Irene da Grécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Irene
Rainha consorte da Croácia,
Duquesa de Aosta
Irene of Greece, duchess of Aosta.jpg
Governo
Consorte Aimone, duque de Aosta e Spoleto
Casa Real Casa de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Casa de Saboia
Vida
Nascimento 13 de Fevereiro de 1904
Atenas, Grécia
Morte 15 de Abril de 1974 (70 anos)
Fiesole, Itália
Sepultamento Basílica de Superga, Turim, Itália
Filhos Amadeo de Saboia-Aosta
Pai Constantino I da Grécia
Mãe Sofia da Prússia

Irene da Grécia e Dinamarca (Πριγκίπισσα Ειρήνη της Ελλάδας και Δανίας) (13 de Fevereiro de 1904 - 15 de Abril de 1974) foi a quinta filha, a segunda do sexo feminino, de Constantino I da Grécia e da sua esposa, a princesa Sofia da Prússia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família e primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Os seus avós paternos eram o rei Jorge I da Grécia e a grã-duquesa Olga Constantinova da Rússia. Os seus avós maternos eram o Frederico III, imperador da Alemanha e a sua consorte Vitória. Vitória era filha do príncipe Alberto de Saxe-Coburgo-Gota e a rainha em poder, Vitória do Reino Unido.

Irene nasceu em Atenas depois de três irmãos, Jorge (1890), Alexandre (1893) e Paulo (1901) e de uma irmã, Helena (1896). Outra irmã, Catarina, nasceu em 1913.

Em 1927, o irmão de Irene, Jorge, anunciou o noivado desta com o príncipe Cristiano de Schaumburg-Lippe, sobrinho do rei Cristiano X da Dinamarca.[1] Porém, estes planos nunca chegaram a concretizar-se. Mais tarde o príncipe acabou por se casar com a sua prima, a princesa Feodora da Dinamarca.

Casamento e morte[editar | editar código-fonte]

A 1 de julho de 1939, a princesa Irene casou-se com o príncipe Aimone, duque de Aosta e Spoleto (n. 9 de março de 1900 em Florença, Itália). Tiveram um filho, o príncipe Amadeu Humberto Constantino Jorge Paulo Helena Maria Fiorenzo Zvonimir de Saboia, nascido a 27 de Setembro de 1943.

O príncipe Aimone tornou-se o quarto duque de Aosta a 3 de março de 1942, após a morte do seu irmão mais velho, o príncipe Amadeu, terceiro duque de Aosta. A 18 de maio de 1941, adoptou o nome de Tomislav II e foi proclamado rei do Estado Independente da Croácia. Acabaria por nunca entrar no território do Estado e subsequentemente abandonou a coroa a 12 de outubro de 1943, depois de a Itália se retirar da guerra. Irene e a sua família foram levados para um campo de concentração nazi em 1944. Ela não era a favor do seu marido assumir o trono de Zvonimir, mas apoiou os seus planos de se afastar da coroa da Croácia. Após o armistício com o reino da Itália, a princesa foi capturada pelos alemães e levada para um campo de concentração na Áustria e, mais tarde, na Polónia. Amadeu, o seu filho e herdeiro, era na altura uma criança e adoecia várias vezes. A princesa foi libertada pelos franceses.

O príncipe Aimone morreu a 29 de janeiro de 1948 em Buenos Aires. Com a sua morte, o seu filho Amadeu sucedeu-o e tornou-se o quinto duque de Aosta.

Entre 1941 e 1942, Irene serviu a Cruz Vermelha Internacional na União Soviética.

A princesa Irene morreu a 15 de abril de 1974 em Fiesole, Itália de doença prolongada.

Referências

  1. "Princess Irene Tells Engagement To Prince Christian of Schaumburg-Lippe", The New York Times (Viena), 13 de Outubro de 1927
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Irene da Grécia