Introgressão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Introgressão, também conhecida como "hibridação introgressiva", em genética (especialmente de plantas), é o movimento de um gene (fluxo de genes) de uma espécie para o acervo genético de uma outra através de repetidos retrocruzamentos entre um híbrido e sua original geração progenitora. Ou seja, envolve um processo recursivo de alteração genética. A introgressão intencional é um curso a longo prazo, podendo levar a muitas gerações de híbridos antes do retrocruzamento finalmente ocorrer.

Introgressão é uma importante fonte de variação genética em populações naturais e das principais causas de especiação simpátrica. Ele pode ter efeitos importantes sobre a dinâmica das zonas híbridas, especiação e irradiação adaptativa. Há evidências de que introgressão é um fenômeno onipresente nas plantas, nos animais, e mesmo em seres humanos, onde cujo processo pode ter introduzido o alelo Microcephalin D.

Introgressão difere de hibridação simples. A introgressão resulta em uma mistura complexa de genes parentais, enquanto a hibridação simples resulta numa mistura mais uniforme, esta qual, na primeira geração, vai ser basicamente uma mistura de duas espécies parentais. A introgressão natural não tem a interferência humana direta, enquanto a introgressão exótica é induzida (intencionalmente como por exemplo, organismos geneticamente modificados) ou não (acidental como atividades humanas que provocam variedades nos cultivos ou perturbações humanas que introduzem plantas invasoras).

Um exemplo de introgressão é a transferência de gene de uma planta transgênica para um parente selvagem. Portanto, como resultado, tem-se uma hibridação que é uma "poluição genética", acidental ou não.

Uma linha de introgressão (abreviatura: LI) em biologia molecular de vegetais é uma categoria de espécies de plantas cultivadas que contém material genético derivado de uma espécie semelhante, por exemplo, um parente "selvagem". Um exemplo de um conjunto de LIs (chamada Biblioteca-LI) é o uso de fragmentos de cromossomos de Solanum pennellii (uma variedade selvagem de tomate) “introgredidos” na Solanum lycopersicum (tomate cultivado). As linhas de uma Biblioteca-LI normalmente cobrem o genoma completo do doador. As linhas de introgressão permitem o estudo de característica ou herança quantitativa em lócus (a posição de um determinado gene num cromossomo), e também a criação de novas variedades através da introdução de características exóticas.



Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]