Ioga Sutras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os Yoga Sutra (ou Aforismos do Yoga) são o texto clássico sobre a teoria e prática do Yoga tradicional. Foi escrito por Patañjali, que teria nascido no noroeste da Índia, e que se tornou conhecido por ensinar essa disciplina no sul do país. Acredita-se que tenha vivido aproximadamente no tempo de Siddharta Gautama, o Buda, no século V a.C..

O texto compõe-se de 196 aforismos divididos em quatro capítulos que tratam do método do Yoga para libertar o praticante das transformações materiais e da morte (sutra IV, 33) devolvendo-o à sua natureza autêntica (sutras IV, 34 e I, 3). Os quatro capítulos são os seguintes:

1. Samāadhi Pāada - que trata da definição do samadhi, um estado meditativo da mente, e dos processos para alcançar esse estado;

2. Sādhana Pāda - que trata da prática que leva ao estado meditativo e dos obstáculos que podem ser encontrados;

3. Vibhūti Pāda - que trata dos resultados obtidos com a prática da meditação profunda (samyama) e que são conhecimentos e habilidades especiais;

4. Kaivalya Pāda - que trata do objetivo final do Yoga proposto nos Sutras, o estado de identificação do praticante com todo o Universo, produzindo o isolamento (Kaivalyam) que dá nome ao capítulo.

O Yoga ensinado nos Sutra é conhecido como raja yoga, yoga clássico ou yoga do Samkhya. De facto é do sistema Samkhya que os Sutras extraem a teoria que dá sustentação à respectiva proposta prática.

Os Sutra são um tipo de composição literária sânscrita que tem a finalidade de facilitar a memorização de um assunto complexo. Extremamente concisos, apresentam o assunto de forma linear, em que cada aforismo decorre naturalmente do anterior. Seu estilo de compor o assunto com pouquíssimas palavras torna muito difícil a respectiva leitura, ainda que facilite a memorização. Por essa razão, os sutras são frequentemente acompanhados por comentários mais extensos produzidos por mestres de várias épocas, com vista ao melhor entendimento de seu conteúdo.

O mais celebrado comentário aos Sutra de Patanjali é conhecido como Mahabhashya, cuja autoria foi atribuída a Vyasa, o autor do épico Mahabharata. Ainda que haja dúvidas sobre a identidade do seu verdadeiro autor, este comentário é o mais autorizado sobre os Yoga Sutra.

Acredita-se que o quarto capítulo dos Sutra possa ter sido composto muito tempo depois dos outros três, como uma reação ao crescimento do Budismo no norte da Índia. Não há contudo evidências desse fato, para além da análise literária do conteúdo do próprio texto.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Yoga Sutras Texto integral em português, da tradução de Swami Hariharananda Aranya.