Islamofobia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Islamofobia é o sentimento de ódio ou de repúdio em relação aos muçulmanos e ao Islamismo em geral.[1] Este tipo de aversão ao islamismo vem acontecendo principalmente nos Estados Unidos, no Canadá, na Europa e em Israel, devido aos atentados terroristas promovidos por organizações fundamentalistas islâmicas, tais como a Al-Qaeda, o Talibã, o Hezbollah, o Hamas, o Fatah al-Islam, as Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa e a Jihad Islâmica Palestina. Este tipo de discriminação se agravou exponencialmente após os ataques de 11 de setembro de 2001, ocorridos nos Estados Unidos.

Mídia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Enciclopédia da Raça e Estudos Étnicos, os meios de comunicação social têm sido criticados por perpetrarem islamofobia; a professora inglesa Elizabeth Poole cita um estudo de caso onde, ao analisar uma amostra de artigos na imprensa britânica de entre 1994 e 2004, conclui que os muçulmanos estavam sub-representados, e mostrados sob um foco negativo. Esses retratos, de acordo com Poole, incluem a imagem do Islamismo e os muçulmanos como uma ameaça à segurança do Ocidente e aos valores sociais desta parte do planeta.[2] Benn e Jawad escreveram que a hostilidade contra o Islã e os muçulmanos estão "intimamente ligadas aos meios de comunicação social que retratam o Islã como bárbaro, irracional, primitiva e sexista."[3] Egorova e Tudor citam os pesquisadores europeus, em que sugere que expressões utilizadas nos meios de comunicação social como "terrorismo islâmico", "bombas islâmicas" e "violento Islã" já resultaram em uma percepção negativa do Islã.[4]

Diversas iniciativas vêm surgindo com base nas sessenta recomendações enumeradas no relatório do Runnymede Trust, que visa aumentar participação muçulmana nos meios de comunicação e na política. Logo após a liberação do relatório Runnymede, foi criado o Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha para servir como uma organização guarda-chuva com o objetivo de "representar os muçulmanos na esfera pública, o lobby no governo e outras instituições." O "Fórum Contra o Racismo e a islamofobia" (FAIR), também foi criado, destinado a acompanhar a cobertura nos meios de comunicação e estabelecer um diálogo com organizações da mídia.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. * Sandra Fredman, Discrimination and Human Rights, Oxford University Press, ISBN 0-19-924603-3, p.121.
    • Yvonne Yazbeck Haddad, Muslims in the West: From Sojourners to Citizens, Oxford University Press, ISBN 0-19-514806-1, p.19
    • Islamophobia: A Challenge for Us All, Runnymede Trust, 1997, p. 1, cited in Quraishi, Muzammil. Muslims and Crime: A Comparative Study, Ashgate Publishing Ltd., 2005, p. 60. ISBN 0-7546-4233-X. Early in 1997, the Commission on British Muslims and Islamophobia, at that time part of the Runnymede Trust, issued a consultative document on Islamophobia under the chairmanship of Professor Gordon Conway, Vice-Chancellor of the University of Sussex. The final report, Islamophobia: A Challenge for Us All, was launched in November 1997 by Home Secretary Jack Straw
  2. Encyclopedia of Race and Ethnic studies, p. 217
  3. Benn; Jawad (2004) p. 165
  4. See Egorova; Tudor (2003) pp. 2-3, que cita as conclusões de Marquina e Rebolledo: "A. Marquina, V. G. Rebolledo, ‘The Dialogue between the European Union and the Islamic World’ in Interreligious Dialogues: Christians, Jews, Muslims, Annals of the European Academy of Sciences and Arts, v. 24, no. 10, Austria, 2000, pp. 166-8. "
  5. Encyclopedia of Race and Ethnic studies, p. 218

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Encyclopedia of Race and Ethnic Studies. (2003). Ed. Cashmore, E. Routledge. 
  • Benn, T.; Jawad, H.. Muslim Women in the United Kingdom and Beyond: Experiences and Images. [S.l.]: Brill, 2004. ISBN 90-04-12581-7
  • Egorova, Y.; Parfitt, T.. Jews, Muslims, and Mass Media: Mediating the 'Other'. London: Routledge Curzon, 2003. ISBN 0-415-31839-4
  • Haddad, Y.. Muslims in the West: From Sojourners to Citizens. Oxford: Oxford University Press, 2002. ISBN 0-19-514805-3
  • Johnson, M. R. D.; Soydan, H; Williams, C.. Social Work and Minorities: European Perspectives. London; New York: Routledge, 1998. ISBN 0-415-16962-3
  • Miles, R.; Brown, M.. Racism. London; New York: Routledge, 2003. ISBN 0-415-29676-5

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Islamofobia
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.