Isabel da Escócia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Representação de Isabel da Escócia.

Isabel da Escócia (14261494) era a segunda filha do rei Jaime I da Escócia e de Joana Beaufort. Também conhecida como Isabel Stuart, foi a segunda consorte de Francisco I, duque da Bretanha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu no outono de 1426, sendo a segunda dos oito filhos do rei Jaime I da Escócia e de Joana Beaufort. Considerada mais bonita que sua irmã mais velha, Margarida, João VI, duque da Bretanha, 37 anos mais velho, viúvo, pediu sua mão em casamento.1 Assim, ele enviou embaixadores à Escócia para tomar a descrição dela. Eles relataram que ela era bonita, alegre e graciosa, mas que parecia ser ingênua. A resposta do duque foi: meus amigos, voltai à Escócia e trazei-a aqui, ela é tudo o que eu desejo, e não irei querer outra; vossas mulheres inteligentes fazem mais mal do que bem.

O contrato foi assinado em 19 de julho de 1441, e ratificado em 29 de setembro seguinte. Todavia, João faleceu antes da cerimônia religiosa que oficializaria a união. Isabel, então, casou-se com seu sucessor, Francisco I, de 28 anos, no Castelo de Auray, em 30 de outubro de 1442. Também Francisco era viúvo, tendo sido casado anteriormente com Iolanda de Anjou, filha de Luís II, duque de Anjou, morta havia dois anos, com quem não tivera filhos.

Isabel e Francisco tiveram duas filhas:

  1. Margarida (c. 1443 - 22 de setembro de 1469), casada com seu primo Francisco, conde de Étampes;
  2. Maria (c. 1444 - c. 1506), casada com João II, visconde de Rohan.

Ambas as filhas deixaram descendentes.

À morte de sua irmã Margarida, casada com o futuro rei Luís XI da França, Isabel escreveu e pintou um livro de horas, preservado até os dias atuais.

Viúva em 17 de julho de 1450, especulou-se em arranjar um casamento para ela com Carlos, príncipe de Viana, o qual era cinco anos mais novo que ela, mas esta possibilidade foi esquecida devido à desaprovação do rei Carlos VII da França.

As filhas do casal foram excluídas da linha de sucessão em favor do irmão de Francisco, que ascendeu como Pedro II. Este, no entanto, incapaz de gerar filhos, e temeroso de que o trono da Bretanha caísse sob domínio estrangeiro, decidiu acertar o casamento de sua sobrinha Margarida com seu primo, o Conde de Étampes. Com a aprovação dos Estados da Bretanha, o casamento ocorreu em 16 de novembro de 1455. Pedro enfim veio a falecer dois anos depois e foi sucedido por seu parente varão mais próximo, o tio Artur III, que também faleceu, pouco mais de um ano depois, sem filhos. O próximo na linha de sucessão era o Conde de Étampes, que ascendeu como Francisco II, tendo Margarida como sua consorte. Isabel, no entanto, também sobreviveu a Margarida e Francisco, vindo a falecer em 1494. Seu corpo foi sepultado na Catedral de Vannes.2

Referências

Precedida por:
Joana de Valois
Brasão de Isabel da Escócia.
Duquesa consorte da Bretanha

30 de outubro de 144217 de julho de 1450
Sucedida por:
Francisca de Amboise