Ipê-rosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaIpê-rosa
Tabebuia heptaphylla.jpg

Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Subclasse: Asteridae
Ordem: Lamiales
Família: Bignoniaceae
Género: Tabebuia
Espécie: T. heptaphylla
Nome binomial
Tabebuia heptaphylla
(Vell.) Toledo 1952
Sinónimos
Bignonia heptaphylla Vell. (basiônimo)
Handroanthus eximius (Miq.) Mattos
Handroanthus heptaphyllus (Vell.) Mattos
Handroanthus impetiginosus var. lepidotus (Bureau) Mattos
Tabebuia avellanedae var. paulensis Toledo
Tabebuia eximia (Miq.) Sandwith
Tabebuia impetiginosa var. lepidota (Bureau) Toledo
Tabebuia ipe (Mart.) Standl.
Tabebuia ipe (Mart. ex-K. Schum.) Standl.
Tecoma curialis Saldanha
Tecoma eximia Miq.

Tecoma ipe Mart.

Tecoma ipe Mart. ex-K. Schum.

Tecoma ipe fo. grandiflora Sprague

Tecoma ipe fo. parviflora Sprague

Tecoma ipe var. desinens Sprague

O ipê-rosa é uma árvore brasileira.

Há várias Tabebuias conhecidas como ipê-rosa:

  • De crescimento bem rápido em regiões livres de geadas (em dois anos ela atinge 3,5 metros), pode atingir até 35 m. A Tabebuia impetiginosa é originária da Bacia do Paraná, conhecida também por piúva. Floresce abundantemente de Junho a Agosto, e prefere climas mais quentes, porém num Inverno seco e ameno, ela oferece também uma linda florada no começo da Primavera. Ideal para áreas isoladas, ou paisagismo de grandes avenidas, o Ipê Rosa prefere solos férteis e bem drenados. É largamente empregada no paisagismo em geral por apresentar belíssimas inflorescências de cor rosa. É uma espécie recomendada para recuperação de ecossistemas degradados, sendo considerada promissora para revegetação de áreas contaminadas com metais pesados.
  • Alguns autores consideram a Tabebuia avellanedae e a Tabebuia impetiginosa da mesma espécie.

Características[editar | editar código-fonte]

Ipê-rosa no Paraguai.

O ipê-rosa é uma árvore nativa da América do Sul, distribuída bem entre o México e o Norte da Argentina, por conseguinte às regiões tropicais e subtropicais.

Suas flores duram de Maio a Agosto. As suas numerosas flores são recortadas e na forma de sino.

A sua madeira é preciosa. É uma espécie conspícua e famosa com uma história longa do uso humano, usada como medicamento, e é utilizada na medicina alternativa. O ipê contem potássio, cálcio, ferro, bário, estrôncio e iodo. Contem também um potente antibiótico. Possuindo vários nomes populares, ipê-comum, ipê-reto, ipê-rosa, ipê-roxo da mata, pau d'arco-roxo, etc. A madeira às vezes é comercializada como "pau-brasil".

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Na Mata Atlântica da Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai. Nos climas Tropical úmido e subúmido; Tropical, com inverno seco; Subtropical de inverno seco e subtropical com verão quente. Temperaturas variando de 18 a 26°C.

Características[editar | editar código-fonte]

Caule do tipo tronco, chegando a mais de 30 metros de altura e 90 cm de diâmetro. Folhas de coloração verde-escura, compostas, de distribuição oposta, medindo 6x10cm. A margem é serreada, há um pecíolo longo, liso e cilíndrico e a venação é nítida, do tipo peninérvea. As flores estão agrupadas em inflorescências do tipo corimbo, medindo de 5 a 8 cm, com corola 5-mera, de coloração roxa, zigomorfa, gamopétala. O cálice é do tipo cupular, 5-mero, verde e gamossépalo. Existem 4 estames, didínamos, 2 anteras e um disco nectarífero. O ovário é súpero, bicarpelar, bilocular.

A floração ocorre de junho a setembro e a polinização é realizada por abelhas e pássaros. Os frutos medem até 50 cm, são pretos, secos e deiscentes, do tipo síliqua. A dispersão é realizada através do vento, as sementes medem de 2,5 a 3 cm de comprimento e são aladas.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre a ordem Lamiales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.