Invictus (poema)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

"Invictus" é um pequeno poema vitoriano de autoria do poeta inglês William Ernest Henley (1849–1903).

História[editar | editar código-fonte]

Foi escrito em 1875 e inicialmente publicado em 1888.[1] no Book of Verses de Henley, no qual ele era o quarto de uma série de poemas intitulados Life and Death (Echoes).[2] Originalmente não possuía título:[2] as primeiras edições continham apenas a dedicatória To R. T. H. B.—uma referência a Robert Thomas Hamilton Bruce (1846–1899), um escocês mercador de farinha e padeiro de sucesso e também um mecenas literário.[3]

Texto[editar | editar código-fonte]

Out of the night that covers me,
Black as the pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds and shall find me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.


Tradução para português=[editar | editar código-fonte]

A tradução seguinte para português procura manter a rima[4] :

Do fundo desta noite que persiste
A me envolver em breu - eterno e espesso,
A qualquer deus - se algum acaso existe,
Por mi’alma insubjugável agradeço.

Nas garras do destino e seus estragos,
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamentei - e ainda trago
Minha cabeça - embora em sangue - ereta.

Além deste oceano de lamúria,
Somente o Horror das trevas se divisa;
Porém o tempo, a consumir-se em fúria,
Não me amedronta, nem me martiriza.

Por ser estreita a senda - eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma.


Referências

  1. Brownell, W. C.. American prose masters: Cooper, Hawthorne, Emerson, Poe, Lowell, Henry James. [S.l.]: Harvard University Press, 1963. p. 283. OCLC 271184
  2. a b Henley, William Ernest. A book of verses. London: D. Nutt, 1888. OCLC 13897970
  3. For example in Henley, William Ernest. A book of verses. 3rd ed. New York: Scribner & Welford, 1891. OCLC 1912116
  4. Tradução do site casadacultura.org, atribuída a André C S Masini, 2000
Ícone de esboço Este artigo sobre poesia ou um poema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.