Ipameri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ipameri
"Entre Rios"
"Vai-Vem"
"Berço da Modernidade em Goiás"
Bandeira de Ipameri
Brasão de Ipameri
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de setembro
Fundação 12 de setembro de 1870
Gentílico ipamerino
Lema -
Prefeito(a) Daniela Vaz Carneiro (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ipameri
Localização de Ipameri em Goiás
Ipameri está localizado em: Brasil
Ipameri
Localização de Ipameri no Brasil
17° 43' 19" S 48° 09' 36" O17° 43' 19" S 48° 09' 36" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Sul Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Catalão IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Caldas Novas, Campo Alegre, Catalão, Corumbaíba, Cristalina, Goiandira, Luziânia, Nova Aurora, Orizona, Paracatu, Pires do Rio e Urutaí
Distância até a capital 198 km
Características geográficas
Área 4 368,688 km² [2]
População 24 745 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 5,66 hab./km²
Altitude 800 m
Clima tropical de altitude cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,758 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 391 685,378 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 16 380,97 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.ipameri.go.gov.br/

Ipameri é um município brasileiro do estado de Goiás, localizada entre os rios Corumbá e São Marcos, ocupando 29% da área da Microrregião de Catalão, no Sudeste Goiano.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Ipameri" é um termo oriundo da língua tupi e significa "água de mosca de lago", através da junção dos termos upaba ("lago")[6] , mberu ("mosca")[7] e 'y ("água")[6] .

História[editar | editar código-fonte]

Antes da chegada dos europeus ao continente americano, a porção central do Brasil era ocupada por indígenas do tronco linguístico macro-jê, como os acroás, os xacriabás, os xavantes, os caiapós, os javaés etc.[8]

Ipameri foi a primeira cidade do estado de Goiás a contar com energia elétrica gerada no próprio município e uma das primeiras da Região Centro-Oeste do Brasil a contar com esse tipo de energia, antes mesmo da capital do estado. A Usina Hidroelétrica do Rio do Braço hoje desativada, recebeu máquinas importadas, especialmente da Alemanha e tornou-se, juntamente com o rio que a impulsiona, uma atração para o município.

Ipameri entrou em um período próspero nessa época, tornando-se uma das regiões mais ricas do estado. Foi quando, além de receber água encanada e energia elétrica, produzida na própria cidade a partir da Usina do Rio do Braço, foi fundado lá o primeiro jornal do estado, o primeiro sindicato rural, a primeira emissora de rádio (Rádio Xavantes) e o primeiro jóquei clube (Hipódromo Firmo Ribeiro), onde aconteciam competições de hipismo de nível nacional. O cinema, que também poucas cidades goianas possuíam, foi inaugurado com o nome de Cine Estrela.

Dada a situação econômica privilegiada da cidade, foi aqui instalada a primeira agência do Banco do Brasil do estado de Goiás.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A maioria da população de Ipameri vive na cidade. Uma minoria mora na zona rural ou em povoados adjacentes. Dos 24 000 ipamerinos, 20 500 (84,5%) compõem a população urbana e 3 500 (15,5%) compõem a população rural.

Economia[editar | editar código-fonte]

As principais atividades econômicas do município são a agricultura e pecuária. Possui também um comércio variado e passa por um recente processo de industrialização (agroindústrias). O produto interno bruto de 2003 foi de pouco mais de 304 milhões de reais (em valores da época), apresentando a seguinte divisão por setores produtivos: 46% no setor primário, 19,7% no setor secundário e 34,3% no setor terciário. No mesmo ano, o PIB per capita foi de 12.925 Reais, sendo a soma dos impostos pagos pelos munícipes no ano de 26.637 mil reais.[carece de fontes?]

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

Em 2005 a produção agropecuária do município foi a seguinte:

Produto Produção
Bovinos 178.000 cabeças
Suínos 15.700 cabeças
Eqüinos 2.700 toneladas
Galinhas 21.000 cabeças
Frangos 700.000 cabeças
Dúzias de ovos 28.300
Vacas ordenhadas 36.700 cabeças
Litros de leite por ano 167.000.000
Algodão 23.325 toneladas
Arroz 6.000 toneladas
Batata 28.000 toneladas
Cana 127.000 toneladas
Feijão 5.700 toneladas
Mandioca 4.500 toneladas
Milho 97.200 toneladas
Soja 134.400 toneladas
Sorgo 8.000 toneladas
Tomate 6.975 toneladas
Trigo 2.115 toneladas
Principais produtos agropecuários de Ipameri IBGE em 2005.

O município é um dos maiores produtor de cereais na região Sudeste de Goiás [carece de fontes?]. As culturas mais importantes são o algodão e a soja, mas também há cultivo de milho, arroz, batata, tomate, café, mandioca, e alho.

Os principais laticínios da cidade são Laticínios Carvalho Ltda ; Cooperativa Agropecuária do Vale do Corumbá Ltda ; dos frigoríficos destacam-se FRI-SOL - Frigorífico Sol Nascente Ltda.; - Gaasa e Alimentos Ltda; e Carvalho e Pinheiro Ltda. Na destilação de bebidas a mais importante é a destilaria LASA Lago Azul S/A é a Zona Industrial: Distrito Agroindustrial - DIAIPA. Os principais produtos agrícolas por área plantada são o café (565ha.), o algodão (5800ha.), a cana (2700ha.), o milho (14000ha.) e a soja (66000 ha.).[carece de fontes?]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

O município possuí uma infraestrutura econômica relativamente boa. As rodovias que dão acesso são pavimentadas. Existe a Estação Ferroviária, que serve a cidade desde a década de 1920, hoje realizando apenas o transporte de cargas. Conectando-se à Anápolis, Goiânia, São Paulo e Minas, a rede de distribuição de energia elétrica cobre todo o perímetro urbano e parte considerável da área rural. Saneamento básico e distrito industrial.

Ipameri conta com Terminal Rodoviário, o aeroporto distante 4,5 km do centro da cidade, rede ferroviária, as vias de acesso são todas asfaltadas no total de 5, ligando Ipameri à capital e aos principais centros urbanos, como Uberlândia, Belo Horizonte, Brasília, por onde escoa toda a produção agropecuária e comercial da cidade. Apesar de não existir transporte coletivo, o município é bem servido pelo transporte rodoviário intermunicipal e interestadual que o liga aos principais centros urbanos do país.

Para o turismo o município proporciona vários hotéis, restaurantes e clubes, destacando-se entre outros o Jóquei Clube de Ipameri. O Lago Corumbá localizado a 30 km do centro da cidade e o rio do Braço são atrações à parte. A Saneago é responsável pelo saneamento básico disponibilizando água tratada a 95,8% das residências. Já o sistema de esgoto que é responsabilidade da Prefeitura Municipal atende 60% da população. Isso acontece porquê em Ipameri 70% da rede de esgoto foi feita por particulares. Agora a prefeitura está refazendo todo o sistema.

O polo educacional da cidade é representado por um Campos do IF Goiano e outro da UEG.

No Hipódromo, denominado Firmo Ribeiro, já aconteceram grandes eventos de corridas de cavalos, envolvendo várias cidades do país.

Principais distâncias[editar | editar código-fonte]

Ipameri se localiza em posição estratégica possuindo ligação com as principais cidades turísticas no sudeste de Goiás como Três Ranchos, Caldas Novas.

As ligações por rodovias são de Goiânia pela BR-352 / Bela Vista de Goiás e Cristianópolis, GO-020 / Pires do Rio, GO-330. Outras distâncias de Ipameri são: Catalão (50Km), Campo Alegre (55 km), Goiandira (63 km), de Três Ranchos (89Km), Caldas Novas (60 km) e Urutaí (32 km).

O município possui distância relativamente curta em relação às capitais estadual, federal e as principais metrópoles do sudeste brasileiro.

  1. Goiânia: 198 km
  2. Anápolis: 221 km
  3. Brasília: 250 km
  4. Uberlândia: 176 km
  5. São Paulo: 747 km
  6. Belo Horizonte: 640 km
  7. Curitiba: 1173 km
  8. Florianópolis: 1550 km
  9. Cuiabá: 1400 km
  10. Rio de Janeiro: 1221 km
  11. Campo Grande: 1050 km
  12. Araguari : 146 km

Atrativos[editar | editar código-fonte]

O município é berço de vários artistas e conta com um artesanato significante, tendo sido criada a Casa do Artesão onde os pequenos e médios artesãos podem vender seus produtos.

A festa Agro-Pecuária, já com meio século de existência traz movimento expressivo para a cidade, voltado para o agronegócio – a maior fonte econômica do município.

O Mocajee Cross, corrida de motos, jeeps e carroças também tem atraído os amantes da modalidade esportiva para o Povoado da Vendinha, antigo Sucuri, cujas terras foram doadas pela família Souza Pereira, onde as áreas de acampamento a 23 km do centro da cidade recebem um número bastante elevado de visitantes provindos de várias localidades do estado, e até mesmo de fora. Contando com um público das mais diferentes regiões do país, como: interior de Goiás, Brasília, Goiânia, Triângulo Mineiro, São Paulo, Mato Grosso e região Sul. O evento que acontece desde 2004 conta com uma programação bastante variada. Constituída principalmente pelas competições de motocross, jeepcross e cross country com bike(mountain bike).

A festa da Padroeira da cidade, Nossa Senhora da Abadia que no passado, segundo reza a história, já atraiu romarias que desapareceram. Hoje a festa acontece mais com a população local, rural e da própria região.

Religião[editar | editar código-fonte]

Nuvola apps important square.svg
Este artigo ou secção possui passagens que não respeitam o princípio da imparcialidade.
Tenha cuidado ao ler as informações contidas nele. Existe alguma controvérsia neste artigo quanto à forma de o tornar mais imparcial. Evite editar o artigo sem participar no debate a decorrer na página de discussão.

Ipameri é uma cidade de forte influência Católica Apostólica Romana . A Igreja Católica, como em toda a História do Brasil, exerceu também na História de Ipameri importante papel, influenciando nas decisões políticas e contribuindo para a construção histórica do município, se consolidando como respeitada instituição na cidade e deixando a ela legados de grande valor. O que fez de Ipameri cidade estratégica para a irradiação católica no interior goiano. Encontra-se na cidade a sede diocesana de dezenove municípios goianos : Anhanguera, Caldas Novas, Campo Alegre de Goiás, Catalão, Corumbaíba, Cumari, Davinópolis, Goiandira, Ipameri (Sede), Marzagão, Nova Aurora, Orizona, Ouvidor, Palmelo, Pires do Rio, Rio Quente, Santa Cruz de Goiás, Três Ranchos e Urutaí. A Catedral do Divino Espírito Santo, construída no estilo neo-gótico de 1927 a 1926 quando foi inaugurada, é sede da diocese e constituí-se importante atração turística na cidade. Existem também outras obras importantes da Igreja no município como o Colégio das Irmãs. Construído para acolher em clausura as noviças da região se caracteriza por apresentar Arquitetura em Art Déco.

A padroeira do município é Nossa Senhora D'Abadia. Sua Festa ocorre do dia 6 ao dia 15 de Agosto.

O religioso mais conhecido desde a fundação desta urbe, foi Monsenhor Domingos P. de Figueiredo. Serviu através da Igreja, por vários anos. Emprestou seu nome ao Pavilhão (um tipo de Centro de Convenções Municipal) onde são realizados muitos eventos religiosos e sociais dos cidadãos ipamerinenses. Também a uma Escola Estadual da cidade - conforme Lei Estadual nº 9.206/82, assinada pelo então Governador Ary Valadão.

"Monsenhor P(...)", como era conhecido, visitava famílias de outras religiões para tentar evangelizá-las.

A cidade conta ainda com várias Igrejas Evangélicas, dentre elas a Igreja de Cristo situada no Bairro Dom Vital, próximo à Rodoviária. A cidade também possui a Igreja Ministério Casa da Fé, situada no Alto da Boa Vista, onde em Ipameri situa a sede, tendo outras igrejas em Rio Verde-Go, Catalão-Go e Uberlândia-Mg. Também possui Igrejas evangélicas tradicionais como a Igreja Batista e a Igreja Presbiteriana (tendo mais de 80 anos na cidade). A Igreja Batista Nacional Missionária possui uma Instituição de recuperação de dependentes químicos.

Educação[editar | editar código-fonte]

Ipameri possui unidades de educação que vão do ensino infantil ao ensino Superior. O município conta com várias escolas e creches. No município existem mais de 30 escolas direcionadas ao ensino fundamental e médio. Tanto da rede privada quanto da rede pública de ensino. No ensino fundamental destaca-se entre outros a Escola Municipal Agrícola Godofredo Perfeito, proporcionando desde disciplinas escolares tradicionais até práticas agrícolas aos seus alunos.

As principais instituições públicas de nível médio da cidade são (no ensino médio) o Colégio Estadual Professor Eduardo Mancini (CEPEM), antiga escola fundada pela colônia sírio-libanêsa e o Colégio Estadual Normal.

No Ensino Superior, Ipameri conta com duas Universidades: uma unidade da Universidade Estadual de Goiás e o IV Campus da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás).

O SENAC Cel. Ignácio Elias Bufáiçal oferece cursos técnicos e profissionalizantes.

O Instituto Federal Goiano também está presente em Ipameri, desde o início de 2014.[9]

Exército[editar | editar código-fonte]

O Exército Brasileiro tem base em Ipameri há vários anos. Tendo passado por lá diversas Companhias. Hoje se situa no Quartel do município a 23ª Companhia de Engenharia de Combate.

Personalidades[editar | editar código-fonte]

  • Demóstenes Cristino, poeta modernista, autor da célebre Musa Bravia.
  • Benedito Vicente Ferreira,mais conhecido como Benedito Boa Sorte. Foi empresário e político.
  • Milton Loureiro, foi escritor, poeta e advogado.
  • Rubens Cosac, filho de Ipameri, foi Deputado Estadual, presidente da Assembléia Legislativa de Goiás e Deputado Federal.
  • Lamis Cosac,esposa de Rubens Cosac, foi vice-prefeita, Primeira mulher a ser eleita prefeita do município e Deputada Estadual por duas legislaturas.
  • Joaquim Rosa, articulista combativo, escritor e farmacêutico.
  • Reynaldo Barbalho, foi Diretor do Museu de Artes de Goiania e integrou o Grupo dos Escritores Novos - GEN.
  • Marcos Quinan, poeta, compositor, artista plástico.
  • Cláudio da Cunha, cientista, farmacologista e bioquímico.
  • Dom Antônio Ribeiro de Oliveira, natural de Orizona-GO, bispo emérito de Goiânia, e atualmente na cidade de Ipameri.
  • Antônio Pacífico Vaz, foi um trabalhador da boia fria que morreu em pleno dia de serviço, e foi homenageado com seu nome no Centro Municipal de Apoio aos Trabalhadores Rurais (Centro Municipal de Apoio aos Trabalhadores Rurais Antônio Pacífico Vaz).

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  6. a b http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  7. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 172
  8. CHAIM, M. M. Aldeamentos Indígenas (Goiás 1749-1811). Segunda edição. São Paulo: Nobel, 1983. p. 48
  9. Câmpus Avançado Ipameri do Instituto Federal Goiano. IFG. Página visitada em 31 de julho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Goiás é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.