Ipratrópio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estrutura química de Ipratrópio
Ipratrópio
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
[8-metil-8-(1-metiletil)- 8-azoniabiciclo[3.2.1] oct-3-il] 3-hidroxi-2-fenil-propanoato
Identificadores
CAS 60205-81-4
ATC R01AX03
PubChem 43232
DrugBank APRD00537
Informação química
Fórmula molecular C20H30NO3 
Massa molar 332.457 g/mol
SMILES OCC(C(=O)OC1CC2CCC(C1)[N+]2(C)C(C)C)c1ccccc1
Farmacocinética
Biodisponibilidade  ?
Ligação a proteínas 0 a 9% in vitro
Metabolismo Hepática
Meia-vida 2 horas
Excreção  ?
Considerações terapêuticas
Administração Inalação
DL50  ?

Ipratrópio (Brometo de ipratrópio na forma monoidratada, recebe o nome comercial de Atrovent) é um medicamento anticolinérgico derivado da atropina e administrado por via de inalação como coadjuvante na broncodilatação para o tratamento de asma, bronquite e doença pulmonar obstrutiva crônica.

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

O ipratrópio atua bloqueando os receptores muscarínicos no pulmão, inibindo a broncoconstrição e a produção de muco nas vias aéreas.[1] É um bloqueador muscarínico não seletivo e não se difunde no sangue, o que previne a aparição de efeitos colaterais sistêmicos. O ipratrópio é um derivado sintético da atropina,[2] porém é uma amina quartenária, assim não atravessa a barreira hemato-encefálica, prevenindo reações adversas no sistema nervoso central (a síndrome do anticolinérgico).

Usos clínicos[editar | editar código-fonte]

O brometo de ipratrópio inalado manifesta efeitos broncodilatadores, melhorando a capacidade respiratória de pacientes com enfermidades pulmonares obstrutivas crônicas e sua tolerância ao exercício. A melhora respiratório da dispnéia, característica destas doenças pulmonares em particular, se aprecia incluindo os pacientes com estados avançados de DPOC.[3]

O ipratrópio pode ser combinado com o salbutamol ou o fenoterol para o tratamento da asma ou outras doenças obstrutivas, especialmente em indivíduos que deixaram de responder a um só medicamento.[4] Seus efeitos secundários são semelhantes aos outros anticolinérgicos.

Na asma infantil, a combinação de ipratrópio, salbutamol e budesonida, duas vezes por cinco dias, resulta efetivamente na melhora dos sintomas.[5]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Brenner, G. M. (2000). Pharmacology. Philadelphia, PA: W.B. Saunders Company. ISBN 0-7216-7757-6
  • Canadian Pharmacists Association (2000). Compendium of Pharmaceuticals and Specialties (25th ed.). Toronto, ON: Webcom. ISBN 0-919115-76-4

Referências

  1. Instituto Químico Biológico. Ipratropio, Bromuro (en español). Último aceso 13 de abril, 2008.
  2. Yamatake Y, Sasagawa S, Yanaura S, Okamiya Y. [Antiallergic asthma effect of ipratropium bromide (Sch 1000) in dogs (author's transl)] (em <Língua não reconhecida>). 7. [S.l.: s.n.]. 785-91 pp.
  3. JORQUERA A, Jorge, DIAZ P, Orlando y LISBOA B, Carmen. Efecto del bromuro de ipratropio sobre la hiperinflación pulmonar dinámica en pacientes con enfermedad pulmonar obstructiva crónica. Rev. méd. Chile. [online]. jun. 2003, vol.131, no.6 [citado 30 Abril 2008], p.605-612. Disponible en la World Wide Web: [1]. ISSN 0034-9887.
  4. MedlinePlus Medicinas. Ipratropio y Salbutamol inhalable.
  5. Chen ZG, Li M, Chen H, Chen YF, Chen FH, Ji JZ. Efficacy of pulmicort suspension plus salbutamol and ipratropium bromide for management of acute asthma exacerbation in children: a comparative study. Nan Fang Yi Ke Da Xue Xue Bao. 2008 Mar;28(3):470-2. (artículo completo en chino). PMID: 18359717
Ícone de esboço Este artigo sobre fármacos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.