Interior de Goiás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Anápolis, maior cidade do interior de Goiás

O interior de Goiás ou interior goiano é a região que abrange todo o estado de Goiás, com exceção a Região Metropolitana de Goiânia e a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno.

Economia do interior de Goias[editar | editar código-fonte]

O interior goiano tem sua economia baseada principalmente no agronegócio, no extrativismo e no turismo, sendo a indústria com certa representação com maior destaque em Anápolis - maior polo industrial do Centro-Oeste,[carece de fontes?] destacando também, o polo farmoquímico e uma montadora da Hyundai.

Apesar de ser considerado um município do interior do estado de Goiás, a proximidade de Anápolis com a capital Goiânia de aproximadamente 55 Km de distância de certo modo desperta controvérsias em torno dessa definição, tendo em vista que de acordo com critério do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), regiões metropolitanas abrangem áreas de 100 Km[1] [2] . Portanto Anápolis, mesmo que seja oficialmente reconhecida como cidade de interior, segundo critérios do próprio IBGE em tese, também faria parte da Região Metropolitana de Goiânia.

Cada região do estado tem um caráter representativo: o Norte Goiano voltado para mineração, como Alto Horizonte (cobre), Crixás e Pilar de Goiás (ouro), Minaçu (amianto) e Barro Alto e Niquelândia (níquel). Já o Sul é mais focado à agroindústria e turismo. Rio Verde, Jataí, Mineiros, Itumbiara e Goiatuba na produção de soja, milho e sorgo; possui parques agroindustriais de processamento de soja, derivados de milho e leite. Rio Verde, Jataí, Mineiros e Itumbiara, também se destacam no abate e no processamento industrial de aves, suínos (fabricação de hambúrgueres, embutidos, empanados, massas, presuntos e conservas bovinas), por meio de unidades industriais da BRF nessas cidades citadas.

Quirinópolis e Caçu são conhecidas por suas significativas usinas de açúcar e álcool; Catalão que possuem montadoras de automóveis: John Deere,Mitsubishi e Suzuki, além de contar também com atividades de mineração em que consta no município uma das maiores minas de nióbio do mundo; Caldas Novas é maior estância hidrotermal do mundo. Já o Centro é mais focado a agricultura: o Vale do São Patrício produz frutas e Goianésia com cana de açúcar. No Oeste o turismo é uma das principais atividades: Aruanã é conhecida pelas praias do Rio Araguaia.[carece de fontes?]

Cidades[editar | editar código-fonte]

  1. Anápolis - 357.402 habitantes
  2. Rio Verde - 197.048 habitantes
  3. Itumbiara - 98.484 habitantes
  4. Catalão - 94.896 habitantes
  5. Jataí - 93.759 habitantes
  6. Caldas Novas - 77.899 habitantes
  7. Goianésia - 63.938 habitantes
  8. Mineiros - 58.062 habitantes
  9. Quirinópolis - 46.187 habitantes
  10. Niquelândia - 44.540 habitantes


Referências