Inteligência social em animais[editar | editar código-fonte]

Segundo a pesquisadora Kara Schroepfer, os cães são quem mais possui a inteligência social para se comunicar com o ser humano do que qualquer outro animal, parte disso como resultado da seleção natural induzida pelo homem por milhares de anos.[4] Provavelmente por milhares de anos cachorros que não conseguiam se comunicar adequadamente com humanos tiveram menos chances de serem adotados e protegidos por nós, e consequentemente de sobreviver e passar seus genes adiante.

Animais que vivem em bandos desenvolvem a inteligência social como forma de melhorar suas chances de sobrevivência. Exemplos de animais com inteligência social bem desenvolvida são golfinhos, baleias, macacos, elefantes e lobos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Goleman, Daniel (2006). Social Intelligence: The New Science of Human Relationships. Bantam Books. ISBN 0553803522.
  2. Martin E. Forda e Marie S. Tisak. A further search for social intelligence. Journal of Educational Psychology Volume 75, Issue 2, April 1983, Pages 196-206.
  3. Toshio Yamagishi (2001) Trust as a form of Social Inteligence. Google books. http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=MyFRLhn9_BgC&oi=fnd&pg=PA121&dq=Social+intelligence&ots=UQ1AEmrQ0s&sig=fdV1itwf5UrUkvE6bQtbhsooW4I#v=onepage&q=Social%20intelligence&f=false
  4. http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1354338-5603,00-AVANCO+DA+INTELIGENCIA+SOCIAL+DOS+CAES+CHAMA+A+ATENCAO+DA+CIENCIA.html