Itaipava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Itaipava (Petrópolis)
Búzios Serrana
—  Bairro do Brasil  —
Itaipava.JPG
Distrito Itaipava
Município Petrópolis
Fonte: Não disponível
Castelo de Itaipava, uma casa noturna
A região é famosa por possuir clubes com campos profissionais e campeonatos de golfe

Itaipava é um distrito (o terceiro distrito da cidade) e um bairro de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Conhecida como refúgio de inverno de diversas celebridades e da alta sociedade do Rio de Janeiro,[1] o bairro abriga diversos clubes de campo, restaurantes com refinada gastronomia e algumas das melhores casas noturnas da Região Serrana.[2]

Inúmeros condomínios fechados de alto padrão localizam-se em Itaipava, assim como pequenos shoppings com sofisticadas lojas e grifes. O distrito ainda é famoso por abrigar uma gama de hotéis rústicos com ampla infraestrutura, sendo que alguns deles já foram cenário de diversas novelas e minisséries brasileiras.[3]

O bairro é conhecido por seus frequentadores como a "Búzios Serrana", em referência ao município de Armação dos Búzios, possuidor de características semelhantes, porém sendo balneário.[4]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

Existem várias etimologias possíveis para a palavra "itaipava", todas com base na língua tupi:

  • i'táim'pab (elevação de pedra)[5]
  • itu pewa (cachoeira chata)[6]
  • itáupaba (lago da pedra), através da junção dos termos itá (pedra) e upaba (lago)[7]
  • itá'ypaba (pedra que para o rio), através da junção de itá (pedra), 'y (rio) e paba (terminar)[5] [7]

Clubes de campo[editar | editar código-fonte]

No distrito e em seus arredores, localizam-se diversos clubes de campo, alguns deles com infraestrutura para a prática de golfe:

  • Petrópolis Golf Clube
  • Itaipava Country Club
  • Promenade Country Club
  • Clube Campestre

Clima e hotéis[editar | editar código-fonte]

Conhecido pelo seu clima agradável, com temperaturas baixas grande parte do ano e com umidade inferior ao resto da cidade, o distrito possui diversa gama de hotéis resorts serranos com frequentadores de todo o estado e mesmo de todo país[8] .

Comércio[editar | editar código-fonte]

Bem desenvolvido em sua principal via de deslocamento (Estrada União e Indústria), sendo referência na Região Serrana pelos restaurantes, shopping centers e seu comércio especializado em malha.

Os arredores do distrito ainda abrigam a Cervejaria Itaipava, uma das maiores marcas de cerveja do Brasil.

Sub-bairros do Distrito[editar | editar código-fonte]

  • Country
  • Itaipava Centro (sede da subprefeitura localizada no parque municipal de Petrópolis)
  • Jardim Americano
  • Jardim Europeu
  • Jardim Serrano
  • Madame Machado
  • Vale da Boa Esperança
  • Vale do Cuiabá
  • Gentio
  • Granja Brasil
  • Lagos de Itaipava
  • Laginha
  • Santa Mônica
  • Sumidouro
  • Castelo
  • Reta
  • Ribeirão
  • Fazenda São José
  • Mangalarga

Turismo[editar | editar código-fonte]

Destacam-se: Castelo do Barão de Itaipava, Shopping Estação Itaipava, Feirinha de Itaipava e Parque Municipal de Petrópolis. Também as localidades próximas de Araras, Pedro do Rio (4º distrito) e Secretário atraem turistas com atrativos rurais e naturais.

Referências

  1. Os novos refúgios da Serra
  2. Restaurantes, boas compras e vida noturna reúnem famílias em Itaipava
  3. [1]
  4. Itaipava (RJ)
  5. a b FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.974
  6. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.976
  7. a b NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  8. Gazeta das Cidades

Ligações externas[editar | editar código-fonte]