Israel Halperin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Israel Halperin
Matemática
Nacionalidade Canadá Canadense
Nascimento 5 de janeiro de 1911
Local Toronto
Morte 8 de março de 2007 (96 anos)
Atividade
Campo(s) Matemática
Alma mater Universidade de Princeton
Tese 1936: Adjoints and Closures of Linear Differential Operators
Orientador(es) Salomon Bochner, John von Neumann
Prêmio(s) Medalha Henry Marshall Tory (1967)

Israel Halperin OC, FRSC (Toronto, 5 de janeiro de 19118 de março de 2007) foi um matemático e ativista social canadense.

Nascido em Toronto, filho dos imigrantes russos Solomon Halperin e Fanny Lundy, Halperin frequentou o Malvern Collegiate Institute[1] , a Universidade Victoria de Toronto, graduou-se na Universidade de Toronto em 1932, e foi depois aluno de pós-graduação de John von Neumann na Universidade de Princeton, onde finalizou o doutorado.

Foi professor da Queen's University em 1939. Halperin serviu então o Exército Canadense de 1942 a 1945 em Ottawa com o "Canadian Armament Research and Development Establishment" (CARDE). Retornou então à universidade.[2]

Em fevereiro de 1946 foi preso e acusado de espionagem no Canadá, em conexão com a deserção de Igor Gouzenko, um criptógrafo da embaixada soviético, que ocorreu em Otawwa em setembro de 1945.[3] A deserção de Gouzenko e a investigação subsequente revelou que a União Soviética estava conduzindo espionagem em larga escala no Canada e nos Estados Unidos, incluindo espionagem da bomba atômica.

Após árduos questionamentos e prisão por várias semanas, sob uma comissão real designada pelo ministro da justiça Louis St. Laurent, seguido por um julgamento no início de 1947, Halperin foi finalmente inocentado e solto. Ele voltou a lecionar na Queen's University, mas somente em 1948, enfrentando obstáculos legais impetrados pela direção da universidade. O reitor Robert Charles Wallace propugnou por seu retorno.[4]

Halperin foi eleito fellow da Sociedade Real do Canadá em 1953, e foi laureado com a Medalha Henry Marshall Tory em 1967.[5]

Na sequência da morte de von Neumann em 1957, Halperin completou dois de seus artigos inacabados, publicando-os porém apenas com o nome de von Neumann.[6]

Halperin lecionou na Queen's até 1966, tornando-se professor catedrático. Foi então para a Universidade de Toronto, onde permaneceu até aposentar-se em 1976, tendo publicado mais de 100 artigos acadêmicos. Recebeu um doutortado honorário em direito em 1989, e tornou-se membro da Ordem do Canadá, ambas as condecorações por seu trabalho humanitário.[7]

Halperin teve quatro filhos, e todos tornaram-se professores: William Halperin, Connie Eaves, Stephen Halperin e Mary Hannah.

Halperin morreu em 2007 com 96 anos de idade.

Referências

  1. Sandra Martin. "ISRAEL HALPERIN, SCHOLAR AND ACTIVIST 1911-2007", The Globe and Mail, April 7, 2007.
  2. Queen's Alumni Review, A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, p. 16.
  3. Queen's Alumni Review, A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, p. 14-15.
  4. Queen's Alumni Review: A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, pp. 14-20, 52.
  5. Queen's Alumni Review, A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, p. 52.
  6. Queen's Alumni Review: A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, p. 16.
  7. Queen's Alumni Review, A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, pp. 20, 52.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Biografia
  • Queen's Alumni Review, A Question of Treason, by Sara Beck, February 2008, pp. 14-20, 52.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.