Itaberaba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itaberaba
"Portal da Chapada"
Bandeira de Itaberaba
Brasão de Itaberaba
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 26 de março de 1877 (137 anos)
Gentílico itaberabense
Prefeito(a) João Almeida Mascarenhas Filho (Partido_Progressista_(Brasil))
(2013–2016)
Localização
Localização de Itaberaba
Localização de Itaberaba na Bahia
Itaberaba está localizado em: Brasil
Itaberaba
Localização de Itaberaba no Brasil
12° 31' 40" S 40° 18' 25" O12° 31' 40" S 40° 18' 25" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro Norte Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Itaberaba IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Boa Vista do Tupim, Ipirá, Iaçu e Ruy Barbosa
Distância até a capital 264 km
Características geográficas
Área 2 343,505 km² [2]
População 65 806 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 28,08 hab./km²
Altitude 265 m
Clima Semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,620 médio PNUD/2010 [4]
Gini 0,58 PNUD/2010[5]
PIB R$ 427 019,636 mil IBGE/2011[6]
PIB per capita R$ 6 905,46 IBGE/2011[6]
Página oficial
Portal de entrada da cidade BR242 e BA233
Portal de entrada da cidade BR242 e BA233

Itaberaba é um município do estado da Bahia, no Brasil. Localiza-se na região do Piemonte do Paraguaçu sendo assim o portal de entrada para a Chapada Diamantina. Sua estimativa populacional, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 180 000 habitantes em 2014. Fica às margens da BR-242, uma importante rodovia federal que liga a Bahia ao Distrito Federal. É cortada por duas importantes rodovias estaduais, BA-046 e BA-233, todas em excelente estado de conservação e sinalização. Possui diversas indústrias podendo destacar o ramo moveleiro e calçadista e um forte comércio, o que a torna um dos maiores centros regionais do estado.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

Recebera este nome porque a vinte e cinco km da cidade ergue-se uma pedra de rara beleza com 220 mts de altura no meio da caatinga e de um imenso tabuleiro. Os índios que ali habitavam falavam o tupi-guarani e chamavam esta pedra de Itaberaçu ou Itaberaba que no seu vocabulário um termo de origem tupi que significa "pedra brilhante", através da junção dos termos itá (pedra) e beraba (brilhante, brilha ou reluz)[7] . Estes primitivos também deixaram escritos desenhos rupestres em um dos blocos de granito da pedra, a qual deu origem ao nome da cidade “ITABERABA”.

História[editar | editar código-fonte]

Itaberaba no ano de 1936
Itaberaba no ano de 1936

A região que hoje o município de Itaberaba ocupa já foi habitada pelos índios Maracás, do grupo dos Tapuias do grupo linguístico Quiriri, que antes viviam no litoral de onde foram expulsos pelos Tupinambás e/ou Tabajaras. Eram índios robustos e guerreiros, mas não eram antropófagos, eles dominavam todo o Vale do Paraguaçu, porém vencidos pelos conquistadores a partir de 1673.

Em 1561, dom Vasco Rodrigues adentrou o Rio Paraguaçu em setenta léguas. Mais tarde, passou por ali Gabriel Soares de Sousa. A região, que hoje incorpora o município, integrou a capitania da Bahia de Todos os Santos (1535-1548) e foi cedida através de sesmarias às pessoas abastadas, sendo vendida por seus sucessores, aproximadamente cem anos depois, a aventureiros vindos de vários pontos. Um deles foi o Capitão Manoel Rodrigues Cajado. Esta fazenda fora vendida e já no poder do quarto dono, o Sr. Antônio Figueiredo de Mascarenhas, o qual era muito católico, mandou erguer uma casa de oração (capela) no ano de 1809 para que sua família e vizinhos pudessem fazer suas orações e reverencias a Virgem do Rosário do Orobó. Os anos foram passando e ao redor da capela foram surgindo algumas casas rústicas.

Em 1817, já havia se transformado em um pequeno povoado, conhecido como Rosário do Orobó, o qual fora crescendo graças a fé e devoção do povo a Nossa Senhora do Rosário do Orobó.

Através da Resolução n.º 195 de 18 de maio de 1843 o povoado do Rosário do Orobó, passara a chamar-se Freguesia da Nossa Senhora do Orobó que antes pertencia a Freguesia do Camisão (hoje Ipirá). Nessa época já possuía cerca de vinte e cinco casas em volta da Capela e uma população de umas cem pessoas.

Em 26 de Março de 1877 foi elevada a categoria de vila do Orobó pela resolução nº 1715 de 26 de Março. Em 30 de Junho do mesmo ano foi criada a 1º Câmara Municipal e termo da comarca da Vila de Santa Ana do Camisão. 

Em 1893 Vila do Orobó já possuía umas quatrocentas casas,as quais eram caiadas,algumas eram envidraçadas e bem arrumadas,formando assim nove ruas e três espaçosas praças:a Praça da Matriz, local que funcionava a feira-livre,a Praça Dr.Quintino Ferreira e a praça da Nascente.E três capelas:a capela da Matriz,a do bom Jesus da Lapa,a meio quilômetro do vilarejo e a capela do pequeno cemitério. 

Em 25 de julho de 1897, o Secretario do Interior de Justiça e Instrução Publica por oficio comunicou ao Conselho que pela Lei nº 176 a Vila do Orobó fora elevada a categoria de cidade com a denominação “Itaberaba”. 

Curiosidades 

Castro Alves visitou Itaberaba ficando de 1867 a 70, sendo hóspede do tenente Coronel Franklin de Menezes Fraga e concluiu o livro "A Cachoeira de Paulo Afonso", na Fazenda Santa Isabel, em homenagem à sua eleita Leonídia Fraga. 

Itaberaba teve políticos influentes no cenário estadual e nacional, como Medeiros Neto, que foi candidato a governador do estado e presidente do Senado Federal e Renato Medeiros, que foi secretário estadual de agricultura.   


Geografia[editar | editar código-fonte]

Município de médio porte em relação aos demais municípios do estado. Como citado a cima, não pertence a região da Chapada Diamantina, e sim, localiza-se no seu entorno. Fica localizado na região semiárida, apresentando algumas características dessa região, a exemplo da sua vegetação e clima.


Clima[editar | editar código-fonte]

O município está inserido no domínio morfoclimático do semiárido brasileiro, com temperatura média anual de 29 graus centígrados, sendo os meses de junho, julho e agosto os mais frios.

Curiosidade

Na noite de 19 de janeiro de 2013 uma chuva de granizo provocada pela queda rápida de 10 graus na temperatura de e pelo tempo abafado na região deixou os moradores do município assustados . A força da tempestade e do vento causaram estragos em muitos pontos: o vento forte derrubou árvores, telhados e deixou casas sem energia. No centro, fachadas de lojas caíram e estruturas ficaram danificadas e, em alguns bairros, houve relatos de quedas de raios.


Economia[editar | editar código-fonte]

Centro da cidade
Centro da cidade
Centro da cidade
Centro da cidade

Possui um comércio forte, bem como indústrias de calçados, móveis, alimentos e outras. É um dos principais centros regionais da Bahia, abrigando diversos órgãos estaduais e federais, a exemplo da Diretoria Regional de Educação, Diretoria Regional de Saúde, Tribunal Regional do Trabalho, Departamento Estadual de Trânsito, 11º Grupamento de Bombeiros Militares da Bahia, 11º Batalhão de Policia Militar da Bahia, 12ª Coordenadoria Regional de Polícia Civil, Fundação Nacional de Saúde, Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola, Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional, Serviço de Atendimento ao Cidadão etc.

A cidade conta com agências bancárias do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Banco Sicoob e Banco Itaú.

É conhecida como a capital da Chapada Diamantina servindo de portal para essa região baiana. Sazonalmente, são realizadas festas tradicionais, como o já tradicional ''Araiá da Ita'' como é denominado os festejos de São João e a festa dos vaqueiros que atraem milhares de pessoas todo ano, a micareta deixou de ser realizada no ano de 1996.


Crescimento do PIB e novos investimento[editar | editar código-fonte]

Do ano de 2001 ao 2011 a cidade de Itaberaba teve um crescimento de 327%[8] no seu produto interno bruto (PIB), que representa a soma de todos os bens e serviços finais produzidos no município, saindo de R$99 milhões de reais no ano de 2001 para R$427 milhões de reais em 2011[9] o que a colocou entre os maiores crescimento do estado, isso vem atraindo empresas e pessoas de toda a Bahia, além de investimentos dos governos estadual e federal. No ano de 2010 a cidade teve boa parte do centro recebeu pavimentação asfáltica e sinalização vertical e horizontal.


Plano Nacional de Aviação Regional[editar | editar código-fonte]

Avião taxiando na pista do aeroporto de Itaberaba.
Avião taxiando na pista do aeroporto de Itaberaba.

Boa prova desse novo momento foi a inclusão do aeroporto de Itaberaba[10] no plano nacional de aviação regional do governo federal. Coordenado pela Casa Civil e pela Secretaria de Aviação Civil (SAC), que visa a melhora na qualidade dos serviços e da infraestrutura aeroportuária brasileira, de modo a ampliar a oferta de transporte, segundo o projeto o aeroporto passará a ter um pátio de 10.857 m2 e um terminal de passageiros de 682 m2, com capacidade de processar até 60 passageiros/hora. Ainda será feito o alargamento, ampliação e nova área de segurança da pista de pousos e decolagens.[11]


O Abacaxi na economia[editar | editar código-fonte]

Caminhão em plantação de abacaxi pérola no município de Itaberaba
Caminhão em plantação de abacaxi pérola no município de Itaberaba

Itaberaba é o maior produtor de abacaxi[12] da Bahia e quarto do Brasil. A cultura do abacaxi é de importância vital para a região de Itaberaba e tem ajudado a mudar a realidade local, predominantemente de agricultura de subsistência. Com 4.000 hectares de área plantada com produção de mais de 60.000.000 “Sessenta milhões de frutos”, o abacaxi mudou essa situação e emprega, hoje, 6% da população total do município e injeta mais de R$10.000.000,00 por ano na economia local. O abacaxi adaptou-se de forma surpreendente ao ambiente dessa região produzindo frutos de excelente sabor, muito bem aceitos nos mercados. A fruticultura inseriu esses pequenos produtores do semi-árido baiano nos fluxos nacionais de comércio, de forma dinâmica e competitiva. A cultura do abacaxi se consolidou no município de Itaberaba no final da década de 90, graças ao trabalho de produtores e de instituições, entre as quais se destacam a EBDA – Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A e a EMBRAPA Mandioca e Fruticultura, de Cruz das Almas (BA). As principais peculiaridades desse pólo em relação a outras áreas de produção de frutas do estado da Bahia, a exemplo do Vale do São Francisco, são os plantios que são feitos exclusivamente por pequenos produtores e o cultivo em região de clima semi-árido, que, apesar da escassez de água, o plantio é feito sem irrigação. O trabalho do Sebrae nesse município, através do projeto da cadeia produtiva da fruticultura, tem como objetivo ajudar a resolver alguns problemas que dificultam o processo produtivo.[13]  

Ações realizadas, com a parceria da EBDA, Embrapa, Adab, prefeitura municipal, Banco do Nordeste e Banco do Brasil, estão o fortalecimento das associações de produtores e a criação da Cooperativa de Produtores de Abacaxi de Itaberaba -COOPAITA, após realização de seminários. O objetivo é estabilizar o preço e facilitar a comercialização do fruto para todo o mercado nacional, evitando assim a ação de atravessadores e beneficiando o pequeno agricultor. O cultivo do abacaxi apresenta condições de expansão de área tanto em Itaberaba como em toda a região. O Sebrae tem apoiado ações conjuntas, como por exemplo, a participação de produtores em missões técnicas, buscando mantê-los informados sobre novas tecnologias. A quase totalidade dos plantios de abacaxi dessa região situa-se no município de Itaberaba. Existem pequenas plantios em Rui Barbosa, Iaçu e Boa Vista do Tupim.

Há ainda três empreendimentos de médio e grande portes dedicados à fruticultura em Itaberaba e municípios vizinhos. São voltados principalmente para a produção irrigada de manga e limão tahiti para exportação. Além dessas frutas, são colhidas, em menor escala, a melancia, a banana, a pinha (fruta-do-conde) e a uva.


Educação[editar | editar código-fonte]

Possui inúmeras escolas regulares, duas universidade públicas, sendo o campus XIII da Universidade do Estado da Bahia, com os cursos de Pedagogia, História, Ciências Contábeis, Letras e Direito, além de um polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) que oferta cursos EaD gratuitamente. Ainda conta com universidades privadas, a exemplo da Universidade Norte do Paraná e a Faculdade de Tecnologias e Ciências com múltiplos cursos, Faculdade de Santa Cruz com cursos múltiplos e cursos de pós-graduação e o Centro de Formação Técnica em Saúde com cursos técnicos em várias áreas.

O Índice de desenvolvimento da educação básica IDEB 2013 do município divulgado em 05 de setembro de 2014 ficou em: 4º série / 5º ano: 3.4 e 8ª série / 9º ano em 3.3 [14]

Desde 2013 se encontra em construção do Campus Itaberaba[15] do Instituto Federal de Educação (IFBA), IF Baiano irá implantar seus cursos técnicos de acordo com o que o próprio município escolher via pesquisa e consulta popular. O funcionamento da instituição de ensino federal deverá trazer a Itaberaba dezenas de professores e funcionários, além de cerca de 1.000 alunos. Atualmente as obras estão paradas, devido a desistência da construtora vencedora da licitação.

Bandeira Municipal[editar | editar código-fonte]

A bandeira de Itaberaba foi criada pelo artista plástico Edson Souza, vencedor do concurso promovido pela Casa de Cultura de Itaberaba em 13 de maio de 1988.

Ela tem três cores que representam o nosso estado:

Bandeira Oficial do Município
Bandeira Oficial do Município

Branca – Formadora da cruz que representa a nossa fé.

Vermelha – Dois retângulos que representam o clima semi-árido.

Azul – Dois retângulos que representam as águas do rio Paraguaçu.

Ao centro a Pedra que Brilha, cujo nome Itaberaba em tupi guarani que deu origem a Itaberaba, apoiada por dois xiquexiques estilizados, juntamente com antigas produções de destaques do município, (a mamona, mandioca e agropecuária).

Por trás da Pedra, a lua cheia desponta (homenagem ao luar do sertão). O conjunto está envolto por duas faixas que mostram a data de emancipação político do nosso município (26 de março de 1877).


Hino do Centenário de Itaberaba[editar | editar código-fonte]

Autor: Donald Amorim (Sr. Nadinho)

Data da criação: 19 de junho de 1989


Itaberaba, cidade reluzente,

Berço de valores culturais.

Seu passado revive no presente

Sua história em belos madrigais.

Itaberaba, cidade secular,

Onde a vida é um prazer.

Sua grandeza sempre a brilhar

Nesta canto que a fez crescer.


Itaberaba, cidade natural,

É aquarela num belo entardecer.

Sua pedra de granito a brilhar

Para um povo que a faz engrandecer.

Em seus jardins, canta alegre o passaredo.

Nas igrejas, há um convite a meditar.

Itaberaba, poesia em segredo,

É nossa mãe, é cidade singular.


Turismo Réveillon do Mirante[editar | editar código-fonte]

Realizado no Mirante do Monte, a tradicional Festa do Reveillon a cada ano atrai mais turistas. O evento tem grande participação popular e transcorre em clima de alegria e paz, Uma grande queima de fogos de efeitos é feita para saudar o novo ano de média de 15 minutos.


Turismo: Parque Municipal Juracy Magalhães Jr - Barragem[editar | editar código-fonte]

Inauguracao+barrage+itaberaba.jpg

Construído no Rio Piranhas sobre enormes pedras, as quais ainda hoje se apresentam em suas laterais e rodeando uma área de 1.035.350 m², com um volume de água de 3.718.990 m³, com profundidade média de 10m, ligando sua barragem às margens do rio numa extensão de 264m, o açude Juracy Magalhães Júnior encanta pela sua beleza e brilho. Inaugurado no dia 14 de janeiro de 1933, a barragem do Açude Público Juracy Magalhães Júnior começou a ser construída no ano de 1932.

Recebeu este nome para homenagear o político Juracy Magalhães Júnior. Sendo o rio Piranhas um rio salobro, torna-se ainda mais salinizado com seu represamento, ficando assim inviável a utilização para serviços de construções civis, lavanderias ou abastecimento às casas. O clima quente da região e a seca diminui seu volume e o faz mais salino ainda, entretanto pela sua beleza e gigantismo serve à prática de passeios, diversões livres, esportes aquáticos, além de favorecer aos pescadores da região como forma de complementação da renda familiar através da pesca de peixes: tilápia, traíra, carpas e outros.

Acude+itaberaba+antigo.jpg

Historicamente, o nordeste sempre sofreu com a insuficiência de água. No ano de 1932, houve uma grande seca. Em 1945, uma grande seca atinge o nordeste, sendo criado o Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), que passou a desempenhar as tarefas antes atribuídas à Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas, criada em 1919. Porém, a Barragem Juracy Magalhães, que foi

População em visita ao Parque Juracy Magalhães Jr
População em visita ao Parque Juracy Magalhães Jr

construído sob o Rio Piranhas, não teve a finalidade de abastecer a cidade de Itaberaba, pois as águas do rio são salobras, sendo inapropriada para o consumo humano, a irrigação e no uso para construção civil. Então, a barragem do açude Juracy Magalhães acabou sendo utilizado para o lazer e para ajudar na economia de pequenos pescadores do município. A importância da preservação desse monumento se deve pelo fato de que a Barragem do Açude Juracy Magalhães Júnior foi construída num momento em que o nordeste passava por uma grande seca, mesmo não sendo responsável pelo abastecimento de água da cidade de Itaberaba. Este é, portanto, um marco do período em que a região passava por grandes dificuldades, marcando a memória dos moradores da região.

Barragem no Parque Juracy Magalhães Jr
Barragem no Parque Juracy Magalhães Jr

No ano de 2011 foi criado o Parque Municipal Juracy Magalhães Jr, dotado com infraestrutura e segurança para os visitantes.

Depois de 10 anos de seca, o açude voltou a sangrar no dia 25 de dezembro de 2013, como um presente da cidade para inúmeros moradores que nunca tinham visto o espetáculo.

Barragem do Açude Municipal Juracy Magalhães 25/12/2013
Barragem do Açude Municipal Juracy Magalhães 25/12/2013


Turismo: Cortejo das Baianas[editar | editar código-fonte]

É uma das mais tradicionais festas de nosso município, que resgata uma importante tradição cultural e serve também para despertar nas pessoas o respeito pelas diversas religiões, contribuindo para diminuir a intolerância religiosa”. Festa com data móvel, geralmente em agosto. Quem animou o cortejo em 2014 foi a Banda do Olodum


Turismo: Pedra de Itaberaba[editar | editar código-fonte]

Vista da Pedra de Itaberaba
Vista da Pedra de Itaberaba
Pedra de Itaberaba vista do Morro da Alegria.
Pedra de Itaberaba vista do Morro da Alegria.

A 25 km da cidade encontra-se uma bela pedra de granito que dá nome a Itaberaba. de forma aguda, apresenta-se com uma altura de 220 m. A sua volta está a caatinga, vegetação predominante no município, e imensos tabuleiros. Também chamada popularmente por Pedra de Itibiraba.

Além de rappel e escalada, os moradores e turistas, especialmente das escolas de ensino fundamental e médio têm outro motivo para visitar a área da Pedra que Brilha. Numa loca encontrada em uma das três pedras que formam o complexo rochoso da Pedra de Itaberaba encontram-se desenhos rupestres a tinta, possivelmente feitas pelos Maracás. O nome da Pedra de Itaberaba encontra seu significado na língua Tupi – pedra que brilha. Ao seu redor há três blocos de granito de igual beleza, formando uma trempe e cada uma com alturas diferentes.

Hoje, quem viaja pela BR 242, tem o privilégio de ver e apreciar a beleza da pedra de Itaberaba.

Turismo: Mirante do Monte[editar | editar código-fonte]

Mirante do Monte
Mirante do Monte
Praça do Poeta no Mirante do Monte
Praça do Poeta no Mirante do Monte
Capela do Monte antes da revitalização
Capela do Monte antes da revitalização
Vista da ladeira do Monte
Vista da ladeira do Monte

Localizado na zona norte da cidade eleva-se um morro com uma vista privilegiada da cidade, no final de dezembro de 2011 o local recebeu infraestrutura turística e foi entregue totalmente revitalizado à população. Hoje recebe centenas de visitantes diariamente. Do alto do mirante é possível contemplar ainda o açude Juracy Magalhães Júnior e ao longe a Pedra de Itaberaba.

Capela do Monte Bom Jesus da Lapa

No local também encontra-se uma Capela urbana de final do século XIX, de notável implantação paisagística, com as funções de nave e capela-mor conjugada num mesmo espaço, mais coro em “U” todo em madeira. A capela é recoberta de telhado de duas águas. A fachada emoldurada por cunhais e cornija é superposta por frontão recortado, flanqueado por coruchéus piramidais. Apresenta portada única de acesso, encimada por três janelas ao nível do coro. Todos os vãos são em verga reta.

No interior, modesto, o piso original foi recoberto de cimento e forro é de data posterior à construção. Em um pequeno altar existem duas imagens. A capela possui adro franqueado por escadaria tendo à frente um cruzeiro. Todo o espaço é protegido por grades.

no ano de 2011 junto com a construção do mirante a capela do Bom Jesus também foi reformada.


Turismo: Arraiá da Ita[editar | editar código-fonte]

Foto tirada no arraiá da Ita
Foto tirada no arraiá da Ita

Após entrar no hall das festas tradicionais da Bahiatursa;[16] O ''Arraiá da Ita'' a festa de São João da cidade de Itaberaba, vem a cada ano atraindo milhares de pessoas para a cidade durante os dias de festejos. O evento junino sempre conta com atrações de peso nacional, como o saudoso Dominguinhos – uma lenda da música brasileira, Adelmário Coelho, Victor e Leo, Amado Batista, Seu Maxixe, Simone e Simaria, Forró Chico Belo, Sandro Becker, Limão com Mel, Arreio de Ouro e outros, também por ser uma das maiores vitrines de artistas locais e regionais.

Entre as diversas atrações regionais que abrilhantaram o Arraiá da Ita, com o tradicional Barracão da Vila Pé de Serra, com um time de sanfoneiros que se apresentam, fazendo o povo dançar animadamente ao som do autêntico Forró Pé de Serra. Além disso, o concurso de quadrilhas e recreações juninas traz de volta a boa cultura nordestina para nossos jovens, nossas crianças.

Em 2014 o evento recebeu 50 mil pessoas.


Estação Ferroviária de Itaberaba e Povoado de Itaíba[editar | editar código-fonte]

A ESTAÇÃO: A estação de Itaberaba[17] foi inaugurada em 1926, como ponta de linha de um curto ramal que saía da estação de Iaçu, na linha da então Central da Bahia, parte da francesa Chemins de Fer. Dois anos depois a linha foi prolongada mais um pouco, até Itaíba, e em 1951 foi juntada com a linha que vinha de Senhor do Bonfim, ao norte. A linha teve trens de passageiros até fevereiro de 1977.

Acidente na Ponte Ferroviária Iaçu x Itaberaba

Enquanto o trem de passageiros já não mais corria, cargas seguiam pela linha, pelo menos a partir de Iaçu. O motivo do fechamento do trecho Iaçu-Bonfim teria sido um acidente ocorrido no final de 1983 entre Iaçu e Itaberaba. A causa do acidente foi que alguns meninos de rua saíram descarregando todo o balão de ar dos freios de todos os vagões todos carregados de cimento, que aí desceu em grande velocidade a linha, e, chegando na ponte, o peso foi grande demais. A ponte de ferro ruiu.

Linha de Tempo Histórica do Município[editar | editar código-fonte]

1561 – Bandeira de Vasco Rodrigues Caldas, seguiu o rio Paraguaçu até setenta léguas atravessando o atual município de Itaberaba.

1591 – Gabriel Soares de Souza e comitiva atravessam a região oriental.

1655 – Sesmaria concedida pelo Governador D. Jerônimo de Ataíde Vl conde de autarquia (1654 – 1657 ) a João Peixoto Vieigas, entre os rios Paraguaçu e Jacuípe até as suas nascente.

1673 – Os Maracás são vencidos e se derivam para floresta atlântica do sul da capitânia.

1768 – A fazenda São Simão fundada pelo Capitão Manoel Rodrigues Cajado.

1796 – O quilombo do Orobó, é destruído em dezembro pelo Capitão-Mor de Entradas e Assaltos, Severino da Silva Pereira.

1809 – É construída a Capela de Nossa Senhora do Rosário por Antônio de Figueiredo Mascarenhas na Fazenda São Simão de sua propriedade e de onde Itaberaba se iniciou.

1817 – O povoado passa a ser conhecido como Rosário do Orobó.

1843 – Ano em que é criada a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, tendo como 1º Vigário Padre Manoel Ferreira Pacheco.

1867-68 – O Poeta dos escravos Castro Alves visita Itaberaba hospedando-se na Fazenda Santa Isabel de propriedade do anfitrião Tenente Coronel Franclin de Menezes Fraga.

1877 – A Vila do Orobó torna-se emancipada politicamente através da resolução nº. 1715 de 26 de março.

1888 – Mais precisamente no dia 14 de maio chega ao município remitida pelo ministério da agricultura do Rio de Janeiro , concedendo liberdade aos escravos.

1889 – Itaberaba adere ao Regime Republicano em Sessão de 28 de novembro, na Câmara Municipal do Município.

1890 – è criada a Comarca de Orobó.

1897 – A denominação Vila do Orobó passa a ser então cidade de Itaberaba de acordo com a Lei Estadual nº. 176 de 25 de junho.

1908 – Na cidade é instalada lampiões a querosene.

1914 – Vila do Orobó Grande criada pela Lei nº 1022, de 25 de junho e instalada em 6 de outubro

1926 – Grêmio Castro Cincurá

1926 – É inaugurada a ferrovia no Município com o trecho de Iaçu a Itaberaba.

1926 – em 1º de outubro. Monta-se o jornal “ O Itaberaba” já extinto em 1954 pelo jornalista Roque Fagundes de Souza

1926 – É inaugurada no monte a capela Senhor Bom Jesus da Lapa.

1927 – Em 17 de julho de 1927, num domingo, fomos visitados pelo príncipe do Grão Pará, neto de S.M.I. Dom Pedro II e filho da Princesa Isabel e do Conde D’Eu. Chamava-se D. Pedro Luis de Alcântara e na visita, foi até a Igreja Matriz e fez orações

1927 – Ano que foi criada a Lira Itaberabense Maestrina Zulmira Silvany.

1933 – Ateneu Itaberabense fundado em 28 de maio

1933 – Dia 14 de janeiro foi inaugurado o açude público Juracy Magalhães cuja construção teve início em 1932.

1938 – Em 10 de julho, é instalado em Itaberaba o primeiro serviço de energia elétrica.

1939 – Acontece o primeiro Congresso Eucarístico Paroquial de Itaberaba de 24 à 27 de agosto.

1939 – Inaugurado o trecho da rodovia Itaberaba – Ipirá, com 78 quilômetros em 30 de agosto.

1941 – Inaugura-se a Cine Ideal de propriedade do Senhor Arthur Couto.

1942 – O povo itaberabense ofereceu à União um avião denominado “Itaberaba” e o prefeito na época era José Dias de Laranjeira. Nesta época fizeram uma campanha de panelas de alumínio para fabricar mais aviões.

1945 – Chega da II Guerra Mundial o pracinha Itaberabense, Jonas José de Moura, em 11 de Outubro e é homenageado.

1945 – Inauguração da Torre da Igreja Matriz no dia 21 de outubro, dia da Padroeira.

1945 – Fundação do Ita-Jazz e 1964.

1945 – Criado o Centro Operário em 25 de novembro.

1946 – Fundado o Clube Social de Itaberaba, em 9 de novembro transferindo para a atual sede em 1967.

1948 – Em dezembro visita o nosso município Erícledes José Formiga. Sendo hóspede da família Guimarães Carvalho deixando também na parede da Fazenda Santa Isabel um soneto em homenagem a Castro Alves.

1948 – Criada a Associação Estudantil de Itaberaba. Revivida em 1971 como Casa do Estudante, em Salvador.

1949 – Aeroporto é inaugurado em 18 de maio, pelo primeiro pouso.

1950 – Em 1950 Maria Milza “A Mãezinha” do povoado de Alagoas, teve uma “visão” de Nossa Senhora das Graças e em 1954 começaram as romarias para Alagoas.

1952 – Criação da Loja Maçônica, Deus. Justiça e Fraternidade

1953 – O Ginásio de Itaberaba, atual Colégio Estadual de Itaberaba, é inaugurado em dezembro.

1957 – Ocorre o incêndio na Igreja Matriz na madrugada de 1º de outubro sendo as imagens sacras recolhidas pelos moradores locais.

1958 – É inaugurado o serviço de água encanada, dia 14 de setembro e antes disso, 7 de abril Ibiquera foi desmembrada de Itaberaba tornando-se Município autônomo.

1959 – É criada a diocese de Rui Barbosa.

1959 – Fundação do Lions Club que atuou até a 1974

1961 – Em 16 de abril é Fundado o Hospital Nossa Senhora do Rosário e Santa Casa de Misericórdia. Atual Hospital Regional de Itaberaba.

1962 – Criado o município de Boa Vista do Tupim, em 17 de Fevereiro.

1964 – Deposição do prefeito Nelson Ribeiro de Alencar e do Juiz de direito João Moura da Costa

1968 – Fundação do Teatro Amadores de Itaberaba- TAI.

1968 – Fundado “O Correio do Interior, por Everildo Pedreira.

1970- Pela primeira vez na historia municipal, elegeram-se mulheres para funções publicas As vereadoras Maria de Lourdes Almeida Gomes e Cristália Peixoto Ribeiro.

1970 – Inauguração da pista asfáltica da BR 242 ligando Itaberaba até Argoim.

1971 – Fundação da Companhia Telefônica de Itaberaba em convênio Telecomunicações da Bahia S/A TELEBAHIA.

1971 – Revivida com a Casa do Estudante de Itaberaba em Salvador.

1971 – Lar dos Velhos – Casa da Bondade: Lar das Crianças, projeto idealizado pela ex. vereadora Maria de Lourdes Almeida Gomes.

1974 – Fundada a Liga Desportiva de Itaberaba.

1976- Fundado o Centro Educacional Nei Braga, fundado em março de 1976.

1977 – Acontece o centenário de emancipação política do município.

1977- Lançado “O Paraguaçu” em 8 de janeiro, por Salvador Souza.

1979- Fundado o Jornal de Itaberaba, este teve vida curta.

1980 – O Governador do Estado entrega as chaves do conjunto habitacional João Mata Pires conhecido popularmente como URB’S.

1983 – Em 28 de abril, um grupo de intelectuais liderado por Laudelino Martins de Andrade Neto (Laumartins) fundou a Casa de Cultura de Itaberaba.

1990- Constituinte Municipal promulga a Lei Orgânica do Município , 26 de março.

1991 – Em 12 de agosto foi criado o CESI-UNEB pelo então Governador do Estado. Dr. José Amando Sales Mascarenhas “In Memorian”.

1992 – A população de Itaberaba participa do processo de impugnação do mandato do Presidente Fernando Color de Mello, enviando para Brasília abaixo-assinados.

1992 – Ocorre o primeiro Micareta municipal como substituição dos antigos carnavais.

1993 – Morre Maria Milza a “mãezinha” de Alagoas.

1994 – Inaugurado o Terminal Rodoviário de Itaberaba.

1999 – A estrada que liga os municípios de Itaberaba e Ipirá ganha pavimentação asfáltica.

2001 – A Professora Maria Luíza é a primeira mulher a exercer o cargo de vice-prefeita de Itaberaba.


Lista dos Intendentes e prefeitos de Itaberaba[editar | editar código-fonte]

Intendentes

Capitão Joaquim Pereira Mascarenhas – 28/04/1890 – 1892 (nomeado) Antonio Olympio Mascarenhas – 1893 Viriato Dias Sampaio – 14/02/1894 – 1903 (reeleito duas vezes) Capitão Francisco Gil Dias Andrade – 01/01/1904 – 1907 Tenente Coronel Luiz Fernandes Serra – 01/01/1908 – 1911(eleito) / 01/01/1916 – 1919(nomeado) Joaquim Manoel Sampaio – 01/01/1912 – 1915 Agrônomo Manoel Andrade Sampaio – 02/02/1920 – 1921 Major Fulgêncio Pereira da Silva – 04/04/1921(interino) Tenente Coronel Augusto Fagundes de Souza – 01/01/1922 – 1923 Capitão Synésio de Cerqueira – 01/01/1924 – 1925 Capitão Durval Boaventura – 01/01/1926 – 1927 Engenheiro Jose Dias Laranjeira – 01/01/1928 –1930(eleito) / 1942 – 1946 (nomeado)

Prefeitos

Engenheiro Álvaro Ribeiro Sanches – 08/12/1930 – 1931(nomeado) Engenheiro Delsuc Moscoso de Oliveira – 07/09/1931 – 1934 (nomeado) Plínio Mata Pires – 06/12/1934 – 1936 (nomeado) 31/06/1936(eleito) Manoel Moises de Oliveira – 07/01/1946 – 1947 (nomeado) Bacharel Almir Mata Pires – 06/01/1948 – 1950 Bacharel Renato Cincurá de Andrade – 31/01/1951 – 1955 Justiniano Jacobina de Brito – 07/04/1955 – 1959 Josué Ribeiro de Alencar – 07/04/1959 – 1962 Médico Nelson Ribeiro de Alencar – 07/04/1963 – 1964 Carlos Spínola da Cunha – 06/05/1964 – 1967 (nomeado) Vicente Jorge Barreto Correia – 07/04/1960 – 1970 Belmiro Cincurá de Andrade – 1962 (interino) / 31/01/1971 – 1972 (eleito) Bacharel Ely santos Rocha – 31/01/1973 –1976 Antonio Andrade Santos – 01/02/1977 – 1982 Linésio Bastos de Santana – 01/02/1983 – 1988 Josenildo Miguel de Brito – 01/01/1989 –1992 Linésio Bastos de Santana – 01/02/1993– 1996 Josenildo Miguel de Brito – 01/01/1997/2000 Jadiel Almeida Mascarenhas – 01/01/2001 –05/2004 Washington Deusdedith Neves – 05/2004 – 31/12/2004 Washington Deusdedith Neves – 01/01/2005-2008 Solon Ribeiro – 01/01/2009-10/06/2009 João Almeida Mascarenhas Filho – 10/06/2009 - 31/12/2012 João Almeida Mascarenhas Filho – 01/01/2013

Povoados e Distritos[editar | editar código-fonte]

20 mil habitantes residem na zona rural de Itaberaba

Maiores: Alagoas, Guaribas, Santa Quitéria, São Vicente e Testa Branca

Outros: Aldeia Alto Bonito Barro Duro Barro Branco Balisa Batata Canaã Capivara Duas Irmãs Ent. Boa Vista Formosa Itaíba Ipoeira Lagoa das Pedras Lagoa do Curral Mandú Monte Verde Novo Horizonte Periquito I Periquito II Poço do Capim – Cajá – Vila Poço Dantas p/ Vila São Vicente Poço Dantas p/ Vila São Vicente Reserva Roça Velha Santa Helena I Serra Verde I Serra Verde II Serrote – Lagoa das Pedras Sobradinho Tabuleiro Tanque Velho Tamburi Tombador Tutí Vila Nova Vitório


Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013 Censo Populacional 2013 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2013). Visitado em 02 de outubro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de julho de 2013.
  5. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). Perfil do município de Itaberaba - BA Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Visitado em 4 de março de 2014.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2007-2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 12 set. 2014.
  7. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 132.
  8. http://ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2011/default_xls.shtm/
  9. http://ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2011/default_xls.shtm/
  10. http://www.aviacaocivil.gov.br/assuntos/aviacao-regional/multimidia/090514_apresetacao_aviacao_regional.pdf/view
  11. http://www.bahianoticias.com.br/noticia/157617-aeroporto-regional-de-itaberaba-tem-projeto-de-viabilidade-tecnica.html
  12. http://www4.seagri.ba.gov.br/noticias.asp?qact=view&notid=18632
  13. http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2011/07/colheita-do-abacaxi-movimenta-lavouras-na-bahia.html
  14. http://ideb.inep.gov.br/resultado/resultado/resultado.seam?cid=38735
  15. http://www.itaberaba.ba.gov.br/noticia/83257/IF-Baiano-iniciou-a-obra-de-seu-Campus-Itaberaba-um-investimento-de-R-75-milhoes
  16. http://www.saojoaonabahia.com.br/cidades/itaberaba-divulga-as-atracoes-do-sao-joao
  17. http://www.estacoesferroviarias.com.br/ba_lbras/itaberaba.htm

{}

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.