Itaguatins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itaguatins
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico itaguatinense
Prefeito(a) Francisco Regis Alves Melo (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itaguatins
Localização de Itaguatins no Tocantins
Itaguatins está localizado em: Brasil
Itaguatins
Localização de Itaguatins no Brasil
05° 46' 04" S 47° 28' 51" O05° 46' 04" S 47° 28' 51" O
Unidade federativa  Tocantins
Mesorregião Ocidental do Tocantins IBGE/2008 [1]
Microrregião Bico do Papagaio IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sítio Novo-TO / Maurilândia-TO / Imperatriz-MA
Distância até a capital 585 km km
Características geográficas
Área 739,846 km² [2]
População 6 029 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 8,15 hab./km²
Altitude 130 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,617 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 30 820,366 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 934,42 IBGE/2008[5]
Página oficial

Itaguatins é um município brasileiro do estado do Tocantins.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Itaguatins, localiza-se no extremo norte do Tocantins, região conhecida como "Bico do Pagagaio".

Seu processo de colonização teve início no final do império com a chegado do Coronel Augusto Cezar de Magalhães Bastos, vindo da cidade de Imperatriz no Maranhão, que em uma de suas viagens, impelido pelas circunstâncias foi obrigado a ancorar seu barco pelo lado de baixo da cachoeira de Santo Antônio. em diálogo com o pescador o Coronel observou que toda embarcação fluvial, subindo ou descendo o Rio Tocantins era obrigado a parar a viagem, retirar parte da mercadoria constante da carga transportada, conduzi-la por terra até a ultrapassagem do trecho ocupado pela cachoeira. Devido a esse movimento, o local passou a chamar-se Descarrêto, nome pelo qual é conhecido o Bairro localizado acima da cachoeira.

O Coronel Augusto Bastos construiu uma casa confortável suficientemente capaz de acomodar residência e também armazenar toda e qualquer mercadoria oriunda no Norte e Sul, respectivamente, para comercializar nas praças adjacentes, inclusive Boa Vista, hoje Tocantinópolis. Iniciou a criação de gado bovino, vindo do interior do Maranhão (Grajaú e Carolina), estendendo seu rebanho por várias fazendas da região, inclusive Boa Vista, cidade conhecida na época por "Boa Vista do Padre João".

Em retribuição a acolhida naquela noite, pelo humilde pescador, de nome Antonio Manoel Luna o coronel batizou a sua fazenda com o nome de Santo Antonio, em homenagem aquele pescador que ali residia pioneiramente.

Em torno da residência, na fazenda Santo Antonio, foram surgindo moradias de imigrantes do Nordeste, à procura de terras férteis, e aos poucos foi tomando aspecto de povoado, passando a chamar-se então Povoado Santo Antonio da Cachoeira. As terras férteis, caça em abundância, existiam muitos peixes no Rio Tocantins e assim o aglomerado passou a se desenvolver, tornando-se ao mesmo tempo um ponto importante para o intercâmbio comercial.

As mercadorias vinham do centro comercial de Belém - PA, eram transportadas em barcos. Em uma dessas viagens a Belém, o coronel Augusto Bastos trouxe para o povoado a imagem de Santo António de Lisboa, uma verdadeira arte de obra Portuguesa, talhada em bloco de nogueira.

No povoado de Santo Antonio, foi construída uma capela onde o Padre João de Sousa Lima, vigário da Prelazia de Boa Vista, fez a solenidade religiosa, conduzindo a imagem do Santo pelo povoado até o altar da Igreja, onde compareceram populações de Imperatriz, São Vicente do Araguaia (Araguatins), Boa Vista (Tocantinópolis), os sertanejos de regiões ribeirinhas e demais ribeirinhos. Após a missa foi declarada solenemente a instalação da igreja de Santo Antonio da Cachoeira, e como último desejo o coronel pediu que ele, sua esposa e todos os membros de sua família fossem, quando mortos, sepultados no interior da Igreja.

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 8.305 de 31 de dezembro de 1943, foi mudado o nome de Santo Antonio da Cachoeira para Itaguatins, que originou-se com junção do prefixo ita, que significa pedra em Tupi-guarani e com a terceira e última sílaba dos nomes dos rios Araguaia e Tocantins.

O povoado foi elevado a cidade no dia 18 de agosto 1945.

O primeiro Prefeito (nomeado) de Itaguatins foi o Senhor Antonio Cavalhedo Murici, que governou de 18 de agosto de 1945 a 16 de fevereiro de 1946. O primeiro prefeito eleito por voto popular foi o Sr. Ataliba Costa Cruz, que governou de 24 de maio de 1948 a 31 de janeiro de 1951.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 05º46'08" sul e a uma longitude 47º29'00" oeste, estando a uma altitude de 130 metros. Sua população estimada em 2004 era de 6.579 habitantes.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do Tocantins é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.