Itanhém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itanhém
Bandeira de Itanhém
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 14 de agosto
Fundação 14 de agosto de 1958 (56 anos)
Gentílico itanhense
Prefeito(a) Milton Ferreira Guimarães (Bemtivi) (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itanhém
Localização de Itanhém na Bahia
Itanhém está localizado em: Brasil
Itanhém
Localização de Itanhém no Brasil
17° 09' 57" S 40° 19' 48" O17° 09' 57" S 40° 19' 48" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Porto Seguro IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Norte Vereda; Sul Bertópolis; Leste Palmópolis; Oeste Medeiros Neto
Distância até a capital 760 km
Características geográficas
Área 1 445,063 km² [2]
População 20 199 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 13,98 hab./km²
Altitude 210 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,637 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 105 074,431 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 959,15 IBGE/2008[5]
Página oficial

Itanhém é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população estimada em 2009 era de 21.154 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A região, que era primitivamente habitada pelos índios maxacalís, começou a ser povoada pelos brancos procedentes do estado de Minas Gerais, por volta de 1918, desenvolvendo a criação de gado e a agricultura. Em 1925, o mineiro Simplício Binas fundou a povoação denominada Vila de Água Preta. Com a descoberta de pedras preciosas, o povoamento intensificou-se. Mais tarde vieram pessoas também do sertão baiano e norte capixaba. Em 1930, foi criado o distrito de Nossa Senhora do Itanhém, com este nome por conta do rio Itanhém que corta o município, e subordinado ao município de Alcobaça pelo decreto estadual nº 7129, de 15 de dezembro de 1930. Pelo decreto-lei estadual nº 11089, de 30 de novembro de 1938, o distrito de Nossa Senhora do Itanhém, passou a denominar-se simplesmente Itanhém. Foi elevado à categoria de município com a denominação de Itanhém, pela lei estadual nº 1031, de 14 de agosto de 1958, desmembrado de Alcobaça. Constituído de três distritos: Itanhém, Batinga e Ibirajá, foram todos desmembrados do município de Alcobaça, tornando-se o distrito de Itanhém a sede do Município (IBGE). Na cidade, alguns dos estabelecimentos de lazer da para a população itanheense, eram o Bar Astória, o Restaurante Astória, o Hotel Astória e o Clube Astória, cujo proprietário de todas era José Martins de Oliveira (Zé Astória), figura importante na história do Munícipio de Itanhém que faleceu em Dezembro de 1997, deixou sua esposa Guinalva e 8 filhos: Maria Velani, Roberto, Geraldo Magella, Eduardo Missias, Maria Helena, Francisco Rogério, José Júnior e Rafael. A padroeira é Nossa Senhora do Itanhém ou Nossa Senhora D'Ajuda do Itanhém e sua festa ocorre no dia 15 de agosto. O topônimo é um vocábulo tupi que significa "bacia de pedra". O gentílico é itanhense.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 24 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.